A Idade Média está tradicionalmente localizada entre a queda do Império Romano Ocidental, em 476, e o descobrimento da América, em 1492. A civilização medieval é definida por quatro características principais: a fragmentação da autoridade política e o declínio da noção de Estado; uma economia predominantemente agrícola; uma sociedade dividida entre uma nobreza militar, que possui a terra, e uma classe camponesa subjugada; e, finalmente, um sistema de pensamento fundado na fé religiosa e definido pela Igreja Cristã.

Por mais que a Idade Média seja rotulada como algo singular, como se fosse a indicação de uma única era, ela é, na verdade, composta de diversas fases ou sub-eras cronológicas distintas, onde inúmeros eventos aconteceram nesse longo período de tempo.

Historiadores dividiram a Idade Média em três períodos: Primeira Idade Média, Alta Idade Média e Baixa Idade Média.

Primeira Idade Média

A Primeira Idade Média é conhecida por alguns historiadores como a Idade das Trevas, porque ela promoveu uma transformação cultural forte, onde a influência do Império Romano foi se deteriorando e abrindo espaço para uma cultura baseada no poder da Igreja Católica. Alguns estudiosos modernos que estudaram o período não usam muito esse rótulo, pois ele pode interferir na compreensão verdadeira da cultura do povo da época.

O período também é conhecido como uma Antiguidade Tardia, que se iniciou no século 3 e se estendeu até o século 7. Alguns estudiosos veem a Antiguidade Tardia como distinta e separada tanto do mundo antigo quanto do medieval; outros a veem como uma ponte entre os dois.

Alta Idade Média

A Alta Idade Média é o período que a mais caracteriza no geral, pois ele mostra o que frequentemente pensamos quando falamos da cultura medieval. Essa época foi marcada por eventos significativos, como as conquistas normandas na Grã-Bretanha e na Sicília, as Cruzadas e a Carta Magna.

No final dessa era, quase todos os países da Europa haviam se cristianizado, e o papado que havia se estabelecido como uma força política, estava frequentemente lutando contra governos seculares, enquanto formava alianças com outros.

Nessa época também houve um renascimento intelectual notável, com filósofos como Pedro Abelardo e Tomás de Aquino, além do estabelecimento das universidades de Paris, Oxford e Bolonha, junto de um grande número de construção de castelos de pedra e catedrais na Europa.

Nessa era também teve o feudalismo fortemente estabelecido na Grã-Bretanha e partes da Europa, onde o comércio de itens de luxo e produtos básicos aumentou, e as cidades foram estabelecidas de novo por senhores feudais.

Baixa Idade Média

A Baixa Idade Média marca o fim do período, quando ela começou a se tornar mais moderna entre os anos de 1500 a 1650. Alguns estudiosos podem datar que ela começou a decair em 1300 ou a partir da metade do século XV.

Esse período foi marcado pela Guerra dos Cem Anos, O Papado de Avignon, a Peste Negra, a Revolta dos Camponeses e a Renascença italiana. O século XV teve a Joana d’Arc sendo queimada na fogueira, a queda de Constantinopla, os mouros sendo expulsos da Espanha, a Guerra das Rosas e a viagem de Colombo ao Novo Mundo.

Já no século XVI foi destruído pela Reforma e abençoado pelo nascimento de Shakespeare, e o século XVII, que nem sempre é incluído na era medieval, teve o Grande Incêndio de Londres, caça às bruxas e a Guerra dos Trinta Anos.Mesmo com a divisão, você poderá encontrar datas diferentes para o início e fim da Idade Média, além de achar historiadores que consideram que ela só teve dois períodos. De qualquer forma, é interessante estudá-la mais a fundo para definir eventos que marcaram cada período.

AVISO: Esta publicação é de divulgação e educação sobre temas relacionados à saúde e não substitui o acompanhamento profissional de um médico, psicólogo, nutricionista ou outro especialista.

PROPAGANDA

Últimas matérias

Próximo Post