Connect with us

Hi, what are you looking for?

Saúde & Bem-Estar

A música envia uma sensação de arrepio prazerosa ao cérebro

Sua música favorita traz à tona memórias felizes ou nostalgia, enquanto outra melodia pode enviar uma sensação de arrepio ao cérebro.

sensação de arrepio música
Sensação de arrepio provocada pela música. Imagem: Unsplash.

A música nos proporciona experiências intensas e, muitas vezes, eufóricas. Sua música favorita traz à tona memórias felizes ou nostalgia, enquanto outra melodia pode enviar uma sensação de arrepio ao cérebro.

Os cientistas já conseguiam ver a sensação de calafrio em imagens cerebrais. Ela foi associada a uma ativação do sistema de recompensa e prazer do cérebro em estudos anteriores. Agora, os cientistas analisaram padrões de atividade cerebral relacionados a arrepios musicais agradáveis.

Neste estudo, um eletroencefalograma de alta densidade mediu ondas de atividade elétrica no cérebro das pessoas ao ouvir música com fones de ouvido. As pessoas tinham eletrodos em seu couro cabeludo.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Ondas de prazer musical

A equipe de pesquisa fez a experimentação com 11 mulheres e 7 homens que frequentemente sentem a sensação de arrepio proporcionada pela música. Eles ouviram uma coleção de 15 minutos com sons curtos de 90 segundos. Alguns trechos foram retirados das músicas indutoras de arrepio dos participantes, enquanto outras gravações foram selecionadas pelos pesquisadores.

A pesquisa anterior sinalizou a sensação de arrepio em dois momentos: quando a música estava crescendo e seguido pela segunda fase, que seria o pico do prazer.

Os 18 amantes de música do estudo atual relataram mais de 300 arrepios com a média de 9 segundos.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
homem ouvindo música
Imagem: Unsplash.

Mas, analisando o eletroencefalograma, os pesquisadores identificaram outros momentos de arrepio intenso. Fora o resultado de algumas pessoas que foram excluídos, já que não apresentaram sensação de arrepios musicais durante os experimentos.

Outra correlação realizada mostra não ser necessário ter talento musical para sentir calafrios. Mesmo sem treinamentos ligados a música, é possível desfrutar do som da mesma forma.

Ainda mais, uma análise aprofundada dos resultados demonstra o momento em que o participante ficou arrepiado e suas taxas de excitação aumentaram, quando a atividade cerebral também aumentou no córtex pré-frontal.

LEIA TAMBÉM: Melhor memória e atenção: veja os benefícios da música para seu cérebro

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Com um algoritmo, os pesquisadores rastrearam a atividade na superfície do cérebro até a ativação do córtex orbitofrontal. Essa região do cérebro fica acima das órbitas oculares e faz parte das experiências sensoriais e do processamento de emoções.

Sistemas de recompensa do cérebro

música
Imagem: Unsplash.

Os pesquisadores também identificaram dois padrões específicos de calafrios na área motora suplementar do mesencéfalo e no lobo temporal direito. A região processa sons e pode estar associada à apreciação musical.

Assim, os resultados da última pesquisa com relação a ativação dessas regiões cerebrais estão de acordo com as descobertas dos estudos anteriores. Do mesmo modo que elas acionam os sistemas de recompensa do cérebro e liberam a dopamina, hormônio do “bem-estar”.

O estudo alimenta novas oportunidades para pesquisas com eletroencefalograma em outros contextos, diz o neurocientista Thibault Chabin, da University Burgundy Franche-Comté, na França.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Ao contrário das máquinas de imagens cerebrais utilizadas nos estudos anteriores, os instrumentos de eletroencefalograma sem fio são facilmente transportáveis. E, além disso, são promissores ao medir o prazer musical em salas de concertos ou em um show.

Ou seja, o resultado pode ser diferente, porque as 18 pessoas experimentadas já esperavam sentir a sensação de arrepio no estudo.

Pesquisa publicada na Frontiers in Neuroscience.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Amanda dos Santos
Publicado por

Trabalha como redatora e produtora de conteúdo. Graduada em Comunicação Social e atua como colaboradora na SoCientífica.

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.

Mente & Cérebro

Nas últimas décadas, inúmeras pesquisas mostraram a relação entre amamentação e a saúde da criança. Sabe-se, por exemplo, que a amamentação ajuda no desenvolvimento...

Planeta & Ambiente

Nukumi, uma grande fêmea de tubarão-branco marcada no ano passado está cruzando o Atlântico já faz dois meses. De acordo com especialistas, ela pode estar...