Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Estudo revela evento de extinção em massa há 35 milhões de ano

Os lagartos (ou geckos) do gênero Underwoodisaurus têm uma escama transparente sobre seus olhos para impedir a perda da água; mas elas não podem piscar, então lambem seu a parte desobstruída dos olhos para limpá-los. Crédito: Stuart Hay, ANU

Os lagartos (ou geckos) do gênero Underwoodisaurus têm uma escama transparente sobre seus olhos para impedir a perda da água; mas elas não podem piscar, então lambem a parte desobstruída dos olhos para limpá-los.

Biólogos da Universidade Nacional Australiana (ANU, na sigla em inglês) encontraram a primeira evidência de extinção em massa de animais australianos causada por uma queda dramática nas temperaturas globais a 35 milhões de anos atrás. O estudo foi publicado no periódico Evolution

Este período de mudança climática intensa e rápida ocorreu no mesmo momento em que a Austrália se separou da Antártida.

Continua depois da publicidade
Muitos lagartos do deserto possuem estratégias e atributos para evitar a perda de água, tais como pele resistente e escamas. Crédito: NAU, Stuart Hay

Muitos lagartos do deserto possuem estratégias e atributos para evitar a perda de água, tais como pele resistente e escamas. Crédito: NAU, Stuart Hay

O pesquisador principal da ANU, o PhD Ian Brennan, disse que a equipe detectou a extinção em massa de lagartos pygopodidae usando métodos evolutivos moleculares para examinar registros fósseis.

“A mudança dramática para climas mais frios e secos provavelmente resultou em mudaram rápidas dos habitats australianos, o que afetou imensamente os animais que os habitavam”, disse Brennan da ANU Research School of Biology.

“Nossa pesquisa fornece evidências de que mudanças rápidas no clima podem ter efeitos profundos e duradouros sobre a biodiversidade global”.

Brennan disse ainda que os achados sugerem também o aparecimento e a propagação dos desertos na Austrália há aproximadamente 10 milhões de anos forneceram o habitat ideal para que as novas espécies de pygopodoide prosperassem.

Continua depois da publicidade

“Nossos resultados sugerem que as regiões áridas da Austrália agiram como um berço para essas lagartos, promovendo a rica diversidade que é encontrada em todo o continente”, disse ele.

Escreveram os pesquisadores no resumo do artigo:

As tendências da história climática global e local têm sido associadas a padrões macroevolutivos observados em uma variedade de organismos. Essas pressões climáticas podem influenciar unilateralmente ou assimetricamente a trajetória evolutiva dos clados. Para testar e comparar as assinaturas de mudanças no meio-ambiente global (Eoceno-Oligoceno) e continental (aridificação miocena) em uma fauna continental, investigamos a dinâmica macroevolutiva de uma das mais diversas radiações endêmicas da Austrália, os geckos pygopodoides. Nós geramos uma filogenia calibrada no tempo (> 90% de taxa de cobertura) para testar se (i) a forma da árvore pygopodoide assimétrica pode ser o resultado do volume de fraturamento em massa na história do grupo e (ii) como a aridificação do Mioceno moldou tendências na formação do bioma. Encontramos evidências de movimentação de massa nos pygopodoides seguindo o isolamento da placa continental australiana ~ há 30 milhão anos e, em oposição, a aridification gradual está ligada a taxas elevadas do especificação na zona nova árida. Surpreendentemente, nossos resultados sugerem que a invasão de áridos habitats não era um ponto final evolutivo. Em vez disso, a Austrália árida tem agido como fonte de diversidade, com repetidas dispersões externas facilitando a diversificação deste grupo. Esse padrão contrasta as tendências de riqueza e distribuição de outros vertebrados australianos, ilustrando os profundos efeitos que as mudanças históricas do bioma têm nos padrões macroevolutivos.”

O co-pesquisador Dr. Paul Oliver disse que as lagartos se deram bem nos climas ásperos e árida da Austrália porque evitaram o calor por serem de hábitos noturnos.

Continua depois da publicidade

Crédito: Australian National University

“Muitos geckos do deserto também têm estratégias e atributos para evitar a perda de água, como ter pele relativamente rústica e escamas”, disse ele.

A escama clara sobre os olhos, chamada de spectacle ou brille, é um exemplo disso, pois ajuda a evitar a perda de água da superfície do olho, mas isso significa que eles não podem piscar, então eles têm que lamber para limpar.

Continua depois da publicidade

“As espécies e suas parentes Nephrurus têm ‘sobrancelhas’ pequenas que se destacam para manter a poeira e sujeira fora de seus olhos, porque eles são espécies de escavação.”

Os geckos pygopodoide são um grupo de cerca de 150 espécies encontradas em toda a Austrália.

Referências

Continua depois da publicidade
  1. Ian G. Brennan et al. Mass turnover and recovery dynamics of a diverse Australian continental radiationEvolution(2017). DOI: 10.1111 / evo.13207
  2. ANU. Study reveals mass extinction event 35 million years agohttp://www.anu.edu.au/news/all-news/study-reveals-mass-extinction-event-35-million-years-ago
  3. Phys.org. Study reveals mass extinction event 35 million years ago https://phys.org/news/2017-03-reveals-mass-extinction-event-million.html#jCp

 

Avatar
Publicado por

Mestrando em Estudos Ambientais pela UCES, Buenos Aires. Graduado em Engenharia Civil e pós-graduado em Gestão Pública e Controladoria Governamental. Com interesse por ciência, tecnologia, filosofia, desenvolvimento sustentável e diversas outras áreas do conhecimento humano.

Comentários

Populares hoje

Tecnologia

A Rússia está desenvolvendo uma nova arma destrutiva, um torpedo nuclear furtivo. O objetivo do torpedo é gerar tsunamis radioativos. Apesar de ainda estar sendo construído...

Espaço

Após um documentarista divulgar imagens intrigantes acerca de um possível OVNI, o Pentágono confirmou sua autenticidade. Nas filmagens, o objeto voador estava sobrevoando um...

Espaço

O Programa Ártemis é uma proposta que pode revolucionar a comunidade que, por décadas, foi excluída de missões importantes da NASA. No dia 9...

Plantas & Animais

Já há mais de dez anos, pesquisadores vêm observando um fenômeno curioso no deserto da Namíbia, na África Central. Nas planícies da savana, imagens...