Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Misterioso pico de radiação foi detectado na Europa

Misterioso pico de radiação
Imagem: © Lars Thulin via Getty Images.

Um misterioso pico de radiação foi detectado na Europa, mais especificamente na região norte do continente. Conforme a análise feita por uma agência de saúde holandesa, isso pode indicar danos causados por uma usina nuclear no oeste da Rússia. Além disso, possivelmente trata-se de combustível nuclear.

Contudo, a operadora de energia nuclear russa, Rosenergoatom, negou essa possibilidade, pelo menos nas usinas de Kola e Leningrado. A Suécia foi um dos países que detectou a presença de fissão nuclear mais elevada do que o normal, mas ainda assim sem trazer problemas para a saúde das pessoas.

“Ambas as estações estão trabalhando em regime normal. Não houve queixas sobre o trabalho do equipamento”, afirmou agência russa de notícias Tass. “Não foram relatados incidentes relacionados à liberação de radionuclídeos fora das estruturas de contenção”.

Continua depois da publicidade

O porta-voz Dmitry Peskov, também negou a ocorrência de qualquer incidente. “Temos um sistema excepcional e moderno de monitorização da segurança nuclear e, como se pode ver, não há qualquer alarme relacionado com situações de emergência”, disse.

Misterioso pico de radiação conta com césio-137

O misterioso pico de radiação foi identificado por diferentes agências de vigilância na Escandinávia. Assim, perceberam a presença de radionuclídeos, que são isótopos radioativos. Aliás, eles são átomos com núcleos instáveis, com excesso de energia que pode ser liberada após o decaimento radioativo.

De acordo com a secretária executiva da Organização do Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares, Lassina Zerbo, em publicação no Twitter, realmente são produtos de fissão nuclear. Assim, césio-134, césio-137 e rutênio-103 foram localizados em altas concentrações na Finlândia e no Ártico.

Continua depois da publicidade

LEIA TAMBÉM: Césio-137, o maior desastre radiológico do Brasil

Os dados foram analisados no dia 26 de junho, pelo Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente da Holanda. “Os radionuclídeos são artificiais, ou seja, fabricados pelo homem. A composição dos nuclídeos pode indicar danos a um elemento combustível de uma usina nuclear”, diz a entidade.

A Rússia sempre é apontada como possível responsável

Entretanto, não foram tomadas muitas medidas para identificar a origem das propriedades radioativas. Voltando no tempo, poucos dias após o desastre de Chernobyl, em 1986, uma usina nuclear sueca percebeu níveis elevados de radioatividade, conforme um relato do parlamento europeu.

Continua depois da publicidade

Alguns anos atrás, mais uma misteriosa nuvem rodeou a Europa, essa ligada à Rússia. Em 2017, encontraram evidências de materiais com 1.000 vezes mais do que os níveis normais de reutênio-106, na ocasião a Rússia negou qualquer envolvimento.

LEIA TAMBÉM: O que aconteceria se uma usina nuclear brasileira explodisse?

Ainda assim, uma planta de reprocessamento nuclear do país é um dos principais suspeitos, segundo indicou um estudo feito em 2019.

Continua depois da publicidade

Embora a energia nuclear seja mais cara do que as outras formas e ofereça riscos de graves acidentes, muitos países ainda apostam nela. Além disso, pode gerar aquecimento de ecossistemas aquáticos devido a água utilizada para o resfriamento de reatores.

Com informações de Live Science.

Continua depois da publicidade
Erik Behenck
Publicado por

Erik Behenck é jornalista, adora novas descobertas e apaixonado pela escrita.


Populares hoje