Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Baratas imortais? Elas estão se tornando quase impossíveis de se matar

As baratas vão dominar o mundo?

O progresso humano pode ser um apocalipse para outras espécies animais , mas não esses caras. E agora está claro que eles estão rindo muito de nossas tentativas insignificantes de controlá-los com pesticidas.

Um estudo sobre a rapidez com que populações de baratas alemãs ( Blattella germanica ) se recuperam após serem mergulhadas em várias classes de inseticidas revelou que elas podem evoluir para uma resistência geral a pesticidas que nunca encontraram.

LEIA TAMBÉM: Devo matar aranhas na minha casa? Um entomólogo explica por que não.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Pesquisadores da Purdue University montaram um experimento para avaliar como as baratas evoluem a resistência a pesticidas ao longo de gerações sucessivas, na esperança de determinar quais métodos de erradicação podem ser ótimos.

O conselho para os interessados ​​em pulverizar é que o melhor método para se manter no controle de seu problema de pragas é … Construir um laboratório de biologia no porão e rotineiramente executar testes em sua infestação.

“Se você tem a capacidade de testar as baratas primeiro e escolher um inseticida que tenha baixa resistência, isso aumenta as chances”, diz o entomologista Michael Scharf .

Publicidade. A leitura continua abaixo.

“Mas mesmo assim, tivemos problemas para controlar as populações”.

Naturalmente, a maioria de nós não é entomologista com experiência em determinar a suscetibilidade a inseticidas. Então, o quanto estamos ferrados?

LEIA TAMBÉM: Lesmas do mar carregam uma “fábrica de armas” bacterianas.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Scharf e sua equipe visitaram apartamentos baixos em Danville, Illinois, e Indianapolis, Indiana, para prender alguns exemplares. Eles usaram frascos de comida para bebê, iscados de pão e cerveja, e saíram com uma variedade de cepas de B. germanica. Estes foram mantidos em segurança no laboratório em duas populações separadas e estudados para resistência.

De volta ao campo, os apartamentos receberam um dos três métodos de tratamento uma vez por mês durante um período de seis meses.

O primeiro método envolveu a aplicação individual de uma das três classes diferentes de inseticida em uma rotação mensal. Para o segundo, uma mistura de duas das classes de pesticidas foi aplicada durante todo o período. E no terceiro, a equipe escolheu um inseticida que correspondia à menor resistência identificada nas populações do laboratório.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Acontece que aderir a uma mistura aleatória de alguns pesticidas é uma péssima ideia. O método dois simplesmente não funcionou, com populações de baratas continuando a prosperar ao longo do tratamento.

Enquanto isso, os inseticidas rotativos não curavam os apartamentos das infestações, mas os mantinham relativamente quietos, pelo menos enquanto a pulverização de rotina ocorria.

Se você puder descobrir qual é a criptonita da sua barata, você pode ter uma chance de lutar. Nos apartamentos de Indianápolis, a equipe quase venceu a batalha usando um pesticida chamado abamectina.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Danville não teve tanta sorte. A equipe de Scharf calculou que sua população de baratas tinha um nível de resistência de 16% ao veneno, de modo que o tratamento com um único produto químico não conseguiu derrubar os insetos.

De volta ao laboratório, as duas populações engaioladas ajudaram os pesquisadores a separar o que viram no campo. Ao testar pesticidas no laboratório, eles puderam descobrir quanto tempo levou para as gerações se reproduzirem em números anteriores.

Resposta: não o suficiente.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Se até mesmo um punhado de baratas resistentes sobreviver ao primeiro tratamento de um ou até mesmo de vários pesticidas, seus descendentes vão desenvolver resistência ao veneno e se reproduzir.

O mais chocante de tudo é que, ao desenvolver uma resistência a uma classe de pesticidas, as baratas tinham uma chance melhor de sobreviver a outra completamente. Os insetos coletados em campo que haviam sido atingidos mensalmente com apenas abamectina também eram agora mais resistentes aos outros dois pesticidas usados ​​no estudo.

LEIA TAMBÉM: Pesquisadores descobriram fungos comerciantes.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

“Veríamos a resistência aumentar quatro ou seis vezes em apenas uma geração”, disse Scharf .

“Não fazíamos ideia de que algo assim poderia acontecer tão rápido”.

Exatamente como eles fazem isso é um mistério. Ao contrário das superbactérias, os mecanismos bioquímicos da resistência a baratas não têm sido uma prioridade alta, e nunca foram pesquisados ​​pesadamente.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

A lição aqui é não ficar com preguiça quando se trata de controle de pragas, e pensar estrategicamente sobre a erradicação de baratas. Poderíamos encontrar novos pesticidas , talvez, e esperar que a evolução nos dê um tempo.

Ou talvez seja hora de fazermos a paz. Quando todas as outras fontes de alimento entrarem em colapso, você poderá ser grato por ter feito isso.

Esta pesquisa foi publicada em Scientific Reports.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Faça um comentário

Notícia

Durante o desenvolvimento embrionário, os mamíferos (a maioria deles) crescem na cavidade do útero da mãe. Esse ambiente vai se dilatando e desenvolvendo ao...

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Saúde & Bem-Estar

Os exercícios de alta intensidade de intervalos (HIIT) se tornaram populares nos últimos anos por uma série de razões. Eles não exigem tanto tempo...

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.