Connect with us

Hi, what are you looking for?

História & Humanidade

O mistério da múmia que grita pode está chegando ao fim?

mistério da múmia que grita
Imagem: Museu do Egito

Cientistas ficam chocados após realizarem uma tomografia computadorizada (TC), em uma peça histórica. O mistério da múmia que grita, foi como ficou conhecida Meritamun, mulher que foi encontrada mumificada. De acordo com os resultados obtidos pelo exame, a vítima teria sofrido com uma dor bastante intensa, dado ao modo que o seu corpo foi conservado.

A mulher media 1,51 centímetros de altura, e as imagens divulgadas podem ser um pouco assustadoras. Com a boca aberta, como se estivesse clamando por ajuda, foi assim que a Meritamun foi conservada. No entanto, os pesquisadores ainda não sabem o motivo exato que levaram as pessoas a não modificarem sua expressão durante a mumificação.

Desmistificando o mistério da múmia que grita

Segundo as informações que foram disponibilizadas pelos pesquisadores, a causa da morte teria sido aterosclerose generalizada. Simplificando, essa é uma doença onde, placas de gorduras ficam aderidas nas artérias, causando uma obstrução no fluxo sanguíneo.

Continua depois da publicidade

VEJA TAMBÉM: A misteriosa pequena múmia das Montanhas de São Pedro

Os pesquisadores que possuem formação especializada para estudar sobre a cultura egípcia, são os egiptólogos. Durante a análise dos exames, esses estudiosos deduziram que a mulher estava desacompanhada no momento em que sofreu um ataque cardíaco.

processo de mumificação
Na tomografia computadorizada, ficou perceptível que o processo de mumificação foi feito cuidadosamente.
(Crédito da imagem: Zahi Hawass e Sahar Saleem)

Por esse motivo, seu corpo acabou sofrendo alguns danos musculares mesmo após ter vindo a óbito. O nome desse processo é conhecido por rigor mortis, termo em latim que significa a rigidez após morte. Então, essa terminologia é a chave para explicar sobre o formato do cadáver durante o processo de mumificação.

RELACIONADO: Naufrágio descoberto no Nilo prova relato de Heródoto há 2.469 anos

Continua depois da publicidade

Como o corpo inteiro ficou rígido devido aos procedimentos bioquímicos que sucederam após a sua morte, o mistério da múmia que grita e sua aparência podem ser resolvidos com exames mais profundos. Durante o grito ocasionado pela dor, sua boca ficou aberta e não teve como coloca-la novamente em seu lugar, por causa do enrijecimento.

Afinal, é apenas uma história ou algo verídico?

Um antropólogo da Universidade McMaster, Andrew Wade, concedeu uma entrevista especial para o GizModo. Segundo ele, “é muito mais provável que os invólucros ao redor da mandíbula simplesmente não fossem apertados o suficiente para manter a boca fechada, pois ela tende a cair em uma posição aberta se deixada por conta própria”.

Mesmo com os exames indicando inúmeras placas de gorduras espalhadas pelo corpo da mulher de 60 anos, alguns cientistas estão bastante céticos sobre essa possível conclusão. Essas dúvidas foram geradas após um aprofundamento sobre rigor mortis. De acordo com a literatura, esse é um estágio temporário, onde o corpo volta ao normal horas após a morte.

Continua depois da publicidade
a múmia que grita
A múmia que grita: corpo é encontrado durante uma expedição no Egito e torna-se um mistério.
(Imagem: © Zahi Hawass e Sahar Saleem).

O palpite de Zahi Hawass, um egiptólogo integrante do grupo de pesquisadores, é que algo de muito ruim pode ter acontecido com Meritamun. Se a mumificação tivesse começado no mesmo dia da morte, o corpo deveria ter sido colocado no lugar.

Para Hawass, “a mumificação era tão padronizada e ritualizada que tinha que haver uma razão para que os embalsamadores não a endireitassem e a colocassem na posição supina habitual – principalmente porque eles aparentemente a estavam tratando bem em preparação para a vida após a morte”.

Mesmo com a tecnologia atual à disposição, os pesquisadores envolvidos ainda não conseguiram encontrar um motivo plausível para resolver o mistério da múmia que grita. E o fato dela ter sido mumificada de maneira tão assustadora.

Com informações de Live Science e GizModo

Continua depois da publicidade

Populares hoje

Saúde & Bem-Estar

Uma empresa israelense chamada CorNeat Vision desenvolveu uma córnea sintética e permitiu a um homem de 78 anos, cego há dez anos, recuperar totalmente...

Tecnologia

Muitos especialistas em estratégia militar alertam que as guerras do futuro não serão terrestres, mas confrontos sob o signo da inteligência artificial e do...

História & Humanidade

Os sapiens não são a única espécie humana que já circulou pela Terra, embora hoje só nós estejamos vivos. Fora os sapiens, a espécie...

História & Humanidade

Nós possuímos, em nosso DNA, registros de um ancestral misterioso, que acasalou com espécies humanas há aproximadamente um milhão de anos.