Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Corvos pensam conscientemente, mostra experimento

Corvos pensam conscientemente
(Sandra Standbridge / Moment / Getty Images)

Pertencentes à família Corvidae, os corvos são animais bastante inteligentes. No entanto, uma nova pesquisa, publicada na revista Science, demonstrou que a mente dessas aves funciona de um jeito peculiar. Dessa maneira, os pesquisadores descobriram que esses animais possuem uma forma de consciência que os fazem compreender, de um jeito subjetivo, tudo o que está ao seu redor.

A diferença entre o cérebro de aves e primatas

Até o momento que antecedeu esse novo projeto, os únicos que possuíam esse tipo de consciência eram os primatas. Sendo assim, uma consciência primária ou sensorial descoberta nessa espécie fará o mundo científico repensar em como ela surge e de que forma atua nos animais.

Tentar desvendar a maneira que essa consciência atua nos primatas foi, de certa forma, mais simples, uma vez que os humanos conseguem verbalizar, e os corvos não. No entanto, para ultrapassar esse obstáculo, os especialistas observaram a forma que as aves agiam no momento de fazer uma escolha.

Continua depois da publicidade

Em termos de complexidade, a consciência primária é considerada a forma mais básica de consciência. Essa, por sua vez, está associada com uma região complexa do cérebro conhecida como córtex cerebral. Todavia, esse órgão tende a se diferenciar dentre uma espécie para outra. A estrutura cerebral desses pássaros possui algumas diferenças.

(Micael Widell/Unsplash)

A principal delas é a distribuição por camadas. Por exemplo, o córtex cerebral no cérebro humano é dividido em camadas, enquanto que nas aves possuem uma estrutura lisa. Mesmo sabendo da inteligência dos corvídeos, ainda não havia sido encontrado uma prova concreta que esses animais pudessem ter um pensamento consciente.

Estudando a consciência dos corvos

Para que a pesquisa fosse realizada, Andreas Nieder, da Universidade de Tübingen, e sua equipe usaram somente 2 indivíduos da espécie Corvus corone. Primeiramente, os animais foram treinados para que pudessem responder aos estímulos visuais. Ambos os pássaros deveriam mover a cabeça quando conseguiam enxergar as luzes provenientes de telas.

Em alguns momentos, a luz emitida era mais fraca e difícil de ser detectada. No entanto, as aves conseguiam visualizá-las em determinadas vezes. É nessa fase que a consciência sensorial foi analisada. Os estímulos neurais foram capturados por meio dos eletrodos inseridos na região cerebral dos dois pássaros. As atividades cerebrais dos animais possuíam um padrão.

Continua depois da publicidade

Assim, os cientistas conseguiam prever quando a resposta para determinada pergunta seria “sim” e quando seria “não”. Dessa forma, o estudo revela que as células nervosas de ambos os animais recebem uma forte influência quando experimentam uma situação subjetiva. O resultado final é que, não há necessidade de um cérebro estruturado em camadas para que o corpo tenha experiências subjetivas.

“Os últimos ancestrais comuns de humanos e corvos viveram 320 milhões de anos atrás. É possível que a consciência da percepção tenha surgido naquela época e tenha sido transmitida desde então. Em qualquer caso, a capacidade da experiência consciente pode ser realizada em cérebros estruturados de forma diferente e independentemente do córtex cerebral”, revela Nieder.

Continua depois da publicidade
Ruth Rodrigues
Publicado por

Bióloga de formação, mas divulgadora científica de coração. Escreve sobre o mundo das ciências para o SoCientífica.


Populares hoje

Plantas & Animais

Antigas pistas, na forma de fósseis e evidências arqueológicas de qualidade variada espalhadas pela Austrália formaram a base de várias hipóteses sobre o destino...

Plantas & Animais

Suspeita de roubo.

Plantas & Animais

Os cães são tidos como os melhores amigos do homem há muito e muito tempo. E eles são espertos. Estudos já mostraram que a inteligência...

Física & Química

Existem quatro forças fundamentais que regem todos os eventos do universo: a gravidade, força fraca, força forte e o eletromagnetismo.