Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Espadartes estão esfaqueando e matando tubarões no mar Mediterrâneo

Espadartes estão atacando tubarões no Mar Mediterrâneo
(Paulo Oliveira / Alamy)

Espadartes e tubarões são predadores que habitam, muitas vezes, os mesmos ambientes. Contudo, acreditava-se que normalmente os espadartes tendiam a evitar conflitos com os tubarões. Acontece que em algumas regiões do mar mediterrâneo os espadartes estão atacando e matando tubarões.

Em abril de 2020 uma fêmea de tubarão do gênero Alopias sp. foi encontrada morta nas praias do Líbano. Todavia, a parte estranha é que o tubarão continha um único machucado: a ponta de um bico de espadarte fincada na parte de trás da cabeça. Esse não foi o único caso do tipo. Diversos tubarões, sobretudo nessa região, foram encontrados mortos nas mesma situações.

Esses ataques de espadartes podem ser os primeiros indícios do que eram, até pouco tempo, apenas histórias de pescadores. Esses animais provavelmente estão usando os bicos em ataques de alta velocidade. Há indícios, aliás, que o peixe responsável por atacar a fêmea de Alopsias no Líbano era um animal jovem, medindo em torno de 3,5 metros.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Um peixe com uma espada, literalmente

Por mais que possa não parecer, os espadartes podem ser animais gigantes, atingindo até os 4,5 metros. Esses peixes caçam geralmente lulas e peixes como o atum. Entretanto, esses predadores podem ter um comportamento violento e já foram registrados ataques a baleias, tartarugas e até barcos. Acredita-se, contudo, que os espadartes possam confundir outros animais com as suas presas e, por isso, acabam atacando.

Os casos dos tubarões atacados, porém, são mais numerosos. Além do mais, a maioria das feridas causadas pelo bico estão em regiões vitais do tubarão, como a cabeça ou as brânquias. Acredita-se que possa haver um motivo complexo para esses ataques, e há duas possibilidades.

As brânquias e a cabeça dos tubarões são bastante sensíveis. Desse modo, essas regiões são alvos dos espadartes (Imagem por Christel SAGNIEZ from Pixabay)

Por que os espadartes estão atacando tubarões?

Os espadartes podem estar atacando para se defender ou para eliminar competidores.

A resposta tem a ver com ecologia. Como dito antes, os tubarões e espadartes vivem nos mesmos ambientes e, muitas vezes, têm as mesmas presas. Conquanto, quando há presas o suficiente para espadartes e tubarões o ambiente tende a ficar estável. Todavia, o Mar Mediterrâneo é a base da economia pesqueira de boa parte da Europa, Ásia e África. Portanto, a indústria pesqueira tem explorado intensamente essas águas.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
A indústria pesqueira tem forte impacto no Mar Mediterrâneo (Imagem por Free-Photos from Pixabay)

Com pesca demais há menos peixes na água. Não dá tempo de ocorrer a reprodução e o número de animais cai drasticamente. Então, talvez seja por isso que os espadartes estão atacando os tubarões – para eliminar os concorrentes pela comida. Esse é um comportamento observado em outras espécies, mas está ficando cada vez mais intenso com os espadartes.

Há também a hipótese de que os espadartes estejam fazendo isso para se defender. Com a redução do número de presas, os tubarões podem estar caçando espadartes jovens. Nesse caso, a única alternativa é atacar o predador para se salvar. Não por acaso a maioria dos tubarões envolvidos são das espécies Prionace glauca e Isurus oxyrinchus. Essas espécies são oportunistas e se alimentam de peixes pequenos. Também, eles atacam nada mais nada menos que jovens espadartes, como o que atacou a fêmea de tubarão encontrada no Líbano.

Com informações de The New York Times, BGR e Forbes.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Mateus Marchetto
Publicado por

Aluno de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, professor de inglês, apaixonado por ciência e divulgação científica. Me interesso principalmente pelas áreas de microbiologia, bioquímica e bioinformática.

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.