Connect with us

Hi, what are you looking for?

Pets

Como funcionam os tipos sanguíneos de cachorros

A tipagem sanguínea é uma característica muito importante quando se fala de doação de sangue. Mas será que cães também têm diferentes tipos sanguíneos?

Tipo sanguíneo em cães
Pixabay

Se você coletar uma gota de sangue do tipo A e misturar com sangue do tipo B, imediatamente deve acontecer uma reação estranha. O sangue começa a ficar viscoso, aglutinado e, por fim, perde qualquer função biológica. Isso acontece porque os tipos sanguíneos são um mecanismo complexo de proteção e funcionamento do nosso corpo. Mas será que os tipos sanguíneos dos nosso pets também funcionam assim?

Bom, mais ou menos. De fato, outros mamíferos também possuem diferentes tipos sanguíneos com importância clínica. Os seres humanos e os gatos, por exemplo, são muito pouco tolerantes a tipos sanguíneos que sejam “estranhos” para o seu sistema imune. Já os cães são um pouco mais tolerantes imunologicamente. Em compensação, nossos amigos caninos podem ter mais de 12 tipos sanguíneos que podem se combinar entre si. Teoricamente, são mais de 140 fenótipos possíveis.

No entanto, os cães apresentam apenas algumas tipagens sanguíneas que são importantes para a saúde do bichinho. A principal classificação dos tipos sanguíneos de cães acontece pelo “dog erythrocyte antigen“, (DEA), um antígeno presente nas hemácias dos cães que pode ser dos principais tipos 1.1, 1.2, 3, 4, 5 e 7.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Entenda o funcionamento dos tipos sanguíneos dos seus pets. (Imagem de Free-Photos por Pixabay )

Primeira transfusão e tipos sanguíneos

Se um ser humano ou um gato receber uma transfusão de um tipo sanguíneo incompatível, a reação é imediata e com altos riscos para o paciente. Como dito antes, os sistemas imunes de humanos e gatos são bem menos tolerantes com essas variações, pois já possuem anticorpos para sangues estranhos.

Já no caso dos cães, em geral não há anticorpos no sangue para outros tipos sanguíneos. Esses anticorpos só se desenvolvem depois de um primeiro contato com o sangue estranho. Por esse motivo, em casos de emergência, cachorros podem receber uma primeira transfusão de sangues diferentes do seu próprio. Contudo, após esse evento o animal não poderá mais receber outra transfusão desse tipo, pois irá desenvolver anticorpos contra aquele sangue.

(Imagem de Shameer Pk por Pixabay)

Ademais, cães do tipo DEA-1.1 podem sofrer mais severamente com as reações do sistema imune. Isso porque o DEA-1.1 é considerado o doador universal dos cães. Ou seja, animais com essa característica podem doar sangue para qualquer outro, mas apenas receber do próprio DEA-1.1, mesmo na primeira transfusão.

Geralmente as raças mais prováveis ao DEA-1.1 são: galgos ingleses, boxers, pastores-alemão, lébreis-irlandeses, dobermans e pit-bulls. No entanto, apesar dos riscos, hoje o teste de tipagem sanguínea é bastante acessível em clínicas veterinárias e os bancos de sangue para pets têm crescido em organização e estrutura nos últimos anos.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Mateus Marchetto
Publicado por

Aluno de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, professor de inglês, apaixonado por ciência e divulgação científica. Me interesso principalmente pelas áreas de microbiologia, bioquímica e bioinformática.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.