Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Brilho verde detectado na atmosfera de Marte pela primeira vez

O brilho verde detectado na atmosfera de Marte foi uma conquista para astrônomos, que finalmente puderam identificar este fenômeno.

Brilho verde detectado na atmosfera de Marte
Astrônomos conseguiram identificar, depois de décadas, um brilho verde em Marte. (Imagem: ESA)

Astrônomos ficaram encantados com um brilho verde detectado na atmosfera de Marte. Cientistas já buscavam observar este fenômeno há décadas. Causado pela interação entre a luz solar e o oxigênio na atmosfera superior, esse brilho era detectado apenas no céu acima da Terra.

Essa descoberta envolvendo a atmosfera marciana ajudará os pesquisadores a entender melhor sobre os processos que impulsionam o brilho aéreo, tanto aqui no nosso planeta como em outros corpos celestes.

“Uma das emissões mais brilhantes vistas na Terra decorre do brilho da noite. Mais especificamente, dos átomos de oxigênio emitindo um comprimento de onda de luz específico que nunca foi visto em outro planeta”, disse o astrônomo Jean-Claude Gérard, da Université de Liège na Bélgica, o principal autor do novo artigo que descreve o fenômeno.

Continua depois da publicidade

O céu nunca fica completamente escuro na Terra, nem mesmo durante à noite. Acontece que as moléculas da atmosfera constantemente passam por processos, fazendo com que brilhem levemente por meio dos comprimentos de onda.

Assim, é um brilho semelhante ao da aurora, produzido pelas mesmas partículas. Contudo, é bem mais fraco. A aurora é carregada de partículas do vento solar, que ionizam átomos atmosféricos, possibilitando que formem luzes dançantes nos céus da Terra.

Inédito: brilho verde detectado na atmosfera de Marte

O que astrônomos já haviam analisado em Marte é um brilho durante o dia, algo muito mais fácil de identificar, já que a sua presença é mais ofuscada pela luz do dia. Contudo, na Terra acontece quando as moléculas na atmosfera absorvem a luz solar, dando excesso de energia para elas, em uma frequência ligeiramente baixa.

Continua depois da publicidade

Em Marte, esse brilho durante o dia foi previsto em 1979, mas os orbitadores do Planeta Vermelho, de frente para a superfície ainda não conseguiram fazer a detecção. Mas, aprendendo com a Estação Espacial Internacional, a equipe responsável reorientou o instrumento utilizado, olhando diretamente para o planeta.

LEIA TAMBÉM: Podemos terraformar Marte? Não tão cedo, segundo um recente estudo

Dessa forma, fizeram diversas avaliações, entre 20 e 400 quilômetros de altitudes. Assim, ao analisarem os dados coletados, perceberam brilho verde detectado na atmosfera de Marte, algo inédito.

Continua depois da publicidade

Emissão verde é parecida com o que acontece na Terra

Quando a equipe modelou o processo por trás da emissão, identificaram que é algo semelhante a luminescência atmosférica da Terra. Neste caso, quando a radiação solar atinge a atmosfera marciana, o dióxido de carbono é dividido em monóxido de carbono e oxigênio. Assim, os átomos de oxigênio geram o tal brilho verde.

Além disso, o comprimento visível da onda é 16,5 vezes maior do que a onda ultravioleta. “As observações em Marte concordam com os modelos teóricos anteriores, mas não com o brilho real que vimos em torno da Terra, onde a emissão visível é muito mais fraca”, disse Gérard.

Brilho verde em Marte
Brilho noturno da terra. ( NASA )

LEIA TAMBÉM: Cientistas estão certos de que há poças de água salgada em Marte

Os pesquisadores acreditam que devem estudar mais sobre átomos de oxigênio, algo fundamental para entender a física atômica e quântica. Contudo, essa discrepância pode ser causada pela maneira como o instrumento foi regulado para as observações.

Continua depois da publicidade

O estudo foi publicado pela Nature Astronomy.

Avatar
Publicado por

Erik Behenck é jornalista, adora novas descobertas e apaixonado pela escrita.


Populares hoje

Saúde & Bem-Estar

Surto de vômito entre cães foi identificado por pesquisadores como um novo tipo de coronavírus canino não transmissível a humanos.

Espaço

Após um documentarista divulgar imagens intrigantes acerca de um possível OVNI, o Pentágono confirmou sua autenticidade. Nas filmagens, o objeto voador estava sobrevoando um...

Saúde & Bem-Estar

O alumínio é um metal pesado que não é essencial para o corpo humano. Contudo, esse composto é altamente reativo biologicamente e diversos estudos...

Plantas & Animais

No dia 01 de Abril de 2009 cientistas anunciaram o nascimento do primeiro — e único — animal extinto já ressuscitado. Em um artigo...