Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Evento misterioso quase dizimou os tubarões há 19 milhões de anos

Imagem: Getty Images

Tubarões já passaram por várias extinções em massa, algumas das quais exterminaram muitas formas de vida. Já estão nos oceanos há pelo menos 400 milhões de anos. Mas, segundo uma pesquisa publicada na Science, uma extinção ocorrida há 19 milhões de anos quase os dizimou.

O que aconteceu é um mistério.

Seis anos atrás, a Dra. Elizabeth Sibert recebeu uma caixa de lama cobrindo aproximadamente 40 milhões de anos de história sedimentar. A argila, extraída de dois núcleos perfurados no fundo do mar do Pacífico Norte e Sul, continha dentes de peixes, escamas placóides de tubarão e outros microfósseis marinhos que a pesquisadora, equipada com um microscópio e uma escova, contou cuidadosamente.

Quase na metade de seu conjunto de dados, ela ficou surpresa ao ver uma mudança repentina no registro fóssil.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Por volta de dezenove milhões de anos atrás, a proporção de dentículos de tubarão para dentes de peixe realmente mudou dramaticamente: amostras mais antigas tendiam a conter cerca de um dentículo para cada cinco dentes (proporção de cerca de 20%), enquanto as amostras mais recentes tinham proporções próximas a 1%.

Tipos de dentículos lisos (62 e 63) e lineares (todos os outros) descritos no estudo. Aqueles marcados com um (†) estão extintos. A maioria dos tubarões modernos possui dentículos lineares. Imagem: E. Sibert e L. Rubin, Science 2021/The New York Times

De acordo com essas amostras fósseis e sedimentares, os tubarões se tornaram menos comuns no início do Mioceno. “Tínhamos muitos, depois dificilmente tínhamos mais”, observa a pesquisadora. “Esses declínios na abundância relativa e absoluta de tubarões sugerem que algo aconteceu com eles há cerca de 19 milhões de anos.”

Quase todos tubarões foram dizimados

Para entender se era mesmo uma extinção em massa, os cientistas buscaram entender se a diversidade (número de espécies) também havia diminuído.

Nesse trabalho, a Dra. Elizabeth Sibert colaborou com Leah D. Rubin do College of the Atlantic no Maine. Juntos, eles classificaram 798 dentículos do Pacífico Sul e 465 do Pacífico Norte em 80 diferentes morfologias, formas e estruturas. Eles então descobriram que cerca de 70% dos tipos de dentículos haviam desaparecido nessa época.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Os dois especialistas também analisaram um conjunto de dentículos de tubarões modernos e descobriram que outros 20% dessas morfologias de eventos de pré-extinção estavam presentes neles, mas não no registro fóssil.

Em outras palavras, essa misteriosa extinção eliminou entre 70% e 90% das espécies de tubarões e 90% dos tubarões individuais.

“Francamente, estamos chocados com o fato deste período ter presenciado um evento tão dramático”, observa o Dr. Sibert. “Os efeitos dessa extinção provavelmente foram sentidos em todo o mundo.”

Publicidade. A leitura continua abaixo.

A causa dessa extinção permanece desconhecida. Os pesquisadores não apontam nenhuma mudança climática significativa ou qualquer impacto de asteroide nessa época. 

“Não temos ideia”, disse o Dr. Sibert. “Mas é um mistério fascinante”.

Com informações de The New York Times e Science.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Avatar

Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo e bacharel em Biologia pela Universidade Federal de São Carlos. É redatora e contribui com artigos sobre vida selvagem e doméstica.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.