Connect with us

Hi, what are you looking for?

Tecnologia

Novas vulnerabilidades são encontradas na segurança do Wi-Fi

Uma nova pesquisa identificou várias falhas na segurança das conexões de Wi-Fi. Os invasores podem aproveitar essas fraquezas para obter acesso a dados privados.

Imagem: Dean Moriarty/Pixabay

Pesquisadores encontraram três vulnerabilidades no protocolo de segurança de Wi-Fi. Eles também identificaram vários erros de programação em dispositivos com conexões Wi-Fi. Para o estudo, foi testado 75 dispositivos, incluindo smartphones, laptops e dispositivos inteligentes. Todos os dispositivos testados eram vulneráveis ​​a pelo menos uma das falhas descobertas.

As fraquezas encontradas nos protocolos de segurança de Wi-Fi são muito difíceis de explorar, o que pode explicar por que elas permaneceram sob o radar por muito tempo: Mathy Vanhoef, responsável pela descoberta da falha de segurança dos Wi-Fi, os encontrou no protocolo WPA3 atual, mas também em todos os protocolos de segurança anteriores, que datam de 1997.

“As falhas permitem que os invasores interceptem os dados inseridos online”, explicou Vanhoef. “Eles podem fazer isso com uma cópia não segura de um site seguro no qual você tenta fazer login, por exemplo. Em vez de os dados serem criptografados, eles acabam com o invasor.”

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Os erros de programação que Vanhoef encontrou em dispositivos Wi-Fi são especialmente problemáticos para aparelhos inteligentes e computadores que não são atualizados há muito tempo porque é mais fácil abusar deles nesses casos. 

“Dessa forma, pessoas mal intencionadas podem assumir o controle de uma lâmpada inteligente, por exemplo. E se um antigo PC com Windows for atacado, eles podem até ver tudo o que você faz naquele computador e armazenar todos os dados que você inseriu”, explica Vanhoef.

Uma demonstração do navegador atestando quando um website é seguro. Imagem: SoCientífica

Atualizações do Wi-Fi para corrigir as falhas

Não há motivo imediato para preocupação. “É impossível dizer se essas falhas já foram abusadas. Parece bastante improvável, porque elas passaram despercebidas por muito tempo.” 

Nos últimos nove meses, Vanhoef trabalhou em estreita colaboração com muitas das principais empresas de TI, incluindo Google e Microsoft, para corrigir os pontos fracos. Isso aconteceu por meio da Wi-Fi Alliance, uma associação de empresas de TI que, em conjunto, possuem e controlam a marca comercial do Wi-Fi. Ontem, eles lançaram as atualizações necessárias para corrigir as falhas.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

“Esta descoberta foi uma surpresa porque a segurança das conexões Wi-Fi melhorou significativamente nos últimos anos”, disse Vanhoef. Em parte, isso se deve ao próprio Vanhoef: em 2017, ele descobriu pontos fracos no protocolo WPA2. “As empresas de TI devem estar cientes de que mesmo tecnologias bem estabelecidas podem ter falhas de design. Os dispositivos Wi-Fi também podem ser testados mais amplamente para evitar esses problemas no futuro.”

Higiene cibernética

Para os usuários, ele também dá alguns bons conselhos. “É um clichê, mas é muito importante manter uma boa higiene cibernética. Certifique-se de instalar novas atualizações e sempre verifique se um site é seguro se você estiver inserindo informações confidenciais, como detalhes da conta. Os dados nunca podem ser interceptados de sites totalmente seguros. Você pode reconhecer esses sites pelo cadeado na frente do URL em seu navegador.”

Redação
Publicado por

A SoCientífica, abreviação para Sociedade Científica, nasceu em agosto de 2014 da vontade de decifrar as novidades no mundo científico e transmiti-las para uma sociedade que depende da ciência e tecnologia mas que sabe muito pouco sobre elas. Em um momento em que a desconfiança está se sobressaindo e novas ondas negacionistas de evidências surgem, a SoCientífica está empenhada em ajudar a trazer iluminação para a sociedade novamente.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.