Connect with us

Hi, what are you looking for?

História & Humanidade

Criatura mítica desenterrada em fossa na Inglaterra

O local da escavação da fossa. O interior: A telha da criatura mítica encontrada na fossa. (Fonte: MOLA)
O local da escavação da fossa. O interior: A telha da criatura mítica encontrada na fossa. (Fonte: MOLA)

Um raro azulejo medieval representando uma criatura mítica foi desenterrada em fossa do século XIV na Inglaterra.

Desde a descoberta da fossa do século XIV em Londres, Inglaterra, no final de 2019, arqueólogos do Museu de Arqueologia de Londres (MOLA) disseram que ela foi transformada ao longo do tempo em uma luxuosa adega com uma latrina na moda. Mas acontece que esta antiga estrutura concebida para resíduos humanos continha vários “artefatos inestimáveis”, incluindo um anel dourado, um esporão de ferro para montar cavalos e um garfo do período pós-medieval.

Mas acima de todos os outros achados nesta antiga casa de banho, os arqueólogos descobriram um raro azulejo medieval representando uma criatura mítica com uma cabeça humana numa extremidade e uma cauda parecida com uma folha na outra, disse Antonietta Lerz, uma arqueóloga sénior do MOLA, para a Live Science.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

LEIA TAMBÉM: Vídeo mostra as criaturas mais inusitadas devorando uma baleia

Os membros da equipe MOLA encontraram a fossa enquanto escavavam no porão do Instituto de Arte Courtauld, antes de um projeto de construção planejado. A estrutura mede 4,5 metros quadrados e foi construída em calcário tendo paredes de cerca de 1 metro de largura e 4 metros de profundidade.

Quando foi criada pela primeira vez, a fossa teria assentos para uso dos residentes e visitantes da localidade, a antiga residência dos Bispos de Lichfield, onde o Bispo de Chester permaneceu enquanto esteve em Londres. Lerz disse que o seu exame preliminar indicou que a estrutura tinha sido usada para armazenar resíduos humanos durante cerca de um século e acrescentou que “as fossas eram rotineiramente limpas”, por isso pode ter sido usada por muito mais tempo do que os achados recuperados sugerem.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

No século XVII, a fossa tinha sido convertida em uma adega e os trabalhadores acrescentaram várias camadas de piso de tijolo. Nos séculos XVIII e XIX, uma pequena latrina foi acrescentada no canto noroeste da fossa e à medida que os cientistas iam “cada vez mais fundo”, disse Lerz ao The Guardian, “quase sempre que colocávamos as nossas pedras no chão, alguma coisa mais aparecia”.

LEIA TAMBÉM: Misterioso esqueleto de criatura encontrado próximo ao Lago Ness

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Entre os artefatos recuperados encontrava-se um prato de condimentos de borda grossa com um esmalte verde acobreado datado entre os séculos XIV e XV, um anel dourado do século XIV com um cenário oval de cabochon pensado para conter provavelmente uma granada, uma tigela envidraçada e um tinteiro de vidro e um garfo de duas saliências com cabo de osso.

Anel de ouro encontrado no local da fossa (esquerda), garfo (meio) e prato de condimento com um esmalte verde-cobre (direita). (MOLA)
Anel de ouro encontrado no local da fossa (esquerda), garfo (meio) e prato de condimento com um esmalte verde-cobre (direita). (MOLA)

No entanto, o que está sendo chamado o achado mais curioso é um piso representando uma criatura mítica encontrada na fossa que data entre 1350 e 1390 dC.

Os pesquisadores afirmam que o azulejo estilizado fazia parte de um painel de quatro telhas feito numa loja de produção de azulejos em Penn, uma aldeia no distrito de Buckinghamshire, e Lerz disse: “As telhas de Penn eram frequentemente usadas em palácios e locais monásticos durante o período medieval, mas como acabaram numa fossa qualquer, isso é um mistério”.

A telha com a criatura mítica desenterrada na  fossa. (MOLA)
A telha com a criatura mítica desenterrada na fossa. (MOLA)

A criatura mítica apresenta “uma cabeça humana numa extremidade e uma cauda semelhante a uma folha na outra”, o que descreve perfeitamente o manticora da lenda persa, em que o seu nome significava “comedor de homens”, que era semelhante à esfinge egípcia e que influenciou tão fortemente a arte medieval da Europa ocidental com a sua “cabeça humana”, corpo de leão e cauda de “espinhos venenosos”, semelhante a penas de porco-espinho ou uma ponta de cauda de escorpião.

LEIA TAMBÉM: Especialistas estão confusos com essas criaturas misteriosas; veja vídeo

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Seguindo esta linha de pensamento, segundo o livro The Heraldic Imagination de Rodney Denny de 1975, o manticora apareceu pela primeira vez na heráldica inglesa em 1470 d.C. como um emblema de William Hastings, 1º Barão Hastings que se situa dentro de um século da datação dada ao azulejo.

Manticora ou distintivo mantyger de William, Lord Hastings, c.1470. Esta versão tem presas. Por autor desconhecido - de uma coleção de desenhos a tinta, c.1466-70, de crachás heráldicos, Domínio Público.
Manticora ou distintivo mantyger de William, Lord Hastings, c.1470. Esta versão tem presas. Por autor desconhecido – de uma coleção de desenhos a tinta, c.1466-70, de crachás heráldicos, Domínio Público.

Olhando de perto para esta representação medieval da manticora, o artista estilizou a besta num fluxo fluido, floral e a sua cauda parece semelhante à uma folha. Mas por enquanto, a identidade da criatura representada na telha é apenas uma palpite. Mas na sua opinião, o que acha que a criatura mítica pode ser, se não a manticora sugerida aqui?

Escrito por Ashley Cowie em Ancient Origins. Direitos reservados.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Notícia

Durante o desenvolvimento embrionário, os mamíferos (a maioria deles) crescem na cavidade do útero da mãe. Esse ambiente vai se dilatando e desenvolvendo ao...

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Saúde & Bem-Estar

Os exercícios de alta intensidade de intervalos (HIIT) se tornaram populares nos últimos anos por uma série de razões. Eles não exigem tanto tempo...

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.