Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Filhote de “lobo de estimação” de 14.300 anos preservado sob o permafrost siberiano

Um filhote de lobo de estimação, pertencente a um antigo homem siberiano, foi encontrado no permafrost.

O animal de 14.300 anos foi preservado pelas condições únicas oferecidas pela geleira da região desde os tempos pré-históricos. O permafrost siberiano já é conhecido pelo mundo todo devido a várias descobertas incríveis.

O filhote domesticado

O canídeo do pleistoceno, do qual os cientistas acreditam de ter sido domesticado, provavelmente desistiu do seu sequenciamento de RNA – ácido ribonucléico – algo que nunca foi realizado até então no passado.

Continua depois da publicidade

LEIA TAMBÉM: Antigas criaturas da terra estão despertando após 40.000 anos em permafrost

O DNA codifica a cópia impressa dos genes e pode sobreviver a milhares de anos se as condições forem adequadas.

Mas o RNA é mais curto, detalhando a cópia de trabalho de um gene.

Continua depois da publicidade

A análise de DNA mostra que tipo de genes uma espécie tinha, enquanto o RNA explica quais genes estavam funcionando e quais eram silenciosos.

O animal é um filhote de lobo ou, mais provavelmente, os cientistas acreditam, um híbrido de cão-lobo domesticado.

LEIA TAMBÉM: Cabeça de lobo de 32.000 anos perfeitamente preservada encontrada no permafrost siberiano

Continua depois da publicidade

É muito provável que seus ancestrais tenham sido domesticados por antigos caçadores de mamutes lanosos.

Um filhote de lobo de estimação pertencente a um antigo homem siberiano deu aos cientistas um avanço notável. O animal congelado foi preservado pelo permafrost e ainda tem seus dentes. (The Siberian Times)

O lobo de estimação foi encontrado em Tumat, na República Sakha, há quatro anos, sendo o segundo de dois animais jovens da mesma espécie.

O vídeo abaixo mostra como a lama e a sujeira de milhares de anos foram removidas do filhote congelado em Yakutsk, capital da República Russa de Sakha, onde os restos mumificados foram encontrados em uma barranca do rio Syalakh.

Continua depois da publicidade
O material genético

O animal congelado foi muito bem preservado pelo gelo permanente e ainda possui os seus dentes quase intactos e muitos tecidos. Então os pesquisadores sequenciaram o RNA do animal.

“Para nosso deleite, de não só encontramos RNA de vários tecidos, como também, em alguns casos, o sinal era tão forte que podíamos distinguir entre os tecidos de uma forma que faz sentido do ponto de vista biológico” afirmou o Dr. Oliver Smith, da Universidade de Copenhague, e seus colegas que analisaram o RNA do fígado, cartilagem e tecido muscular do animal pré-histórico.

Este canídeo do pleistoceno, suspeito pelos cientistas de ter sido domesticado, desistiu da sua sequenciação de RNA – ácido ribonucleico. (The Siberian Times)

A pesquisa foi publicada na revista PLOS Biology.

FONTE / The Siberian Post

Continua depois da publicidade
Damares Alves
Publicado por

Apaixonada pela natureza, me tornei redatora e hoje escrevo exclusivamente sobre ciência. Meu objetivo é que todos possam ter acesso a pesquisas importantes e descobertas incríveis que são realizadas todos os dias.

Comentários

Populares hoje

Saúde & Bem-Estar

Surto de vômito entre cães foi identificado por pesquisadores como um novo tipo de coronavírus canino não transmissível a humanos.

Espaço

Após um documentarista divulgar imagens intrigantes acerca de um possível OVNI, o Pentágono confirmou sua autenticidade. Nas filmagens, o objeto voador estava sobrevoando um...

Plantas & Animais

No dia 01 de Abril de 2009 cientistas anunciaram o nascimento do primeiro — e único — animal extinto já ressuscitado. Em um artigo...

Saúde & Bem-Estar

O alumínio é um metal pesado que não é essencial para o corpo humano. Contudo, esse composto é altamente reativo biologicamente e diversos estudos...