Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Sistemas planetários podem suportar até 7 planetas habitáveis

Conhecemos mais de 4 mil exoplanetas, e um número grande pode suportar vida. Aparentemente, estrelas podem suportar até 7 planetas habitáveis.

Sistema Trappist-1. (Créditos da imagem: NASA / JPL).

Conhecemos mais de 4 mil exoplanetas, ou seja, planetas fora do sistema solar, dos quais, um número maior do que pensávamos pode suportar vida. Aparentemente, estrelas podem suportar até 7 planetas habitáveis.

Geralmente consideramos a quantidade de planetas habitáveis, considerando todos os exoplanetas conhecidos, com estimativas mais baixas, já com o intuito de não ser otimista demasiado, e ser mais realista. 

No nosso sistema solar, por exemplo, há apenas um planeta habitável: a Terra. Conforme esse estudo, entretanto, um número mais elevados na zona habitável de um sistema solar são seria tão impossível.

Continua depois da publicidade

LEIA TAMBÉM:  Oceanos de lava não explicam o brilho de exoplanetas Superterras

O estudo foi publicado no periódico The Astronomical Journal, e foi liderado por Stephen Kane, da Universidade da Califórnia, localizada em Riverside, Califórnia, nos Estados Unidos. 

Em busca dos planetas

Kane partiu nesta missão quando pensava sobre o Trappist-1, conforme relata em um comunicado. O Trappist-1 ficou famoso há alguns anos por ter três planetas parecidos com a Terra, e potencialmente habitáveis.

Continua depois da publicidade

“Isso me fez pensar sobre o número máximo de planetas habitáveis ​​que uma estrela pode ter e por que nossa estrela só tem um. Não parecia justo!”, relata Kane no comunicado da universidade.

Ele e sua equipe, então, passaram a criar algumas simulações computacionais, mapeando diversos planetas interagindo gravitacionalmente entre si, com diversos cenários distintos.

LEIA TAMBÉM: Este telescópio será tão poderoso que vai detectar vegetação em exoplanetas

Continua depois da publicidade

Eles perceberam que algumas estrelas podem suportar até sete planetas em sua zona habitável, seis com água líquida. Mas isso se não houverem gigantes gasosos, como Júpiter ou Saturno naqueles sistemas.

Isso tudo na teoria. Ademais, um número maior de planetas não é possível. “Mais de sete, e os planetas ficam muito próximos um do outro e desestabilizam as órbitas um do outro”, diz Kane.

Kane também culpa Júpiter por não deixar que outros planetas, como Marte, ficassem na zona habitável. Sozinho, Júpiter possui mais de 2,5 vezes a massa de todos os outros planetas somados.

Continua depois da publicidade

Cada estrela é uma estrela

Essa quantidade de planetas depende também dos tipos das estrelas. Estrelas mais quentes terão zonas habitáveis maiores, por exemplo. Estrelas menores e mais frias, como o Sol, por outro lado, possuem zonas habitáveis bem menores.

As estrelas com maior capacidade de planetas na zona habitável são as estrelas do tipo O, B e A, as maiores estrelas pela classificação estelar, como mostra a imagem abaixo. O Sol é uma estrela do tipo G.

Classificação estelar Morgan–Keenan (MK). (Créditos da imagem: Wikime

Um ponto que ajuda nessa quantidade, também, é o fato de que, apesar de ser uma elipse, as órbitas dos planetas não são muito achatadas. Na verdade, órbitas de planetas são quase redondas – isso ajuda a prevenir choques em uma zona habitável com muitos planetas.

Agora, alguns projetos, como o  Habitable Exoplanet Observatory (HabEx), da NASA, terão como principal alvo as estrelas que possam ter vários planetas pequenos como a Terra em sua zona habitável.

Continua depois da publicidade

Um dos sistemas mais promissores, é o da estrelas Beta CNv, a 27 anos-luz da Terra, uma distância relativamente curta. Por não possuir um planeta como Júpiter, é um bom lugar para começar a testar as ideias do estudo.

“Medindo as propriedades dos exoplanetas cujas vias evolutivas podem ser semelhantes às nossas, obtemos uma prévia do passado e do futuro deste planeta – e o que devemos fazer para manter sua habitabilidade”, diz Kane.

O estudo foi publicado no The Astronomical Journal. Com informações de Universe Today e Universidade da Califórnia.

Continua depois da publicidade
Avatar
Publicado por

É divulgador científico por paixão. Gradua-se em Física pela UFSCAR e atua principalmente na Ciencianautas e SoCientífica.


Populares hoje

Ciência

Na Paleontologia, encontrar novas peças que pertenceram a milhões de anos atrás é um dos principais objetos de estudo. No entanto, durante uma expedição...

Notícia

Os hominídeos Homo antecessor são parentes bem antigos dos Homo sapiens. Esses humanos ancestrais habitavam vastas regiões da Europa entre 1,2 milhões e 800...

Notícia

No dia 18 de fevereiro de 2021, a sonda Perseverance da NASA pousou na cratera de Jezero, na superfície de Marte. No entanto, o...