Connect with us

Hi, what are you looking for?

História & Humanidade

Arqueólogos anunciam incríveis descobertas na necrópole de Saqqara, no Egito

Necrópole de saqqara
Reuters photo

Arqueólogos escavando na famosa necrópole de Saqqara, no Egito, anunciaram uma lista de descobertas. Dentro de uma estrutura de 52 poços enterrados, os pesquisadores descobriram 50 caixões selados e uma passagem de 4 metros de comprimento do Livro dos Mortos. Como se isto não fosse suficiente, eles também desenterraram o templo funerário perdido da rainha Nearit, a esposa do rei Teti, o primeiro faraó da Sexta Dinastia do Egito.

Necrópole de Saqqara templo descoberto
Máscara funerária encontrada no complexo funerário de Saqqara. Crédito: Ministério do Turismo e Antiguidades

Necrópole de Saqqara, um local que não para de surpreender

Desde setembro do ano passado, foram publicadas várias notícias sobre descobertas na necrópole de Saqqara. O antigo complexo funerário egípcio que cobre uma área de cerca de 7 por 1,5 quilômetros, localizado a cerca 30 km ao sul do Cairo. Mais recentemente, a descoberta de “140 caixões selados bem dourados, bem pintados e bem decorados” acrescentou muito ao que é conhecido sobre este local, que é mais famoso por sua Terceira Dinastia Pirâmide de Djoser.

A comissão arqueológica egípcia está trabalhando na necrópole de Saqqara, na área localizada ao lado da pirâmide do rei Teti. Parecendo uma pequena colina, a pirâmide de lados lisos de Teti foi construída para o primeiro rei da Sexta Dinastia do Velho Reino. Foi inaugurada pelo arqueólogo Gaston Maspero em 1882, época em que as câmaras e corredores subterrâneos foram encontrados em excelente estado de conservação. Agora, escavando ao lado da pirâmide do rei Teti, a missão arqueológica egípcia em cooperação com o Ministério das Antiguidades e o Centro Zahi Hawass na Bibliotheca Alexandrina, anunciaram uma ardósia de tesouros antigos que remontam ao Novo Reino.

Necrópole de Saqqara caixões
Pilhas de caixões lacrados encontrados no cemitério. (Ministério do Turismo e Antiguidades)

As inúmeras descobertas

Por onde começar com tudo isso! Um relatório no Daily Sabah diz que os arqueólogos encontraram “52 poços enterrados, entre 10 e 12 metros de profundidade, contendo 50 caixões de madeira que datam do Novo Reino por volta de 3000 AEC”. Esta é a primeira vez que caixões que datam de 5.000 anos atrás foram encontrados na região de Saqqara. Além disso, entre centenas de estátuas, estelas, brinquedos, barcos de madeira e máscaras funerárias, os pesquisadores encontraram um papiro de 4 metros de comprimento representando o Capítulo 17 do Livro dos Mortos que conceitualmente ajudou o falecido a passar pelas provações enfrentadas na viagem para o outro mundo. Esta cópia do texto sagrado já foi propriedade de uma elite egípcia chamada (Pw-Kha-Ef).

O Dr. Zahi Hawass disse que estas descobertas “reescrevem a história desta necrópole”, durante o reinado dos reis guerreiros do início da 18ª e 19ª dinastias do Novo Reino, durante o qual o rei Teti foi venerado. O Dr. Hawass também anunciou a descoberta do templo funerário da esposa do rei Teti, a rainha Nearit em uma profundidade de 24 metros abaixo do nível do solo. Eles também descobriram um luxuoso santuário de tijolos de lama que remonta ao Novo Reino. A abertura da corte deste poço em particular foi pavimentada com “placas de calcário bem polidas e brilhantes”. O Ministério disse que estas descobertas confirmaram que a área de Saqqara não era usada apenas para enterros durante o Período Final, mas também durante o Novo Reino.

Continua depois da publicidade
Livro dos mortos
Seções do papiro de 4 metros de comprimento encontrado em Saqqara. (Ministério do Turismo e Antiguidades)

Um Centro Multicultural de Rituais e Rituais de Enterro

Falando de comércio de longa distância e da natureza multicultural da Saqqara, a missão encontrou cerâmica de Creta, Síria e Palestina. Muitas estatuetas e máscaras funerárias de madeira ushabti cuidadosamente esculpidas e pintadas foram desenterradas ao lado de um santuário dedicado ao deus Anubis (Guardião do Cemitério). Uma estela de calcário bem preservada foi descoberta e ela pertenceu a um homem chamado “Kha-Ptah”, o supervisor da carruagem militar do rei durante a 19ª Dinastia, e sua esposa “Mwt-em-wia”.

O Dr. Zahi Hawass confirma que estas descobertas não só reescreverão a história de Saqqara durante o Novo Reino, mas os artefatos destacam a importância na sociedade em adorar o Rei Teti durante a 19ª Dinastia do Novo Reino. E esta nova história social do complexo sagrado de sepultamento de Saqqara irá, espera-se, gerar um novo fluxo de dólares turísticos no final deste ano, quando as restrições, espera-se, se tornarem mais fáceis.

Matéria originalmente publicada em Ancient Origins. Tradução e adaptação de Damares Alves.

Continua depois da publicidade
Ancient Origins
Publicado por

Nosso objetivo é destacar as mais recentes descobertas arqueológicas, pesquisas acadêmicas e evidências revisadas por pares, além de oferecer pontos de vista alternativos e explicações sobre ciência, arqueologia, mitologia, religião e história em todo o mundo.


Populares hoje

Mente & Cérebro

Pela primeira vez, pesquisadores conseguiram estudar o momento em que a morte cerebral se torna irreversível no corpo humano, observando o fenômeno em vários...

Plantas & Animais

No fim da década passada, em 2007, cientistas russos, húngaros e norte-americanos recuperaram sementes congeladas de Silene stenophylla, enquanto avaliavam aproximadamente 70 antigas tocas...

Mundo Estranho

Esta semana moradores da cidade de Cracóvia, na Polônia teriam se trancado em casa assustados com uma ‘criatura aterrorizante’ que estaria escondida nas árvores perto...

História & Humanidade

100.000 anos atrás, um grupo de 36 neandertais caminhou ao longo de uma praia no sul da Espanha. Durante a caminhada, vários indivíduos deixaram...