Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Fóssil de papagaio gigante é encontrado na Nova Zelândia

É o maior já encontrado.

Heracles inexpectatus no chão da floresta, com três pequenas carriças em seus pés. (Imagem: Brian Choo)

Dê olá a Heracles inexpectatus, um papagaio do tamanho de uma criança humana. Mas não se preocupe, você não vai encontrá-lo pessoalmente. A nossa nova descoberta, publicada hoje, viveu há cerca de 20 milhões de anos no que é hoje a Nova Zelândia – juntando-se à rica coleção de espécies de aves notáveis dessas ilhas.

Heracles (mais conhecido por Hércules) era realmente um gigante entre os pássaros. Tinha cerca de 1m de comprimento, 80-90cm de altura e pesava cerca de 7kg. Isso o torna do mesmo tamanho de um dodo, e muito maior do que seu primo moderno, o kākāpō. Sem surpresas, dado o seu peso, provavelmente também não voava.

Ilhas são famosas por suas enormes aves, talvez a que mais se destaque entre elas seja a Nova Zelândia. A sua fama a este respeito começou em 1839, quando o cientista inglês Richard Owen revelou pela primeira vez o gigantesco moa ao mundo científico. Nos anos seguintes, muitas espécies de moa foram nomeadas; agora existem nove espécies em seis gêneros, o que as torna o maior grupo de aves sem vôo do mundo.

Continua depois da publicidade

Outro gigante famoso de ilha foi o dodô das Ilhas Maurício. O dodô, agora extinto, era um pombo gigante, de tamanho igualado apenas pelo Natunaornis altirostris das Fiji.

Outras aves gigantes de ilhas agora extintas representavam versões em tamanho grande de vários tipos de pássaros conhecidos. Existiam patos gigantes, que não voavam, (Moa nalos) no Havaí, um cisne gigante, que não voava, em Malta, e dois gansos gigantes pré-históricos da Nova Zelândia. Gigantescos gaviões predadores e corujas vagueavam pelas ilhas do Caribe, atacando os roedores gigantes que também viviam ali.

Embora as ilhas, com o seu isolamento e falta de cruzamentos, sejam locais de reprodução perfeitos para criaturas de grandes dimensões, não existe um padrão que permita prever qual a família de aves que poderá gerar um gigante em qualquer ilha específica.

Continua depois da publicidade

As aves da Nova Zelândia têm sido consideradas únicas há muito tempo, pois foram elas, e não os mamíferos, que dominaram a terra. Elas incluíam um número anormalmente alto de espécies que não voavam, muitas vezes muito grandes, e a maioria não era encontrada em nenhum outro lugar além da Nova Zelândia.

Isto é exemplificado pelo kākāpō. É o papagaio vivo mais pesado, potencialmente pesando mais de 3,5 kg, e o único que não voa. É noturno, e agora ameaçado de extinção, o último membro sobrevivente da sua família, o Strigopidae.

Kākāpō, bem como a bochechuda kea alpina e kākā representam um grupo que se separou de todos os outros papagaios relativamente cedo durante a sua evolução. As catatuas eram as próximas a se ramificarem. Estes fatos sugerem que os papagaios evoluíram na região que agora é a Austrália e a Nova Zelândia. Mas sua história evolucionária exata permanece elusiva.

Continua depois da publicidade

As ramificações

Nossa equipe de pesquisa na Flinders University, na University of New South Wales e no Canterbury Museum lançou alguma luz sobre essas questões. Nossa nova pesquisa, publicada na revista Biology Letters, revela um gigante pré-histórico recém-descoberto da Nova Zelândia – o primeiro papagaio gigante conhecido.

Descobrimos Hércules na Fauna de St. Bathans, uma coleção de fósseis de 20 milhões de anos de idade no Central Otago.

Continua depois da publicidade

Ao longo dos últimos 20 anos, nossa pesquisa descobriu cerca de 40 espécies da Fauna de St Bathans, incluindo uma riqueza de fascinantes restos de pássaros pré-históricos. Estes incluem casca de ovo e fragmentos de ancestrais de moa, um pequeno kiwi, muitos patos, um par de pombos, gaviões e águias, pássaros costeiros, pássaros canoros, e várias espécies de pequenos papagaios. Crocodilianos, tartarugas, morcegos e até mesmo mamíferos terrestres raros completam este grupo eclético.

Hércules agora revela que outro gigante aviário existia nesta fauna. Pela primeira e única vez desde então, um papagaio gigante ocupou o nicho herbívoro/omnívoro em solo de floresta.

Descoberta tardia

Continua depois da publicidade

Notavelmente, os fragmentos de ossos que nos permitiram descobrir este papagaio gigante estavam num armário desde 2008, esperando pacientemente que a sua vez fosse descrita. Sabíamos que St Bathans também contém fósseis de águia de tamanho semelhante, por isso os fósseis de Hércules foram colocados na pilha de águias enquanto esperávamos para encontrar mais alguns fósseis que nos pudessem dizer mais.

Mas ao puxá-los e ter visto eles de mais perto, ficou imediatamente claro que estes não eram ossos de águia, então nós começamos a tentar descobrir o que eles eram. Os papagaios não estavam no nosso radar no início, puramente porque estes ossos eram muito maiores do que os de qualquer papagaio conhecido. Mas depois de um tempo os ossos contaram a sua história – eles eram de um papagaio, e nada mais era remotamente semelhante. Além disso, eles eram, de certa forma, bastante parecidos com o kākāpō.

E assim nasceu Heracles inexpectatus, o nome derivado da mitologia grega. Os grandes papagaios da Nova Zelândia, kea e kākā, estão no gênero Nestor. O mítico herói grego antigo Heracles, em latim conhecido como Hércules, matou Neleus e seus filhos, exceto Nestor. Portanto, é justo que este papagaio gigante, um antigo predecessor de Nestor, receba o nome de Hércules. Neleus, pai de Nestório, já tínhamos usado para o gênero dos pequenos papagaios Nelepsittacus que viviam com Heracles. O nome da espécie inexpectatus relaciona-se com a natureza totalmente inesperada da descoberta de um papagaio gigante.

Continua depois da publicidade

Então o que fazia um papagaio gigante na antiga Nova Zelândia? O que é que ele comia? Poderia ter um gosto por carne, como a kea ainda tem? Estes papagaios da montanha atacam os filhotes de petréis enterrados e são conhecidos por atacar ovelhas.

Mas na Nova Zelândia, há 20 milhões de anos, não havia ovelhas, nem grandes mamíferos. Provavelmente, como a maioria dos papagaios, Heracles comeu plantas. Seu tamanho significava que nenhuma fruta era muito grande, nenhuma noz muito difícil de quebrar. E a evidência botânica mostra que ela vivia em uma floresta subtropical rica e diversificada, onde cycadáceas, palmeiras, casuarinas e até 60 espécies de loureiros prosperaram.

Todas estas plantas teriam proporcionado uma rica recompensa para este grande papagaio. Mas nós garantimos que ele provavelmente ainda lanchava uma moa ocasionalmente, como a kea ainda faz, quando ficaram atolados em pântanos.

Continua depois da publicidade

Trevor H. Worthy é professor associado da Universidade Flinders.

Este artigo foi republicado de The Conversation sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original original.

Continua depois da publicidade
Avatar
Publicado por

O The Conversation é uma fonte independente de notícias e pontos de vista da comunidade acadêmica e de pesquisa, entregues diretamente ao público.

Comentários

Populares hoje

Física & Química

O urânio é um elemento químico famoso pela aplicação em usinas de energia nuclear e bombas atômicas. Esse elemento radioativo tem o número atômico...

Planeta & Ambiente

Os filmes de ficção científica sempre nos fazem imaginar acerca de como seria o mundo caso um alienígena usasse seus “poderes” contra os humanos....

Plantas & Animais

Resgatar um animal é uma tarefa bastante complicada. Agora, imagine ter que salvar uma manada de uma espécie de girafa em extinção, que estão...

Notícia

Há 20 mil anos, a Terra estava passando pela mais recente de suas eras glaciais. Devido a alterações na atmosfera do planeta, enormes coberturas...