Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Caçador é morto por elefante e comido por leões na África

Autoridades do Parque Nacional Kruger, localizado na África do Sul, confirmaram a morte de um caçador de rinocerontes no início de abril deste ano.

Sua morte, contudo, veio à tona depois que um comunicado do Parque se difundiu nas redes sociais. A causa da morte acabou atraindo atenções.

No dia 2 de abril, cinco caçadores de rinocerontes foram à caça quando um deles não retornou dessa prática ilegal, após ser morto por um elefante. A família desse indivíduo que não retornou para a casa contatou as autoridades do Parque e guardas florestais foram à sua procura.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

LEIA TAMBÉM: Cientistas transferem com sucesso o primeiro embrião de rinoceronte de tubo de ensaio

Após procurarem o desaparecido a pé e em um avião, os guardas conseguiram localizar o indivíduo. Ao menos, partes dele. Acabaram descobrindo, também, que leões se alimentaram de seu cadáver, deixando para trás somente o crânio e suas calças. Nessa busca, os guardas acabaram por conseguir prender os outros caçadores.

Essa notícia foi compartilhada no Twitter, juntamente com comentários como “karma” e “finalmente, algumas boas notícias”.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Apesar das redes sociais terem recebido essa notícia com felicidade, apesar do fato trágico de que as caças ainda continuarão, senão por ele, mas por outros, ambientalistas reagiram ao ocorrido com consternação, visto que a morte de um caçador não trás paz para os animais daquele habitat, que sofrem ameaças todos os dias.

“A morte deste caçador furtivo causou redução na demanda por chifre de rinoceronte?” tuitou Sabah Ibrahim, naturalista e educador ambiental. “A pessoa do outro lado da transação sofreu alguma coisa? Não. Então não há ‘karma’.”

“A demanda por chifre de rinoceronte vem de consumidores extremamente ricos que quase nunca enfrentam qualquer forma de justiça, e os próprios caçadores furtivos são, na maioria das vezes, pessoas desesperadas existentes na esmagadora pobreza pós-colonial,” disse Ibrahim.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

FONTE / LiveScience

LEIA TAMBÉM: Saiba como sobreviver a um ataque de leão

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Milena Elísios
Publicado por

Graduada em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e divulgadora científica por paixão. Aqui na SoCientífica abordo sobre temas variados, mas sempre guiados por boa pesquisa e o rigor científico.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.