Connect with us

Hi, what are you looking for?

Planeta & Ambiente

Uma geleira no Alasca está prestes a colapsar causando um tsunami gigante

tsunami gigante
O Alasca corre o risco de sofrer com uma enorme onda, caso a Geleira Barry deslize. Foto: DGGS

Um grupo de cientistas está preocupado com a Geleira Barry, no Alasca. Ela está localizada 96 quilômetros a leste de Anchorage, a maior cidade do estado. Conforme os estudiosos do assunto, existe a ameaça de um tsunami gigante nos próximos 20 anos.

A ameaça é forte, já que uma encosta torna a região instável devido ao gelo derretido. Desta forma, mais de 290 mil pessoas correm risco.

LEIA MAIS: O que é o permafrost e qual sua importância para a ciência?

Continua depois da publicidade

Tsunami gigante pode varrer a região

Os dados foram apresentados após alguns anos de análises, entre 2009 e 2015 os cientistas identificaram a evolução da Geleira Barry. Ao longo deste período curto, ela deslizou lentamente em direção ao fiorde Harriman. Assim, durante os 6 anos foram cobertos mais de 180 metros.

Entretanto, toda a sua inclinação pode entrar em colapso e gerar um tsunami gigante nos próximos anos. Dessa forma, os pesquisadores sugerem que um terremoto, um verão mais quente do que o normal ou mesmo o excesso de neve podem desestabilizar milhões de toneladas de rocha e gelo.

Todo esse material seria levado para as águas do fiorde, gerando uma catástrofe. E para piorar, em 1964 um terremoto com 9,2º de magnitude foi registrado na região do Príncipe William, onde o Golfo do Alasca, na costa sul, emite um som. Ou seja, já existe um histórico.

Continua depois da publicidade

VEJA TAMBÉM: Réptil marinho de 200 milhões de anos descoberto no Alasca

Geleira de Barry pode atingir o fiorde Harriman. Foto: DGGS

Uma onda com mais de 30 metros

A expectativa é de que aconteça uma onda com mais de 30 metros de altura, caso a Geleira Barry entre em colapso. Além disso, é possível que a água do fiorde atinja um raio de 80 quilômetros.

Contudo, por enquanto os pesquisadores se mostram incapazes de dizer quando isso pode acontecer. Porém, a região ao norte do Alasca é uma das que esquenta mais rápido em todo o planeta, o que pode contribuir com o avanço das geleiras, aumentando a preocupação.

TALVEZ VOCÊ GOSTE: 10 sinais de que o clima da Terra está fora dos trilhos

Continua depois da publicidade

Eventos como este podem ser cada vez mais comuns em um mundo aquecido. Mas, por enquanto esse estudo ainda é preliminar e precisa de mais avaliações. A expectativa é de que geólogo realizem uma pesquisa mais detalhada, para alertar a população local, embora o governo já tenha começado a tomar precauções.

Um pouco sobre a região de Anchorage

Anchorage é a maior cidade do estado do Alasca e a principal região que seria mais atingida pelo tsunami gigante. Ela conta com mais de 40% da população do estado, perdendo apenas para Nova York, em relação a proporção de moradores locais e o total da região.

Um dos destaques da cidade é a proximidade com centros comerciais do mundo inteiro, distante 10 horas de voo de Tóquio, por exemplo. Assim, seu a aeroporto é muito utilizado por aviões de carga.

Continua depois da publicidade
Erik Behenck
Publicado por

Erik Behenck é jornalista, adora novas descobertas e apaixonado pela escrita.


Populares hoje