Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Baleias-francas se abraçam em gravação feita por drone

Em uma pesquisa para avaliar a saúde de baleias-francas pesquisadores registraram em vídeo um abraço entre dois desses cetáceos.

Baleias-francas se abraçam em gravação feita por drone
Pesquisadores registraram estas imagens de um abraço entre duas baleias-francas no começo desse ano. Imagem: Itprax/Pixabay

As baleias-francas-do-atlântico-norte são as baleias mais ameaçadas no mundo. Com algo em torno de 400 indivíduos no mundo todo, a espécie corre sérios riscos de extinção ainda nos próximos anos. Essa situação provém da pesca baleeira ao longo de todo o século 20 e também da poluição dos mares nos últimos 50 anos.

Contudo, pesquisadores registraram no começo desse ano um vídeo inusitado de duas baleias-francas se abraçando. Brian Skerry e uma equipe de cientistas da Instituição Oceanográfica de Woods Hole em parceria com o Aquário de New England registraram com o auxílio de um drone as imagens abaixo.

Skerry e a equipe foram ao mar no dia 28 de fevereiro desse ano para registrar dados das baleias, como tamanho estimado, lesões aparentes ou qualquer relação social entre os animais. Esse tipo de pesquisa acontece frequentemente na Baia de Cape Cod, no Oceano Atlântico que banha a costa do estado de Massachusetts. Isso porque a região é uma área conhecida de reprodução desses animais e, portanto, também uma fonte de dados essencial sobre esses cetáceos.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Os animais presentes no vídeo são dois machos e ainda assim pesquisadores acreditam que o abraço possa ter alguma relação com a reprodução dos animais. A equipe responsável pelas imagens, ademais, declarou que esse comportamento de nado “barriga-a-barriga” provavelmente indica afeição e um comportamento amistoso entre os animais.

Hábitos sociais das baleias-francas

Outras baleias como orcas e jubartes são animais altamente sociais. Esses grandes mamíferos podem defender outros indivíduos de seu grupo e mesmo ter manifestações de satisfação ou felicidade.

Contudo, muitos cientistas de comportamento animal afirmam que é preciso ter cuidado com a interpretação desse tipo de evento. Isso porque nós, humanos, tendemos a projetar nossos sentimentos e reações em outros animais. Um tamanduá-mirim, por exemplo, tem uma postura característica de defesa com os braços abertos que parece uma criança pedindo colo. Isso, contudo, não quer dizer que o animal esteja realmente querendo colo.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Imagem: Alinemorais20120/Pixabay

Michelle Fournet, cientista de mamíferos marinhos afirma à National Geographic, nesse sentido, que dizer que os animais estão se abraçando pode distorcer o real (e ainda desconhecido) motivo do comportamento.

Apesar disso, as imagens cativam. Especialmente por se tratarem de animais abatidos por séculos para produzir componentes da indústria de óleo. Os autores das imagens afirmam, por conseguinte, que apesar do motivo do abraço ser um mistério, esse comportamento pacífico e gracioso mostra a importância da preservação de uma das espécies mais prejudicadas pela espécie humana ainda vivas no planeta.

Com informações de Daily Mail Online.

Mateus Marchetto
Publicado por

Aluno de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, professor de inglês, apaixonado por ciência e divulgação científica. Me interesso principalmente pelas áreas de microbiologia, bioquímica e bioinformática.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.