Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Por que insetos gigantes não existem mais no planeta Terra?

Insetos gigantes, hoje, estão somente em filmes de terror ou ficção científica. No entanto, é legítimo questionar por que eles não existem mais. Atualmente, eles são muito pequenos e até minúsculos, mas por quê?

Hoje, o maior inseto do mundo é o Attacus atlas, uma mariposa nativa da Índia. Na verdade, suas asas medem até 30 cm de largura. Já o maior inseto terrestre é o Titanus giganteus, um besouro que vive na floresta amazônica. O corpo do maior espécime tem 16,7 cm de comprimento.

Por que não existem insetos gigantes mais?

Existem duas razões pelas quais não existem insetos gigantes na Terra hoje. Lembre-se de que os insetos são artrópodes, ou seja, possuem um corpo mole circundado por um esqueleto externo. Por dentro, infelizmente não têm suporte contra a gravidade. No caso de um tamanho reduzido, não há problema. Por outro lado, as tensões aumentam proporcionalmente com o tamanho e a massa dos insetos.

Continua depois da publicidade

Efetivamente, o peso dos órgãos dentro de seu corpo está em equilíbrio com as forças de superfície. Portanto, não é surpreendente que não existam insetos gigantes hoje, já que a gravidade poderia esmagar seus órgãos.

Outra limitação: o sistema respiratório dos insetos

Os insetos não têm pulmões, nem guelras, nem circulação sanguínea. Em outras palavras, o ar circula livremente em seu corpo, entrando e saindo por pequenos orifícios (espiráculos). Esses orifícios são conectados por traqueias que atuam como tubos. No entanto, essa rede deve ser maior no caso de um organismo maior, devido às necessidades adicionais de oxigênio. Porém, nas articulações onde as pernas e o corpo se encontram, esse aumento de tamanho atinge um ponto crítico. A questão é que o tamanho dessa articulação limita o tamanho da traqueia. Isso, portanto, define o fornecimento de oxigênio e, portanto, o desenvolvimento do inseto.

E, no entanto, durante a Era Paleozóica, cerca de 300 milhões de anos atrás, havia de fato insetos gigantes. Isso inclui, por exemplo, libélulas do tamanho de uma águia ou mesmo centopéias medindo mais de um metro de comprimento. De acordo com a Science, uma concentração maior de oxigênio permitiu que os insetos atingissem dimensões mais impressionantes. Naquela época, a proporção de oxigênio no ar era de 35%, em comparação com 21% hoje.

Continua depois da publicidade
Damares Alves
Publicado por

Apaixonada pela natureza, me tornei redatora e hoje escrevo exclusivamente sobre ciência. Meu objetivo é que todos possam ter acesso a pesquisas importantes e descobertas incríveis que são realizadas todos os dias.

Comentários

Populares hoje

Plantas & Animais

Novos estudos mostram que as tarântulas habitam o planeta por mais de 120 milhões de anos.

Notícia

Os hominídeos Homo antecessor são parentes bem antigos dos Homo sapiens. Esses humanos ancestrais habitavam vastas regiões da Europa entre 1,2 milhões e 800...

Ciência

Na Paleontologia, encontrar novas peças que pertenceram a milhões de anos atrás é um dos principais objetos de estudo. No entanto, durante uma expedição...

Plantas & Animais

Um estegossauro era um tanque de guerra feito de carne e ossos. Assim como outros grupos de dinossauros com armaduras naturais, os estegossauros possuíam...