Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Detectados leitos de lagos secos em Titã, lua de Saturno

Titã é uma das numerosas luas de Saturno, e com uma vida agitada. Pesquisadores encontraram evidências de leitos de lagos secos em Titã.

(Créditos da imagem: NASA / JPL-Caltech / Universidade do Arizona / Universidade de Idaho)

Titã, umas das numerosas luas de Saturno, está entre os principai candidatos para busca de vida, por diversos fatores um tanto amigáveis. Por isso, a monitoramos bastante. Agora, pesquisadores encontraram evidências de leitos de lagos secos em Titã.

Titã, segunda maior lua do sistema solar, possuía como mistério há cerca de duas décadas algumas manchas em sua superfície que brilhavam bastante ao refletir a luz do Sol.

Essas observações foram feitas entre 2000 e 2008 por dois observatórios americanos:  Observatório de Arecibo, em Porto Rico, e Observatório Green Bank, no estado da Virgínia, EUA.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

LEIA TAMBÉM: Titã, lua de Saturno, está se afastando rapidamente do planeta

São mais de dez esses pontos, que refletem sinais de rádio extremamente brilhantes. O fenômeno é chamado de reflexo especular, que é quando a reflexão se dá no mesmo ângulo de incidência da iluminação – o Sol, no caso.

Em um estudo, publicado neste mês, na revista Nature Communications, um grupo de pesquisadores abordam essas manchas, propondo os tais leitos de lagos secos como explicação.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Como eles chegaram na hipóteses de leitos de lago secos em Titã?

A ideia principal surgiu quando eles notaram algo peculiar: Titã possui lagos líquidos de metano, mas as imagens da sonda Cassini só mostravam lagos nos polos; mais próximo ao equador, não havia lagos, mas havia essas manchas brilhantes.

Então, eles começaram a cruzar os dados daqueles dois observatórios americanos com os dados da Cassini. A sonda operou em órbita de Saturno por quase 20 anos.

Concepção artística dos últimos momentos da Cassini. A sonda se jogou na densa atmosfera de Saturno para se autodestruir ao final da missão e não representar perigo para alguma das luas do planeta. (Créditos da imagem: NASA/JPL-Caltech)
Concepção artística dos últimos momentos da Cassini. A sonda se jogou na densa atmosfera de Saturno para se autodestruir ao final da missão e não representar perigo para alguma das luas do planeta. (Créditos da imagem: NASA/JPL-Caltech)

Eles, então, obtiveram três hipóteses: leitos de lagos secos, chuvas ou dunas de areias. As chuvas de metano, entretanto, não eram tão frequentes para causar o efeito. As dunas estavam em locais diferentes.

Descartadas as duas das três hipóteses mais prováveis, levantadas durante as análises de dados, sobra apenas a hipótese os leitos secos, explicação que se consolidou.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

LEIA TAMBÉM: Nova teoria de marés explica gêiseres em Encélado, lua de Saturno

Zibi Turtle, pesquisador do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, e que não participou do estudo, disse ao Science News sua opinião sobre a explicação:

“Acho que é um argumento convincente. É ótimo ter uma resposta para essa pergunta extraordinária e mais um pedaço de titã que entendemos melhor agora”

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Turtle é um pesquisador que também possui interesse em Titã, e trabalha em outro projeto. Ele é o principal cientista da missão Dragonfly, da NASA, que pousará uma nave em Titã em 2034.

Para onde foi todo esse metano?

Sabemos apenas que há leitos de lagos secos em Titã. Além disso, esse campo é meramente especulativo, e por enquanto eles não pesquisaram a fundo para entender, mas há duas ideias principais. 

A primeira diz que há um ciclo do metano em Titã, como o ciclo da água na Terra, que a movimenta por todo o globo. Nesse cenário, o fenômeno acabou levando todo o metano para os pólos.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

A outra hipótese é de que os lagos foram aos poucos evaporando, e o metano em forma de gás, na atmosfera, foi destruído pelos raios solares. Eles dizem também que ambos podem ter ocorrido simultaneamente.

Avatar
Publicado por

É divulgador científico por paixão. Gradua-se em Física pela UFSCAR e atua principalmente na Ciencianautas e SoCientífica.

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.

Mente & Cérebro

Nas últimas décadas, inúmeras pesquisas mostraram a relação entre amamentação e a saúde da criança. Sabe-se, por exemplo, que a amamentação ajuda no desenvolvimento...

Planeta & Ambiente

Nukumi, uma grande fêmea de tubarão-branco marcada no ano passado está cruzando o Atlântico já faz dois meses. De acordo com especialistas, ela pode estar...