Connect with us

Hi, what are you looking for?

História & Humanidade

10 das piores epidemias e pandemias da história da humanidade

Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. Imagem: Uma enfermaria de gripe em um hospital do exército americano na França durante a pandemia de gripe espanhola de 1918. (Shutterstock)

Ao longo de toda a história, houve surtos de doenças que devastaram a humanidade. Muitas vezes essas epidemias mudaram o curso da história e, às vezes, sinalizando o fim de civilizações inteiras. Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história.

Zika vírus surgiu em 2015 e sofremos seus efeitos até hoje

Até o momento, cientistas enfrentam uma corrida contra o tempo para controlar o Zika vírus. O vírus geralmente é transmitido por mosquitos do gênero Aedes, mas também pode ser transmitido sexualmente em humanos. 

Embora o zika geralmente as pessoas não apresentem sintomas, o Zika pode provocar paralisia (síndrome de Guillain-Barré). Em gestantes, pode causar defeitos congênitos subsequentes. O tipo de mosquito que transmite o zika floresce melhor em climas quentes e úmidos, tornando a América do Sul, a América Central e partes do sul dos Estados Unidos em áreas privilegiadas para a proliferação do vírus. 

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Microcefalia em um bebê recém-nascido. Este é um dos possíveis efeitos da epidemia do vírus zika. Sinais de microcefalia podem se desenvolver alguns meses após o nascimento. (Brar_j. - Flickr)
Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. Microcefalia em um bebê recém-nascido. Este é um dos possíveis efeitos da epidemia do vírus zika. Sinais de microcefalia podem se desenvolver alguns meses após o nascimento. (Brar_j. – Flickr)

Epidemia de Ebola na África Ocidental entre 2014 e 2016

O ebola devastou a África Ocidental por volta de 2014 e 2016, foram relatados cerca de 28.600 casos e 11.325 mortes. O primeiro caso a ser relatado foi na Guiné em dezembro de 2013, depois a doença se espalhou rapidamente para a Libéria e Serra Leoa. A maior parte dos casos e mortes ocorreu nesses três países. Um número menor de casos ocorreu na Nigéria, Mali, Senegal, Estados Unidos e Europa, informou o Centers for Disease Control and Prevention. 

Apenas recentemente cientistas declararam o Ebola oficialmente curável. Os primeiros casos conhecidos de Ebola ocorreram no Sudão e na República Democrática do Congo em 1976, e o vírus pode ter se originado em morcegos. 

O ebola devastou a África Ocidental por volta de 2014 e 2016, foram relatados cerca de 28.600 casos e 11.325 mortes.
Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. O ebola devastou a África Ocidental por volta de 2014 e 2016, foram relatados cerca de 28.600 casos e 11.325 mortes.

Pandemia da gripe suína H1N1 entre 2009 e 2010

A pandemia de gripe suína de 2009 foi causada por uma nova cepa de H1N1, que se originou no México, antes de se espalhar para o resto do mundo. Em um ano, o vírus infectou 1,4 bilhão de pessoas em todo o mundo e matou entre 151.700 e 575.400 pessoas, segundo dados do CDC .

A pandemia de gripe de 2009 afetou principalmente crianças e adultos jovens, visto que 80% das mortes ocorreram em pessoas com menos de 65 anos, informou o CDC. Isso foi incomum, considerando que a maioria das cepas de vírus da gripe, incluindo aquelas que causam a gripe sazonal, causam a maior porcentagem de mortes em pessoas com 65 anos ou mais. Porém, no caso da gripe suína, as pessoas mais velhas já pareciam ter imunidade suficiente ao grupo de vírus ao qual o H1N1 pertence, por isso não foram afetadas tanto. Uma vacina para o vírus H1N1 que causou a gripe suína agora está incluída na vacina anual.

Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. A pandemia de gripe suína de 2009 foi causada por uma nova cepa de H1N1, que se originou no México.
Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. A pandemia de gripe suína de 2009 foi causada por uma nova cepa de H1N1, que se originou no México.

A Pandemia de AIDS começou em 1981 e nos assola até os dias atuais

Deste que foi identificada pela primeira vez em 1981, a AIDS já matou cerca de 35 milhões de vidas. O HIV, que é o vírus causador da Aids, provavelmente se desenvolveu a partir de um vírus de chimpanzé que foi transferido para seres humanos na África Ocidental na década de 1920. O vírus fez o seu caminho ao redor do mundo, e a AIDS foi uma pandemia no final do século XX. Agora, cerca de 64% dos 40 milhões estimados que vivem com o vírus da imunodeficiência humana (HIV) vivem na África Subsaariana.

Por décadas, a doença não tinha cura conhecida, mas os medicamentos desenvolvidos na década de 1990 agora permitem que as pessoas com a doença tenham uma vida normal com tratamento regular. Ainda mais encorajador, duas pessoas foram curadas do HIV desde o início de 2020.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. Micrografia eletrônica de varredura de VIH-1, em cor verde, saindo de um linfócito cultivado.(Créditos: C. GoldsmithContent Providers)
Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. Micrografia eletrônica de varredura de VIH-1, em cor verde, saindo de um linfócito cultivado.(Créditos: C. GoldsmithContent Providers)

A Gripe Espanhola entre 1918-1920

Também conhecida como gripe de 1918, essa pandemia matou cerca de 500 milhões de pessoas dos. Um quinto de toda a população morreu, deixando algumas comunidades indígenas à beira da extinção. A propagação e a letalidade da gripe foram aprimoradas pelas condições restritas dos soldados e pela má nutrição em tempos de guerra que muitas pessoas estavam experimentando durante a Primeira Guerra Mundial. 

Apesar do nome Gripe Espanhola, a doença provavelmente não começou na Espanha. A Espanha foi uma nação neutra durante a guerra e não impôs uma censura rigorosa à imprensa, o que poderia, portanto, publicar livremente relatos iniciais da doença. Como resultado, as pessoas acreditavam falsamente que a doença era específica da Espanha e o nome Gripe Espanhola ficou na história.

Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. Imagem: Uma enfermaria de gripe em um hospital do exército americano na França durante a pandemia de gripe espanhola de 1918. (Shutterstock)
Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. Imagem: Uma enfermaria de gripe em um hospital do exército americano na França durante a pandemia de gripe espanhola de 1918. (Shutterstock)

Pandemia de gripe de 1889

Na era industrial moderna, novas ligações de transporte tornaram mais fácil para os vírus influenza causar estragos. Em apenas alguns meses, a doença se espalhou pelo mundo, matando 1 milhão de pessoas. A epidemia levou apenas cinco semanas para atingir o pico de mortalidade.

Os primeiros casos foram relatados na Rússia. O vírus se espalhou rapidamente por São Petersburgo antes de percorrer rapidamente a Europa e o resto do mundo, apesar de que na época ainda não existissem viagens aéreas.

Gravura em madeira mostrando enfermeiros que atendem pacientes em Paris durante a pandemia de gripe de 1889-90. A pandemia matou cerca de 1 milhão de pessoas.   (Crédito da imagem: Shutterstock)
Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. Gravura em madeira mostrando enfermeiros que atendem pacientes em Paris durante a pandemia de gripe de 1889-90. A pandemia matou cerca de 1 milhão de pessoas. (Crédito da imagem: Shutterstock)

Grande Praga de Londres entre 1665-1666

O último grande surto da Peste Negra na Grã-Bretanha causou um êxodo em massa de Londres, liderado pelo rei Carlos II. A praga começou em abril de 1665 e se espalhou rapidamente pelos meses quentes do verão. As pulgas de roedores infectados por peste foram uma das principais causas de transmissão. Quando a praga terminou, cerca de 100.000 pessoas, incluindo 15% da população de Londres, haviam morrido. Mas este não foi o fim do sofrimento daquela cidade. Em 2 de setembro de 1666, o Grande Incêndio de Londres começou, durando quatro dias e incendiando uma grande parte da cidade. 

Praga russa entre 1770-1772

Quando Moscou estava sendo devastada pela peste, o terror dos cidadãos em quarentena explodiu em grande violência. Os tumultos se espalharam pela cidade e culminaram no assassinato do arcebispo Ambrosius, que estava incentivando a multidão a não se reunir para o culto.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

A imperatriz da Rússia, Catarina II, estava tão desesperada para conter a praga e restaurar a ordem pública que emitiu um decreto apressado ordenando que todas as fábricas fossem transferidas de Moscou. Quando a praga terminou, até 100.000 pessoas já haviam morrido. Mesmo depois que a praga terminou, Catherine lutou para restaurar a ordem. Em 1773, Yemelyan Pugachev, um homem que alegou ser Pedro III (marido executado de Catarina), liderou uma insurreição que resultou na morte de milhares de outras pessoas. 

A Peste Negra: 1346-1353

Peste Negra viajou da Ásia para a Europa, deixando a devastação em seu rastro. Algumas estimativas sugerem que ele destruiu mais da metade da população da Europa. Foi causada por uma cepa da bactéria Yersinia pestis que provavelmente está extinta hoje e foi espalhada por pulgas em roedores infectados. Os corpos das vítimas foram enterrados em valas comuns. 

A praga mudou o curso da história da Europa. Com tantos mortos, a mão de obra se tornou mais difícil de se encontar, trazendo melhores salários para os trabalhadores e o fim do sistema de servidão da Europa. Estudos sugerem que os trabalhadores sobreviventes tiveram melhor acesso à carne e pão de melhor qualidade. A falta de mão-de-obra barata também pode ter contribuído para a inovação tecnológica.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Ilustração de Liber chronicarum, 1. CCLXIIII; Esqueletos estão ressuscitando dos mortos para a dança da morte. (Crédito da imagem: Anton Koberger, 1493 / Domínio público)
Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. Ilustração de Liber chronicarum, 1. CCLXIIII; Esqueletos estão ressuscitando dos mortos para a dança da morte. (Crédito da imagem: Anton Koberger, 1493 / Domínio público)

Uma das mais antigas epidemias: cerca de 3000 AEC

Há cerca de 5.000 anos, uma epidemia varreu toda uma vila préhistórica

Antes da descoberta de Hamin Mangha, outro enterro em massa pré-histórico que data aproximadamente o mesmo período foi encontrado em um local chamado Miaozigou, no nordeste da China. Juntas, essas descobertas sugerem que uma epidemia devastou toda aquela região. 

Há cerca de 5.000 anos, uma epidemia varreu toda uma vila pré-histórica
Aqui estão 10 das piores epidemias e pandemias, desde os tempos modernos até a pré-história. Há cerca de 5.000 anos, uma epidemia varreu toda uma vila pré-histórica.

FONTE / LiveScience

Redação
Publicado por

A SoCientífica, abreviação para Sociedade Científica, nasceu em agosto de 2014 da vontade de decifrar as novidades no mundo científico e transmiti-las para uma sociedade que depende da ciência e tecnologia mas que sabe muito pouco sobre elas. Em um momento em que a desconfiança está se sobressaindo e novas ondas negacionistas de evidências surgem, a SoCientífica está empenhada em ajudar a trazer iluminação para a sociedade novamente.

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.

Mente & Cérebro

Nas últimas décadas, inúmeras pesquisas mostraram a relação entre amamentação e a saúde da criança. Sabe-se, por exemplo, que a amamentação ajuda no desenvolvimento...

Planeta & Ambiente

Nukumi, uma grande fêmea de tubarão-branco marcada no ano passado está cruzando o Atlântico já faz dois meses. De acordo com especialistas, ela pode estar...