Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Lagartas monarcas se agridem para lutar pela comida

lagartas monarcas
As lagartas monarcas devem crescer antes de formar uma crisálida. (imagem: Pixabay)

Experiências em laboratório demonstram que, à medida que o suprimento de erva-leite diminui, as lagartas monarcas aumentam a agressividade. A competição traz à tona o pior desse inseto.

Em laboratório, os pesquisadores observaram enquanto lagartas vagavam por uma refeição difícil de encontrar. A partir de então, elas começam a dar cabeçadas e atacam outras lagartas que mastigam uma folha de serralha. Aparentemente, esse comportamento agressivo visa interromper os insetos que se alimentam em prol da própria janta, relatam o biólogo e neurocientista Alex Keene e seus colegas na iScience.

Keene normalmente estuda moscas-das-frutas e peixes-caverna, mas adaptou o seu laboratório após uma observação casual em casa. No seu quintal, duas lagartas monarcas lutavam entre si. Então, ele encontrou no YouTube alguns vídeos que documentavam esse comportamento, mas não existia literatura científica sobre essa agressividade. Apenas outros tipos de lagartas mostravam comportamento agressivo semelhante, mas em ambientes diferentes.

Continua depois da publicidade

Pesquisa realizada com as lagartas monarcas

O início da pesquisa não foi nada fácil para Keene. Em primeiro lugar, o furacão Dorian, que aconteceu em 2019, atingiu as plantas de seu jardim-laboratório. Também é difícil encontrar plantas de erva-leite sem pesticidas para as lagartas se alimentarem.

Lagartas monarcas em ação.

Uma vez superados esses impasses, os pesquisadores conseguiram filmar as lagartas competindo umas com as outras quando eles limitaram a quantidade de comida disponível.

Com a diminuição da disponibilidade de alimentos, a bióloga Elizabeth Brown, pesquisadora no laboratório de Keene, relatou níveis crescentes de agressão, bem como a desistência da lagarta perdedora.

Continua depois da publicidade

Japp de Roode, biólogo da Emory University não envolvido na pesquisa, disse que esse tipo de comportamento ocorre fora do laboratório também. Isso porque a competição pode ser difícil para as lagartas monarcas, limitadas em suas opções alimentares. Esses insetos consomem apenas erva-leiteira e ficam presos na mesma planta, porque rastejar consome energia.

Ou seja, se não houver alimentação suficiente para todas as lagartas monarcas em uma planta, elas não conseguem sobreviver, disse Japp de Roode.

Dificuldade na transição para borboleta

lagarta monarca
(imagem: pixabay)

Para piorar a situação desse inseto, as lagartas precisam de uma grande quantidade de alimentos para se transformarem em borboletas.

Afinal, do ovo à crisálida, eles multiplicam o seu peso em 3.000 vezes e isso ocorre em duas semanas. É como se uma pessoa ganhasse o peso de duas baleias azuis nesse mesmo período.

Continua depois da publicidade

Assim, lagartas monarcas são como máquinas de comer, diz Keene. Porém, algumas se mostram muito mais agressivas do que outras. O próximo passo é explorar se as lagartas mais ferozes se transformam em borboletas agressivas também, continuou ele.

O que se sabe, mediante estudo, é que as descobertas sugerem um aumento da frequência de agressão ao longo dos estágios finais do desenvolvimento larval. Ou seja, quando as lagartas estão mais velhas e maiores, aumenta a competição por recursos alimentares, promovendo assim a agressão.

Concluindo, em quase todos os casos testados em estudo, a lagarta agredida estava se alimentando. Não se descarta também que a aglomeração possa causar esses ataques de fúria, pois isso tem demonstrado contribuir para o comportamento agressivo em várias outras espécies de insetos.

Continua depois da publicidade

Estudo publicado na iScience.

Amanda dos Santos
Publicado por

Trabalha como redatora e produtora de conteúdo. Graduada em Comunicação Social e atua como colaboradora na SoCientífica.


Populares hoje

Ciência

Na Paleontologia, encontrar novas peças que pertenceram a milhões de anos atrás é um dos principais objetos de estudo. No entanto, durante uma expedição...

Notícia

Os hominídeos Homo antecessor são parentes bem antigos dos Homo sapiens. Esses humanos ancestrais habitavam vastas regiões da Europa entre 1,2 milhões e 800...