Connect with us

Hi, what are you looking for?

História & Humanidade

A sabedoria de Cleópatra, a rainha que mudou a história do Egito

Cleópatra
Cleópatra e César (1866). Pintura de Jean-Léon Gérôme. (Domínio Público)

Cleópatra VII não é apenas uma pessoa famosa na história, ela é também o ícone de uma cultura rica e poderosa. Ela era normalmente retratada como uma amante de grandes homens, mas a verdade era diferente. Mais importante do que sua vida amorosa foram suas buscas educacionais. Cleópatra VII poderia ser chamada de uma das maiores intelectuais de sua época.

Se alguém acreditasse que uma mulher só poderia alcançar uma posição tão grande no mundo antigo com base apenas em sua beleza, não poderia estar mais errado. Desde o início das civilizações mais antigas, as mulheres eram capazes de se tornar governantes independentes, mas as que permaneceram no trono por mais tempo, tiveram que aprender habilidades específicas para alcançá-lo.

Desde o início, a vida de Cleópatra não foi fácil. Ela nasceu em 69 AEC, como filha do faraó Ptolomeu XII, durante um período muito difícil na história do Egito. Seu pai era talvez um sonhador inteligente, mas ele não tinha a habilidade de ser um rei de sucesso. Aqueles tempos no Egito já eram dominados pelos romanos, e parecia que não haveria mais grandes governantes egípcios. No entanto, Cleópatra mudou a história.

Continua depois da publicidade
Estátua de Cleópatra no Museu Pio-Clementino
Uma estátua romana de mármore reestruturada de Cleópatra usando uma diadema e penteado semelhante a retratos de moedas, encontrada ao longo da Via Cassia perto de Tomba di Nerone, Roma, e agora localizada no Museu Pio-Clementino (Domínio Público)

O poderoso reinado de Cleópatra

Muitas governantes femininas de pouco tempo tomaram o trono devido à morte do pai, marido ou irmão. Entretanto, essas mulheres geralmente governaram por um tempo muito curto e frequentemente enfrentaram um final trágico. No caso de Cleópatra, ela foi elevada ao status de deusa divina, e permaneceu no nível dos faraós por muitos anos. Seus co-regentes, irmãos e um filho, não tinham grande poder fora do Egito. Cleópatra havia assumido a responsabilidade das relações exteriores desde o início de seu reinado. Além disso, ela veio para expandir seu poder para níveis ainda maiores.

LEIA TAMBÉM: Nova descoberta pode revelar a localização do túmulo de Cleópatra

A maior parte do conhecimento sobre Cleópatra vem de escritores romanos, que seguiram as expectativas do Imperador e não escreveram muito sobre seu lado positivo. Ela era geralmente descrita como uma mulher que forjou sua carreira nas camas de homens poderosos. No famoso livro O Decameron, do mestre italiano da literatura medieval Giovanni Boccaccio, ela foi apresentada como uma alegoria do pecado. A história de Cleópatra usando seu erotismo e seus talentos sexuais para melhorar a situação política do Egito permaneceu forte ao longo dos séculos. Entretanto, se isso fosse verdade, ela teria sido morta ou destronada em menos tempo do que levou para se tornar amante de Júlio César.

A sabedoria da Cleópatra
Cleópatra é frequentemente retratada como uma sedutora. Um desenho de Faulkner de Cleópatra cumprimentando Antônio (Domínio Público)

Como Cleópatra se tornou o último grande governante do Egito? Qual foi sua força? Segundo o Plutarco (Vida de Antônio, XXVII.2-3) “Pois sua beleza, como nos dizem, não era em si mesma incomparável, nem tal que atingisse aqueles que a viam; mas conversar com ela tinha um encanto irresistível, e sua presença, combinada com a persuasão de seu discurso e o caráter que de alguma forma era difuso sobre seu comportamento em relação aos outros, tinha algo de estimulante. Havia doçura também nos tons de sua voz; e sua língua, como um instrumento de muitas cordas, ela podia recorrer prontamente a qualquer língua que lhe agradasse…”.

A mente brilhante da rainha egípcia

Cleópatra, no início de sua carreira política, não falava latim. Entretanto, é possível que com o tempo ela tenha começado a aprender. Cleópatra conhecia a antiga língua egípcia, ela aprendeu a ler hieróglifos, o que era exclusivo de sua dinastia. Além disso, ela conhecia o grego e as línguas dos partos, judeus, medos, Trogodyatae, sírios, etíopes e árabes. Com este conhecimento, todos os livros de seu mundo foram abertos a ela. Além das línguas, ela estudou geografia, história, astronomia, diplomacia internacional, matemática, alquimia, medicina, zoologia, economia e muito mais. Ela tentou adquirir todos os conhecimentos do mundo.

Continua depois da publicidade
A rainha cleopatra
Esculturas romanas antigas no Antikensammlung Berlin (CC BY 3.0)

É sabido que Cleópatra VII passou muito tempo em um tipo de laboratório antigo. Ela escreveu pelo menos alguns trabalhos relacionados a ervas e cosmetologia. Infelizmente, todos os livros escritos por ela foram perdidos no incêndio de 391 DEC, quando a grande Biblioteca de Alexandria foi destruída. O famoso médico Galen estudou suas obras e foi capaz de reescrever algumas receitas criadas por ela. Um dos medicamentos que ele também sugeriu a seus pacientes foi um creme especial, que ajudava os homens a ganhar o cabelo de volta. Seus livros também continham dicas de beleza, mas nenhum deles sobreviveu. Cleópatra estava interessada em curar com ervas, devido às suas habilidades linguísticas ela podia ler papiros, que agora estão perdidos. Seu impacto sobre as ciências e a medicina era bem conhecido mesmo durante os primeiros séculos do cristianismo.

LEIA TAMBÉM: Conheça a grande rainha africana que libertou seu povo da escravidão

Cleópatra testando venenos em prisioneiros condenados por Alexandre Cabanel (1887).
Cleópatra testando venenos em prisioneiros condenados por Alexandre Cabanel (1887). (Domínio Público)

O testemunho de sabedoria

Quando Cleópatra morreu em 30 AEC, ela deixou seu maior legado no intelecto de sua filha – Cleópatra Selene. Esta jovem estava bem preparada para sua vida futura. Sua mãe lhe deu aulas e treinamento, o que lhe proporcionou uma posição forte no coração de Octávio de agosto. Ele teve o cuidado de organizar um bom casamento para ela, de modo que ela se tornou esposa de um dos maiores intelectuais entre os príncipes da coroa do Mediterrâneo no século I AEC. Ela se casou com o futuro rei Juba II de Mauritânia, que permitiu que sua esposa cultivasse a memória de sua grande mãe.

A sabedoria de Cleópatra VII tem sido esquecida por séculos. No entanto, parece lógico que se ela não tivesse sido bem educada, teria sido morta pelos romanos. Em um mundo cheio de pessoas poderosas que estavam querendo vê-la morta, Cleópatra foi capaz de enganar a todos.

Este artigo foi republicado de Ancient Origins. Leia o original. Direitos reservados.

Continua depois da publicidade

Tradução e adaptação de Damares Alves.

Ancient Origins
Publicado por

Nosso objetivo é destacar as mais recentes descobertas arqueológicas, pesquisas acadêmicas e evidências revisadas por pares, além de oferecer pontos de vista alternativos e explicações sobre ciência, arqueologia, mitologia, religião e história em todo o mundo.


Populares hoje

Física & Química

O urânio é um elemento químico famoso pela aplicação em usinas de energia nuclear e bombas atômicas. Esse elemento radioativo tem o número atômico...

Planeta & Ambiente

Os filmes de ficção científica sempre nos fazem imaginar acerca de como seria o mundo caso um alienígena usasse seus “poderes” contra os humanos....

Plantas & Animais

Resgatar um animal é uma tarefa bastante complicada. Agora, imagine ter que salvar uma manada de uma espécie de girafa em extinção, que estão...

Notícia

Há 20 mil anos, a Terra estava passando pela mais recente de suas eras glaciais. Devido a alterações na atmosfera do planeta, enormes coberturas...