Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Quantos e quais são os planetas do Sistema Solar?

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.

quais os planetas do sistema solar
Imagem: Pixabay

Desde a descoberta de Plutão em 1930, as crianças crescem aprendendo que o sistema solar possui nove planetas. Contudo, isso mudou no final dos anos 90, quando os astrônomos começaram a discutir se Plutão era realmente um planeta ou não. Em uma decisão altamente controversa, a União Astronômica Internacional finalmente decidiu, em 2006, designar Plutão como um “planeta anão”, dessa maneira, reduzindo a lista de planetas do sistema solar para apenas oito.

Os astrônomos, no entanto, continuam procurando outro planeta possível em nosso sistema solar, após evidências matemáticas revelarem sua existência, em janeiro de 2016. Por meio das pesquisas, acredita-se que o suposto “Planeta Nove”, também chamado de “Planeta X”, tenha em torno de 10 vezes a massa da Terra e 5.000 vezes a massa de Plutão.

O que é um planeta?

Primeiramente, precisamos entender o que é classificado como planeta. De cordo com a União Astronômica Internacional, um verdadeiro planeta como um corpo que circula ao redor do Sol, sem ser satélite de outro objeto. Além disso, o aspirante a planeta deve ser grande o suficiente para ser arredondado por sua própria gravidade, mas não tão grande que comece a sofrer fusão nuclear, como uma estrela. Por fim, ele também deve ter boa parte de seus arredores livres de outros corpos em órbita. 

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Essa definição é bastante restritiva e, por isso, ajudou a isolar de maneira mais objetiva, o que deveria ou não ser considerado um planeta. No entanto, também fez surgir um problema quando os astrônomos passaram a descobrir cada vez mais objetos semelhantes a planetas no sistema solar. Plutão, por exemplo, estava entre os corpos que não cumpriram todos os requisitos e teve que ser reclassificado como um planeta anão.

Sendo assim, uma série de características motivaram o rebaixamento de Plutão, tais como seu tamanho pequeno e sua órbita incomum. Por fim, o ex-planeta também tem diversos detritos em seus arredores, compartilhando seu espaço. Ainda assim, o rebaixamento de Plutão permanece polêmico entre a comunidade cientifica.

Os planetas do sistema solar

Dessa forma, temos atualmente oito planetas conhecidos em nosso sistema solar. Sendo a ordem, começando dos mais próximo do Sol para os mais distantes, a seguinte: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Enquanto isso, o Planeta Nove ainda é uma possibilidade, porém há controvérsia ao seu em torno. O mesmo vale para Plutão.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Planetas terrestres

Os quatro planetas mais próximos do Sol, Mercúrio, Vênus, Terra e Marte, são freqüentemente chamados de “planetas terrestres” porque suas superfícies são rochosas. Plutão também tem uma superfície rochosa, embora congelada.

Planetas gasosos

Por outro lado, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno são chamados de planetas gasosos, pois são compostos principalmente de gases como hidrogênio, hélio e amônia. Ainda assim, astrônomos acreditem que alguns ou todos eles possam ter núcleos sólidos. 

Ao mesmo tempo, Urano e Netuno também ganharam ainda outro apelido: gigantes de gelo. Isso porque ambos possuem mais água atmosférica e outras moléculas formadoras de gelo, como metano, sulfeto de hidrogênio e fosfeno. Assim sendo, esses componentes cristalizam em nuvens, devido às condições frias dos planetas. Agora, vamos conhecer um pouco mais desses planetas a seguir.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Mercúrio

Mércurio
Imagem: Pixabay
DescobertaMércurio foi descoberto pelos antigos gregos, visto que é visível a olho nu
NomeO planeta foi nomeado por conta do mensageiro dos deuses romanos
Diâmetro4.878 km
Órbita88 dias terrestres
Dia58,6 dias terrestres

Primeiramente, temos Mercúrio, que é o planeta mais próximo do Sol, além de ser o menor, apenas um pouco maior que nosso  satélite, a Lua. Como está muito perto do Sol, o planeta experimenta mudanças drásticas nas temperaturas diurnas e noturnas: as diurnas podem atingir um escaldante 450 ° C, enquanto no lado noturno, as temperaturas caem para – 180 C.

Além disso, a atmosfera de Mercúrio é bastante fina, sendo composta por oxigênio, sódio, hidrogênio, hélio e potássio. Dessa forma, ela não pode quebrar os meteoros que chegam ao planeta, então a superfície do planeta é marcada por crateras, assim como a Lua. 

Vênus

Planeta do  sistema solar: Vênus
Imagem: Pixabay
DescobertaVênus também foi descoberto pelos antigos gregos, já que é outro planeta visível a olho nu
NomeSeu nome vem da deusa romana do amor e da beleza
Diâmetro12.104 km
Órbita225 dias terrestres
Dia241 dias terrestres

Em seguida, temos o segundo planeta do sistema solar, Vênus, que também é chamado gêmeo da Terra. Todavia, embora tenham suas similaridades, gêmeos é uma descrição um tanto exagerada para os dois planetas. Esse apelido surgiu porque imagens de radar revelaram que, sob a sua atmosfera, a superfície de Vênus possui várias montanhas e vulcões. Mas, fora isso, os dois planetas não poderiam ser mais diferentes.

Devido à sua atmosfera tóxica e espessa, feita de nuvens de ácido sulfúrico, Vênus é um exemplo extremo do efeito estufa. É escaldante, ainda mais quente que Mercúrio. Dessa maneira, a temperatura média na superfície de Vênus é de 465 C. Outra curiosidade é que, estranhamente, Vênus gira lentamente de leste a oeste, na direção oposta da maioria dos outros planetas.

Terra 

Planeta do  sistema solar: Terra
Imagem: Pixabay
Diâmetro12.760 km
Órbita365,24 dias
Dia23 horas, 56 minutos

Enfim, chegamos ao terceiro planeta do sistema solar, a Terra. Nosso planeta também é chamado de “Planeta Água”, pois tem grandes extensões de águas. Além disso, a Terra é o único planeta que abrigar vida, que se tem conhecimento. Uma das razões, além das já citadas águas, é certamente sua atmosfera rica em nitrogênio e oxigênio.

Marte

Marte
Imagem: Pixabay
DescobertaAssim como os planetas anteriores, Marte também foi descoberto pelos antigos gregos e é visível a olho nu
NomeO nome foi dado por conta do deus romano da guerra
Diâmetro6.787 km
Órbita687 dias terrestres
Diapouco mais de um dia da Terra (24 horas, 37 minutos)

Logo depois, temos Marte. O quarto planeta do sistema solar é um lugar frio, desértico e coberto de poeira. Essa poeira é feita de óxidos de ferro, dando ao planeta sua famosa cor vermelha. Ainda assim, Marte compartilha algumas semelhanças com a Terra: é rochoso, tem montanhas, vales e desfiladeiros, além de sistemas de tempestades.

Assim sendo, evidências científicas substanciais sugerem que Marte, há bilhões de anos atrás, era um mundo muito mais quente e úmido. De acordo com pesquisas, rios e talvez até oceanos possam ter existido. Em 2018, os cientistas revelaram ter encontrado evidências de um lago líquido sob a superfície da calota de gelo no pólo sul do Planeta Vermelho.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Júpiter

Júpiter
Imagem: Pixabay
DescobertaJúpiter é mais um planeta descoberto pelos gregos e que é visível a olho nu
Nomeo governante dos deuses romanos
Diâmetro139.822 km
Órbita11,9 anos terrestres
Dia9,8 horas terrestres

Em seguida, temos Júpiter, que é o planeta mais massivo do nosso sistema solar, possuindo mais que o dobro da massa que todos os outros planetas juntos, de acordo com a NASA. Além disso, suas nuvens rodopiantes são coloridas devido a diferentes tipos de gases. Júpiter também tem um forte campo magnético e, com 75 luas, parece um sistema solar em miniatura.

Saturno

Saturno
Imagem: Pixabay
DescobertaSaturno é o último dos planetas visível a olho nu e do qual os gregos já tinham ciência
NomeadoSeu nome vem do deus romano da agricultura
Diâmetro120.000 km
Órbita29,5 anos terrestres
Diacerca de 10,5 horas terrestres

O sexto planeta do sistema solar, Saturno, é mais conhecido por seus anéis, formados por gelo e rocha. No entanto, os cientistas ainda não sabem ao certo como eles se formaram. Saturno é um planeta gasoso, composto principalmente por hidrogênio e hélio. Assim como Júpiter, ele também possui numerosas luas.

Urano

 Urano
Imagem: Pixabay
DescobertaUrano foi descoberto em 1781 por William Herschel
NomeO nome vem da personificação do céu no mito grego
Diâmetro51.120 km
Órbita84 anos terrestres
Dia18 horas terrestres

Logo após, chegamos a Urano. O planeta tem nuvens feitas de sulfeto de hidrogênio, a mesma substância química que faz com que os ovos podres cheirem tão mal. Enquanto isso, o metano na atmosfera, dá a Urano seu tom azul esverdeado.

O sétimo planeta do sistema solar, gira de leste para oeste, como Vênus. Porém, diferentemente de qualquer outro planeta, seu equador está quase em ângulo reto com sua órbita, ou seja, é basicamente uma órbita de lado. Por isso, astrônomos acreditam que um objeto com o dobro do tamanho da Terra colidiu com Urano, há cerca de 4 bilhões de anos, causando sua inclinação. Essa inclinação é responsável pelas peculiares estações do planeta, que duram mais de 20 anos. Além disso, o Sol bate de um polo a outro por 84 anos terrestres por vez.

Pensa-se também que a colisão jogou pedras e gelo na órbita de Urano. Mais tarde, essas se tornaram algumas das 27 luas do planeta. Vale destacar ainda, que Urano também possui 13 conjuntos de anéis fracos.

Netuno

 Netuno
Imagem: Pixabay
DescobertaEm 1846, dois estudiosos são responsáveis por sua descoberta: Alexis Bouvard e Johann Galle 
NomeO nome é do deus romano da água
Diâmetro49.530 km
Órbita165 anos terrestres
Dia19 horas terrestres

Em seguida, chegamos ao último planeta oficial do sistema solar. Netuno é do tamanho de Urano, mas é conhecido por ventos fortes supersônicos. O planeta está cerca de 30 vezes mais distante do Sol que a Terra. Além disso, Netuno é pelo menos 17 vezes mais massivo que a Terra e possui um núcleo rochoso.

Ademais, Netuno foi o primeiro planeta encontrado pela matemática, antes de ser detectado visualmente. Por conta de irregularidades na órbita de Urano, o astrônomo francês Alexis Bouvard inferiu que outro planeta poderia estar exercendo um puxão gravitacional. Em contrapartida, o astrônomo alemão Johann Galle usou cálculos para achar o planeta com um telescópio. Como resultado, o estudioso encontrou Netuno.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Plutão (planeta anão)

Plutão
Imagem: Pixabay
DescobertaFoi descoberto em 1930 por Clyde Tombaugh
NomeSeu nome vem do deus romano do submundo
Diâmetro2.301 km
Órbita248 anos terrestres
Dia6,4 dia da Terra

Mesmo reclassificado, vale a pena destacar Plutão. O antigo nono planeta do sistema solar é menor que a lua da Terra. Além disso, sua órbita é altamente elíptica, caindo dentro da órbita de Netuno em alguns pontos. Como vimos anteriormente, essas são algumas das características que causaram seu rebaixamento para planeta anão.

Plutão é um paneta-anão frio e rochoso, coberto por geleiras. De acordo com cientistas, é possível que até seus vulcões criem erupções de lava gelada, composta por água, metano e amônia.

Planeta Nove?

Por fim, em 2016, os pesquisadores Mike Brown e Konstantin Batygin, do Instituto de Tecnologia da Califórnia, propuseram a possível existência de um nono planeta. Estima-se que o Planeta Nove tenha cerca de 10 vezes a massa da Terra e orbite o Sol entre 300 e 1.000 vezes mais que nosso planeta.

Ainda que os cientistas não tenham visto o Planeta Nove, eles deduziram sua existência por seus efeitos gravitacionais em corpos no Cinturão de Kuiper, uma região à margem do sistema solar que abriga rochas geladas que sobraram do nascimento do sistema solar. Dessa forma, a pesquisa é baseada em modelos matemáticos e simulações em computadores, além de utilizar observações de outros seis objetos menores do Cinturão de Kuiper, com órbitas alinhadas de maneira semelhante.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Contudo, uma hipótese recente sugere que o Planeta Nove pode não ser realmente um planeta. Jaku Scholtz, da Universidade de Durham, e James Unwin, da Universidade de Illinois, especulam que poderia ser um buraco negro primordial, que se formou logo após o Big Bang.

Ao contrário dos buracos negros que se formam a partir do colapso de estrelas gigantes, acredita-se que os buracos negros primordiais tenham se formado a partir de perturbações gravitacionais menos de um segundo após o Big Bang.

Adriana Tinoco
Publicado por

Adriana Tinoco de Vasconcelos, a.k.a Dri Tinoco, é graduada em Letras pela UERJ e atua como redatora web, revisora de textos, podcaster e youtuber.

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Sociedade & Cultura

O povo Tsimane é uma tribo indígena amplamente isolada que vive na Amazônia boliviana.  Estas pessoas levam uma vida muito diferente da nossa. E eles...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...