Fóssil é o registro da vida antiga preservada em rocha. Quase todos os organismos vivos podem se tornar fósseis, mas geralmente apenas as partes duras das plantas e dos animais fossilizam. Órgãos internos, músculos e pele deterioram-se rapidamente e raramente são preservados, mas os ossos e as conchas são bons candidatos à fossilização. Por conta disso, quase não existe registro fóssil de organismos moles, como água-viva ou vermes.

Fósseis de animais terrestres são mais escassos. Para serem fossilizados, os animais devem morrer em um ambiente aquoso e enterrados na lama e no lodo. Por esse motivo, a maioria dos animais terrestres nunca tem a chance de serem fossilizados, a menos que morram ao lado de uma fonte de água. Podem ter havido todo o tipo de animais terrestres para os quais nenhum registro fóssil foi descoberto. Talvez nunca saibamos quão diversos esses animais eram.

Por exemplo, os restos de um dinossauro precisam ter sido enterrados antes que se decomponham completamente. As condições do enterro devem então ser adequadas para que os restos deixem uma impressão ou tenham seu material orgânico substituído por minerais. Finalmente, os fósseis devem sobreviver a milhões de anos de pressão, elevação e erosão, para que voltem à superfície. Por isso, pesquisadores valorizam tanto os fósseis encontrados.

esqueleto de dinossauro
Imagem: heimseiten_WebdesignKoeln/Pixabay

Como o fóssil se forma

Um fóssil pode se formar de várias maneiras diferentes. No entanto, a maioria é formada através da petrificação.

Petrificação

A petrificação ocorre quando uma planta ou animal morre em um ambiente aquoso e é enterrado na lama e no lodo. Os tecidos moles se decompõem rapidamente, deixando os ossos duros ou as conchas para trás. 

Com o tempo, os sedimentos se acumulam por cima e endurecem em rocha. À medida que os ossos decaem, os minerais se infiltram na substituição do material orgânico, célula por célula, em um processo chamado petrificação. Alternativamente, os ossos podem deteriorar-se completamente deixando um molde do organismo. O espaço vazio pode então se encher de minerais, fazendo uma réplica de pedra do organismo.

O que são fósseis
Lado direito da cabeça do mais completo dinossauro encouraçado já descoberto, um nodossauro. O espécime foi encontrado em uma mina da companhia de energia Suncore próxima à cidade de Drumheller, Alberta. Imagem: National Geographic

Âmbar

Fósseis podem se formar de maneiras incomuns. Por exemplo, Insetos podem ficar presos na seiva das árvores. Eventualmente, a seiva endurece e forma o material semiprecioso chamado âmbar. Em alguns pedaços de âmbar, os restos sepultados de organismos podem ser encontrados.

O que são fósseis
Um inseto preservado em âmbar. Imagem: Pixabay

Erupções

Erupções vulcânicas também podem formar fósseis quando os animais ficam presos nos fluxos de cinzas quentes. Nesse caso, o fóssil é um buraco na forma do animal.

Um exemplo desse tipo de fossilização é Pompeia. Pompeia é um grande sítio arqueológico localizado na Itália. Na região, ficava uma cidade romana que foi soterrada por metros de cinzas, após a erupção do Monte Vesúvio, em 79 d.C. Cinzas e lama moldaram objetos e  também os corpos das vítimas, o que fez com que fossem encontradas do modo exato como foram atingidas pela erupção.

Sitio arqueológico de Pompeia
Imagem: Sijocssr/Pixabay

AVISO: Esta publicação é de divulgação e educação sobre temas relacionados à saúde e não substitui o acompanhamento profissional de um médico, psicólogo, nutricionista ou outro especialista.

PROPAGANDA

Últimas matérias

Próximo Post