Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Criatura de Madagascar, o aie-aie, possui seis dedos em cada mão

(Imagem: Shutterstock)

O aie-aie é uma das criaturas mais fascinantemente bizarras da natureza. Nativo de Madagascar, este lêmure é o maior primata noturno do mundo e tem características únicas que o distinguem. Tem orelhas em forma de morcego que lhe permitem fazer eco-localizações e incisivos sempre em crescimento, ambos únicos entre os primatas.

É mais famoso pelos seus dedos excepcionalmente longos e escanzelados. Na verdade, são tão compridos que a mão do aie-aie é responsável por cerca de 41% do comprimento total do antepé.

Além disso, os animais têm um terceiro dígito altamente especializado e extremamente longo – dedos médios, se você preferir – que eles usam para encontrar comida. Eles os “batem” contra a madeira para gerar reverberações acústicas que lhes permitem encontrar larvas de madeira. Estas são depois pescadas com destreza excepcional porque o dedo pode girar como um ombro, e é tão fino que o animal o apoia habitualmente no seu quarto dedo ainda mais longo.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Meus colegas e eu recentemente encontramos mais uma especialidade única que diferencia o aie-aie dos outros primatas: um sexto dedo em cada mão.

Anteriormente indocumentado, este pequeno dígito extra – chamado de “pseudo-pedal” – é uma estrutura em cada pulso feita de osso e cartilagem. Pensamos que pode ter evoluído para ajudar o lêmure a agarrar ramos à medida que sobe pelas árvores e para o ajudar a agarrar pequenos objetos, uma vez que os seus outros dedos se tornaram tão longos e específicos.

A descoberta

Nos meus estudos de primatas, sempre quis examinar a excepcional estrutura das mãos dos aie-aie e recentemente consegui dissecar alguns espécimes para o fazer.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Pouco se sabe sobre o tamanho real da população deles, mas são difíceis de encontrar e uma perda em grande escala do seu habitat sugere um declínio populacional.

Meus colegas e eu dissecamos seis espécimes adultos e um imaturo. É claro que nenhum animal foi sacrificado para os propósitos deste estudo. Três espécimes foram criados em cativeiro, adquiridos no Duke Lemur Centre, nos EUA. Três eram adultos nascidos na natureza, alojados nas coleções do Muséum National d’Histoire Naturelle, em Paris. Um era um adulto nascido em estado selvagem no Parque Botânico e Zoológico Tsimbazaza, em Anatananarivo, Madagáscar.

Foram realizadas dissecações para analisar a anatomia da mão e do pulso. Uma sétima peça foi usada para criar uma reconstrução digital destas estruturas anatômicas após ressonância magnética e segmentação manual – uma técnica semelhante a um exame médico que permite a visualização da anatomia em três dimensões em um espaço digital.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

A nossa descoberta do dígito extra foi bastante acidental. Ao rastrearmos o tendão de um dos músculos do antebraço, passando pelo pulso e entrando na mão, ele se dividiu inesperadamente em duas direções e o menor trecho se estendeu até uma estruturazinha estranha perto do polegar.

Vista das estruturas em (a) volume de ressonância magnética da mão direita do aie-aie (b) superficial e (c) dissecções profundas. 
Azul = tendão do palmar longo. (Imagem: autor)

Quando examinamos a estrutura mais adiante, notamos um pequeno osso e uma extensão cartilaginosa que foram movidos em diferentes direções por três músculos diferentes. Percebemos que a pequena estrutura era um “pseudo polegar”. Tinha até a sua própria impressão digital!

Todos os exemplares de aie-aie observados durante este estudo mostraram este conjunto completo de estruturas anatômicas em cada mão: não é apenas uma anomalia, mas é claramente uma característica típica da espécie.

Qual a razão do dedo adicional?

É bastante misterioso que ninguém tenha notado o dedo antes, mas isso pode ser porque ele está, na sua maioria, embutido na parte carnuda da mão e, portanto, fácil de não notar. Também pode ser que os dedos longos distraiam tanto que os anatomistas nunca notaram esta pequena estrutura.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Coletivamente, os músculos associados com o pseudo dedo indicador estão posicionados para permitir a adução (movendo-o em direção ao polegar), abdução (afastando-o do polegar) e oposição (movendo-o através da palma da mão em direção ao dedo mindinho). Essencialmente, ele se move da mesma forma que o polegar real.

Meus colegas e eu propomos que existem três cenários evolutivos para o porquê da existência do pseudo polegar.

Primeiro, um pseudo polegar pode aparecer em espécies em que o polegar se tenha tornado apenas mais um dedo. Foi o que aconteceu com os primeiros ursos: eles perderam a necessidade de um polegar colado ao meio, pois isso só atrapalharia o caminho enquanto o animal caminhava.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Segundo, os pseudodígitos podem surgir se o animal precisar realmente de mãos largas para escavar ou nadar – como no caso de algumas toupeiras.

Finalmente, um pseudodígito pode se desenvolver quando a mão se tornou hiperespecializada, no qual a sua evolução pode facilitar uma maior destreza manual. Este cenário parece explicar a presença de um pseudodígito no aie-aie.

Sugerimos que as adequações na mão do aie-aie resultaram na perda da destreza do punho, e por isso o pseudo polegar pode ajudar a lidar com isso.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Escrito por Adam Hartstone-Rose para o The Conversation. Direitos reservados.

The Conversation
Publicado por

The Conversation é uma fonte independente de notícias e pontos de vista da comunidade acadêmica e de pesquisa, entregues diretamente ao público.

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.

Mente & Cérebro

Nas últimas décadas, inúmeras pesquisas mostraram a relação entre amamentação e a saúde da criança. Sabe-se, por exemplo, que a amamentação ajuda no desenvolvimento...

Planeta & Ambiente

Nukumi, uma grande fêmea de tubarão-branco marcada no ano passado está cruzando o Atlântico já faz dois meses. De acordo com especialistas, ela pode estar...