Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Elo perdido na árvore genealógica dos pterossauros foi descoberto

pterossauros
Reconstituição em vida do lagerpetídeo Ixalerpeton polesinensis. (Imagem: Rodolfo Nogueira)

Quase nada se sabe sobre a árvore genealógica dos pterossauros – répteis icônicos que voaram ao lado dos dinossauros. Essas feras extintas aparecem no registro fóssil com asas já desenvolvidas e sentidos adaptados para voar. Mas os pesquisadores não têm nenhuma pista sobre sua história evolutiva imediata.

Agora, a árvore genealógica do pterossauro tem um novo ramo: um grupo enigmático de pequenos répteis conhecidos como lagerpetídeos. Eles podem ser os parentes mais próximos dos pterossauros já registrado, dizem os pesquisadores de um novo estudo.

Ao contrário dos pterossauros, entretanto, os lagerpetídeos não voam. O copesquisador Sterling Nesbitt, professor associado de geociências da Virginia Tech, relatou que o grupo de pesquisa têm uma ideia de como seria um parente de pterossauro que não voa, após essa descoberta.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Ancestrais dos pterossauros

Os primeiros fósseis de pterossauros foram descritos em 1784. Desde então, inúmeros vestígios deles apareceram datando de 220 milhões de anos durante o período Triássico até cerca de 65 milhões de anos atrás. Ou seja, até a extinção do Cretáceo.

Só que, além de saber que os pterossauros eram arcossauros (um grupo que inclui dinossauros, pássaros e crocodilos), os cientistas ainda não descobriram os ancestrais imediatos dessa espécie. Essa descoberta poderia oferecer pistas sobre como o pterossauro se tornou o primeiro vertebrado a desenvolver um voo motorizado.

Logo, embora os lagerpetídeos estivessem ligados à terra, eles lançam luz sobre o voo dos pterossauros, disse Nesbitt. Os pesquisadores publicaram estudos sobre fósseis de lagerpetídeos desde 1970, porém não sabiam muito sobre o réptil estranho. Exceto que ele viveu de cerca de 237 milhões a 210 milhões de anos atrás. Além de ser provavelmente relacionado aos dinossauros.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Os dinossauros, por sua vez, apareceram primeiro há 233 milhões de anos. Essa correlação foi feita porque o membro posterior e a pélvis do lagerpetídeo eram parecidom com os de um dinossauro.

lagerpetídeo
Uma reconstrução de um esqueleto de lagerpetídeo. (Crédito da imagem: Martín Ezcurra)

Fósseis dos lagerpetídeos

Então, os pesquisadores começaram a encontrar fósseis de lagerpetídeos mais completos e em mais lugares ao redor do mundo, incluindo um “matador de insetos minúsculo” de 237 milhões de anos de Madagascar. A partir da descoberta, eles perceberam que esses animais compartilhavam mais em comum com pterossauros do que com dinossauros.

Além disso, os pesquisadores usaram uma micro-TC (tomografia computadorizada) para analisar a caixa craniana do lagerpetídeo. Portanto, os resultados mostraram os lagerpetídeos e os pterossauros com cérebros e ouvidos internos de formato semelhante.

Assim, alguns dos sistemas sensoriais especializados dos pterossauros provavelmente evoluíram antes do voo motorizado. Nesbit disse ter a ver com os canais semicirculares no ouvido e que orientam no espaço 3D. “A forma desses canais se correlaciona com a ecologia e como você move a cabeça”.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

No entanto, lagerpetídeos não são ancestrais diretos dos pterossauros. Pensando em uma árvore genealógica em forma de “Y”, os dois estão em braços diferentes do Y. Mas compartilham um ancestral comum na base.

O estudo publicado online na revista Nature fornece algumas evidências impressionantes, porém algumas questões como onde e como os pterossauros e sua capacidade de voo evoluíram permanecem obscuras. Conclui um leitor de paleobiologia da Universidade de Leicester, na Inglaterra, David Unwin.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Amanda dos Santos
Publicado por

Trabalha como redatora e produtora de conteúdo. Graduada em Comunicação Social e atua como colaboradora na SoCientífica.

Notícia

Durante o desenvolvimento embrionário, os mamíferos (a maioria deles) crescem na cavidade do útero da mãe. Esse ambiente vai se dilatando e desenvolvendo ao...

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Saúde & Bem-Estar

Os exercícios de alta intensidade de intervalos (HIIT) se tornaram populares nos últimos anos por uma série de razões. Eles não exigem tanto tempo...

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.