Connect with us

Hi, what are you looking for?

Saúde & Bem-Estar

Primeiro cocô de um bebê revela se ele terá alergias ou asma

Bebês podem ser propícios ao desenvolvimento de alergias e asma antes mesmo de nascerem.

Imagem: Pixabay

A análise das primeiras fezes de um bebê, conhecidas como mecônio, mostra que a falta de certos compostos bioquímicos e bactérias intestinais normalmente vistas nas fezes está associada a um risco maior de alergias e outras condições.

Condições alérgicas como alergias alimentares, febre do feno, asma e eczema são causadas pela reação exagerada do sistema imunológico a compostos inofensivos no meio ambiente. Muitos estudos encontraram ligações entre a reatividade do sistema imunológico e uma menor diversidade de bactérias intestinais. Uma ideia é que um ecossistema diversificado de bactérias benéficas ajuda a “treinar” o sistema imunológico em desenvolvimento para tolerar compostos não prejudiciais.

A nova pesquisa, realizada por Charisse Petersen da University of British Columbia em Vancouver e seus colegas, analisou o mecônio de 100 bebês que fizeram parte de um estudo canadense abrangente e em andamento sobre o desenvolvimento infantil. O mecônio não é fezes normais, mas uma mistura de substâncias que entraram na boca do bebê no final da gravidez, como líquido amniótico, células da pele e substâncias produzidas pela pele do bebê.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Quimicamente, inclui uma variedade de moléculas de gordura, aminoácidos e outros compostos da dieta da mãe. “Mecônio é uma espécie de cápsula do tempo porque contém todas as moléculas às quais o bebê foi exposto”, disse Charisse Petersen à New Scientist.

A maioria das condições alérgicas se desenvolve mais tarde na infância. Portanto, para obter resultados quando os bebês tinham 1 ano de idade, a equipe fez um teste cutâneo que mede a reatividade do sistema imunológico.

O quarto do grupo com o mecônio quimicamente mais diverso tinha metade do risco de um sistema imunológico superreativo, em comparação com o quarto que tinha o mecônio menos variável. Havia uma ligação de tamanho semelhante entre as bactérias intestinais diversas no mecônio e posterior reatividade imunológica.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

“O que está no mecônio se torna a fonte de alimento para todas as bactérias que quer nos colonizar”, disse Charisse. “Quanto mais diversificada for a fonte de alimento, maior será a probabilidade de você ser capaz de sustentar a colonização de todos esses micróbios benéficos.”

Pais e mães podem tentar reduzir o risco de seus filhos de doenças alérgicas por meio de medidas como evitar antibióticos desnecessários e tentar fazer seus filhos brincar mais fora de casa. Outro fator associado a um menor risco de alergias é ter um cachorro de estimação em casa, segundo Tom Marrs, do King’s College London.

Redação
Publicado por

A SoCientífica, abreviação para Sociedade Científica, nasceu em agosto de 2014 da vontade de decifrar as novidades no mundo científico e transmiti-las para uma sociedade que depende da ciência e tecnologia mas que sabe muito pouco sobre elas. Em um momento em que a desconfiança está se sobressaindo e novas ondas negacionistas de evidências surgem, a SoCientífica está empenhada em ajudar a trazer iluminação para a sociedade novamente.

Faça um comentário

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.

Mente & Cérebro

Nas últimas décadas, inúmeras pesquisas mostraram a relação entre amamentação e a saúde da criança. Sabe-se, por exemplo, que a amamentação ajuda no desenvolvimento...

Planeta & Ambiente

Nukumi, uma grande fêmea de tubarão-branco marcada no ano passado está cruzando o Atlântico já faz dois meses. De acordo com especialistas, ela pode estar...