Megalodon

O megalodon (Carcharocles megalodon) foi o maior tubarão que já existiu nos oceanos, até a sua misteriosa extinção há 2,6 milhões de anos. Ele não é apenas considerado o maior tubarão de todos os tempos, mas também um dos maiores peixes que se tem registro, superando em tamanho qualquer um nos dias atuais. Evidências fósseis indicam que ele alcançava facilmente o comprimento de 18 metros, três vezes o tamanho do maior tubarão-branco da história. Sem um esqueleto completo, estes números são baseados nos dentes do animal. A origem do seu nome vem do grego, “dente grande”.

Dente de megalodon e tubarão-branco.
Dente de megalodon comparado a um de tubarão-branco.

O tamanho do megalodon

Um estudo publicado na revista Scientific Reports chegou à conclusão de que o animal podia medir até 18 metros de comprimento e chegar a um peso total de 48 toneladas. Nenhum tubarão ou outro peixe conhecido atualmente é tão grande.

A mesma pesquisa relata que sua força de mordida era equivalente a 10 toneladas. Sua cauda media 3,85 metros de comprimento e cada uma das nadadeiras 1,62 metros. Pesquisadores chegaram a esses resultados após comparar os fósseis dos dentes do gigante com o de espécies modernas de tubarões.

Megalodon comparado a um humano.
Imagem: Nature

Qual era o seu cardápio?

O megalodon era o maior predador aquático de seu tempo, portanto não é difícil especular quais animais estavam no seu menu. Ele provavelmente se alimentava de baleias e pinípedes – como as focas, morsas e leões marinhos.

Há evidências fósseis encontradas de alguns animais com grandes marcas de mordidas serrilhadas, que o colocam no topo da lista de suspeitos. Em um breve estudo publicado em 2021, por exemplo, há o relato de uma batalha épica entre uma cachalote ancestral e um megalodon. Tudo que restou da baleia foi um de seus dentes, onde foi encontrado três marcas de dentes serrilhados e uniformemente espaçados. As marcas da mordida sugerem um ataque com o objetivo de matar, já que foi um ataque direcionado à cabeça. Há outros exemplos de ataques a baleias, como a pesquisa de um fóssil de 15 milhões de anos descoberto em 2021 revela.

Mandíbula de um megalodon
Mandíbula gigante reconstruída para exposição no National Aquarium, em Baltimore, EUA.

Para atacar presas tão grandes quanto as baleias, ele tinha que ser capaz de abrir bem a boca. Estima-se que sua mandíbula, revestida com 276 dentes, tinha 2,7 por 3,4 metros de largura, o que a tornava grande o suficiente para fazer estrago em qualquer grande ser vivo.

Onde o Megalodon viveu

A espécie era tão amplamente difundida que os seus dentes foram encontrados em todos os continentes, exceto na Antártica.

Na América do Norte, é possível encontrar muitos dentes ao longo da costa e no fundo de riachos e rios de água salgada. Também são bastante comuns na costa do Marrocos e em partes da Austrália. No Brasil ainda não se tem notícia de nenhum achado do tipo.


Este mapa indica os locais onde os fósseis do megalodon foram encontrados. No Brasil ainda não houve nenhuma descoberta.
Este mapa indica os locais onde os fósseis foram encontrados. No Brasil ainda não houve nenhuma descoberta. Imagem: Wikimedia/SoCientífica

O megalodon existe ainda?

Cientistas estão certos de que o megalodon não existe mais em nossos oceanos. E há uma boa explicação para isso.

Os fósseis mais abundantes são os seus dentes. A aparência distinta desses dentes e onde são encontrados ajuda os cientistas a reconstruir o seu tamanho e o local nos quais ele habitava. Seus dentes sumiram completamente dos registros fósseis há cerca de 2,6 milhões de anos. E os tubarões perdem dentes ao longo da vida. Portanto, não encontrar mais os seus dentes é um bom sinal de que esses peixes gigantescos não estão mais entre nós.

Com base nos locais onde seus dentes fossilizados foram encontrados, eles viviam em águas tropicais e subtropicais ao redor de todo o globo, então não é como se estivessem restritos a pequenos intervalos isolados onde um sobrevivente poderia se esconder e possivelmente ser esquecido. Sua preferência por águas quentes também significa que um megalodon solitário provavelmente não se esconderia nas profundidades frias do oceano, onde certamente não sobreviveria.

Ilustração trás um comparativo entre o megalodon, o tubarão-branco e um humano adulto.
Ilustração faz um comparativo entre o megalodon, o tubarão-branco e um humano adulto.

Um tubarão de 18 metros de comprimento precisaria de uma enorme quantidade de alimentos. Um predador tão grande causaria enormes prejuízos nos ecossistemas marinhos, isso é algo que a indústria da pesca comercial provavelmente notaria. Os predadores marinhos gigantes também deixam marcas reconhecíveis nos ossos roídos das carcaças. E nenhuma dessas evidências veio à tona, ainda.

O que causou a sua extinção

Alguns pesquisadores acreditam que a extinção do grande tubarão iniciou-se por volta da metade Mioceno. Isso coincidiu com dois grandes eventos, em um contexto em que houve uma queda na diversidade de baleias, e a evolução de uma forte concorrência para o o grande predador: os tubarões-brancos, que caçavam como as orcas da atualidade.

O período em que o megalodon sumiu coincide com a diminuição no número de baleias grandes e um número cada vez maior de predadores com os quais os jovens tinham que lutar para conseguir comida suficiente para sobreviver. Havia menos comida para um grupo de predadores que dependiam de presas quentes e gordurosas. Quando as presas disponíveis começaram a diminuir em número, o tubarão-branco parece ter se saído melhor.

Ainda há poucos dados a cerca desse tão temido predador da antiguidade. A maior parte do que se sabe sobre o maior tubarão que já existiu vem dos dentes, da vértebra ocasional e de algumas marcas de mordidas em outros animais. A única certeza que se pode ter é de que esse enorme tubarão está extinto.

Perguntas frequentes sobre o megalodon

O megalodon existe ainda?

Cientistas estão certos de que o megalodon não existe mais em nossos oceanos.

Qual era o tamanho do megalodon?

Um estudo publicado na revista Scientific Reports chegou à conclusão de que o animal podia medir até 18 metros de comprimento e chegar a um peso total de 48 toneladas. Nenhum tubarão ou outro peixe conhecido atualmente é tão grande.

Quantos quilos ele comia por dia?

Pensa-se que ele comia 2.500 quilos (2,5 toneladas!) de comida por dia.

Megalodon tinha sangue frio?

A maioria dos peixes é exclusivamente de sangue frio, mas ele pode ter sido como os grandes tubarões-brancos de hoje, que são considerados parcialmente de sangue quente por causa do calor que geram enquanto nadam. Isto teria permitido que o megalodon caçasse em águas mais frias.

Megalodons viveram com os dinossauros?

Apesar dos megalodons e dinossauros estarem ambos extintos, eles nunca coexistiram. Os dinossauros morreram há cerca de 66 milhões de anos. Os megalodons surgiram mais tarde. Os fósseis mais antigos são do Mioceno, de 23 milhões de anos atrás.

Onde encontrar fósseis de megalodon?

Restos fósseis foram encontrados ao largo da costa de todos os continentes, exceto da Antártica. Entre 2007 e 2009, pesquisadores coletaram vários dentes juvenis nas águas ao largo da costa do Panamá. Eles acreditam que esta era uma antiga área de berçário.

Como sabemos que o megalodon existiu?

Como os tubarões não têm ossos, a maior parte do que sabemos sobre eles vem de seus grandes dentes fossilizados. O maior dente já encontrado têm três vezes o tamanho do dente médio de um grande tubarão-branco moderno.

Qual era o tamanho da boca do megalodon?

Com uma boca de quase 3 metros de largura, ele pode ter sido o dono da mordida mais poderosa de todos os tempos.

RELACIONADO

Discussion about this glossary

PROPAGANDA

destaques da semana