Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Tiranossauros andavam mais devagar do que se imaginava

EStudos mostram que os tiranossauros na verdade andavam muito mais devagar do que se pensava. Imagem: Sergey Nemo/Pixabay

Os tiranossauros não foram os maiores dinossauros carnívoros, nem os mais numerosos. Ainda assim, mais de 2,5 bilhões desses dinos andaram no planeta em menos de 3 milhões de anos. Ademais, os tiranossauros certamente são os mais famosos predadores pré-históricos.

Nesse sentido, muitas pesquisas das últimas décadas vêm tentando mostrar os hábitos dos tiranossauros. Muito se debate sobre a alimentação, por exemplo. Afinal, os tiranossauros eram predadores ativos ou carniceiros? Além disso, a velocidade desses gigantes é um ponto de muito debate entre os paleontólogos.

No entanto, um novo estudo acaba de mostrar que os tiranossauros provavelmente andavam muito mais devagar do que se imaginava até então. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores analisaram um fóssil extremamente conservado de uma fêmea de T-rex do Naturalis Biodiversity Center, em Leiden.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Esse espécime, que recebeu o nome de Trix, possui as vértebras da cauda extremamente conservadas (como é possível ver no vídeo acima), ainda com indícios dos ligamentos. Esses últimos funcionam como elásticos entre os ossos para evitar que o impacto seja muito grande ao andar ou correr. Os pesquisadores então aplicaram as medidas da cauda de Trix a um software 3D de biomecânica.

Assim, o programa mostrou que esses dinossauros provavelmente andavam a uma velocidade de 4 a 6 quilômetros por hora. Análises anteriores, por outro lado, sugeriram que os T-rex podiam caminhar a até 16 km/h.

Imagem: Steppinstars/Pixabay

Tamanho dos tiranossauros e gasto de energia

Os tiranossauros, ainda que menores que giganotossauros e espinossauros, eram gigantes. Esses predadores que viveram durante o período Cretáceo podiam pesar entre 5 e 7 toneladas em média. Ademais, esses animais atingiam 12 a 14 metros de comprimento e até 4 de altura.

Dessa forma, a movimentação dos tiranossauros era baseada, teoricamente, em economia de energia. Isso porque esses bichos precisariam consumir muito alimento e gastar muita energia para manter o corpo funcionando. Além do mais, estudos mostram que os ossos de tiranossauros tinham que ser extremamente fortes para sustentar todo o seu peso sem quebrar durante uma corrida.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Grandes animais modernos, como elefantes, mantém uma velocidade de caminhada entre 4 e 6 km/h, assim como os tiranossauros possivelmente faziam. Imagem: Kirsi Kataniemi/Pixabay

Entretanto, o novo estudo mostra que os ligamentos poderiam auxiliar no movimento da cauda, fazendo esta funcionar como um contrapeso. A elasticidade desses tecidos fariam a a cauda (que compõe mais da metade do comprimento do animal) oscilar para cima e para baixo conforme o andar do animal.

A 5 km/h, o tiranossauro teria, portanto, o menor gasto de energia para caminhar, de acordo com essa pesquisa. Todavia, o estudo não avaliou a possível velocidade de corrida desses dinossauros.

O estudo está disponível no periódico The Royal Society.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Mateus Marchetto
Publicado por

Aluno de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, professor de inglês, apaixonado por ciência e divulgação científica. Me interesso principalmente pelas áreas de microbiologia, bioquímica e bioinformática.

Faça um comentário

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.

Mente & Cérebro

Nas últimas décadas, inúmeras pesquisas mostraram a relação entre amamentação e a saúde da criança. Sabe-se, por exemplo, que a amamentação ajuda no desenvolvimento...

Planeta & Ambiente

Nukumi, uma grande fêmea de tubarão-branco marcada no ano passado está cruzando o Atlântico já faz dois meses. De acordo com especialistas, ela pode estar...