Connect with us

Hi, what are you looking for?

Mundo Estranho

Quantas pessoas seriam necessárias para a humanidade sobreviver a um apocalipse?

De vírus zumbis a guerras nucleares, muito se teoriza e se vê na cultura pop sobre um possível apocalipse. Mas nesse caso, quantas pessoas sobreviveriam?

Quantas pessoas seriam necessárias para a humanidade sobreviver a um apocalipse?
Entenda como um apocalipse poderia acontecer e quantas pessoas sobreviveriam a ele. Imagem: Elliot Alderson / Pixabay

Ficções sobre apocalipses diversos são abundantes pela cultura pop. Desde “A Guerra dos Mundos”, de H.G Wells, até Vingadores, o fim da humanidade é um tema que chama a atenção. De fato, há algumas formas de um apocalipse realmente acontecer hoje, e a pandemia da Covid-19 só deixou isso mais evidente. Nesse sentido, vamos supor por um momento que um evento assim acontecesse. Quantas pessoas, poderiam sobreviver, se alguma?

Diversos apocalipses já aconteceram, na verdade. Em um deles a Terra virou uma bola de neve gigante, tão fria que matou 99% das espécies do planeta. Ainda assim, esse 1% se recuperou ao longo de milhões de anos e deu origem a toda a biodiversidade que temos hoje. Então a vida em si pode ser um pouco mais resistente do que se imagina.

Imagem: JL G/Pixabay

Contudo, a sociedade humana talvez não seja. Uma guerra nuclear poderia facilmente levar o planeta a um inverno nuclear. Sem recursos básicos como alimento, água potável, abrigo e comunicação, a humanidade provavelmente ficaria restrita a pequenas tribos que conseguissem uma fonte desses recursos. Nesse caso, portanto, pessoas mais próximas desses recursos teriam mais possibilidade de sobrevivência.

A crise climática global também assusta no quesito extinção da humanidade. Se a perda de hábitats e emissão de gases poluentes continuar nesse ritmo, o trópicos do planeta tenderiam a ficar inabitáveis. Isso porque essas regiões recebem uma incidência mais direta de luz solar. Assim, os indivíduos de regiões polares encontrariam climas mais amenos e provavelmente alguns milhões sobreviveriam.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

O apocalipse da consanguinidade

No caso de um microrganismo mais mortal que o Sars-CoV-2, por outro lado, a situação fica mais complicada. Isso porque apenas lugares que não tiveram contato nenhum com a doença estariam a salvo. Candidatos fortes seriam a Nova Zelândia e Groenlândia. Isso deixaria alguns milhares de humanos no planeta, talvez até menos.

Contudo, há um número mínimo de humanos que precisariam sobreviver para repovoar o planeta. Esse número, assim, é definido pela consanguinidade. Ou seja, em uma população muito pequena, as relações consanguíneas aumentariam cada vez mais, gerando descendentes com doenças genéticas.

Imagem: DeSa81/Pixabay

Para os humanos, estimativas mostram que o número crítico para evitar problemas com consanguinidade seria próximo de uma centena. Estudos teorizando uma viagem a Próxima Centauri B, por exemplo, mostram que ao menos 500 humanos deveriam embarcar em uma nave para assegurar a diversidade genética da espécie.

Mateus Marchetto
Publicado por

Aluno de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, professor de inglês, apaixonado por ciência e divulgação científica. Me interesso principalmente pelas áreas de microbiologia, bioquímica e bioinformática.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.