Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Descoberta de fotossíntese artificial usa ouro para transformar CO2 em combustível líquido

Créditos: StockGood/iStock

Cientistas desenvolveram uma nova maneira de conseguir a fotossíntese artificial, produzindo hidrocarbonetos de alta energia aproveitando as nanopartículas de ouro ricas em elétrons como catalisador.

Na fotossíntese, as plantas convertem a energia da luz solar em glicose, reorganizando moléculas de água e dióxido de carbono. O novo processo imita essa habilidade natural por meio de manipulações químicas que criam combustível líquido, sem exigir clorofila.

“O objetivo aqui é produzir hidrocarbonetos complexos e liquefeitos a partir do excesso de CO2 e outros recursos sustentáveis, como a luz solar”, diz o químico Prashant Jain, da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign.

Continua depois da publicidade

“Os combustíveis líquidos são ideais porque são mais fáceis, seguros e econômicos de transportar do que o gás,” disse.

Os benefícios de realizar fotossíntese artificial em escala seriam enormes, dando-nos uma fonte de energia limpa e auto-sustentável que poderia um dia alimentar nossas casas e carros simplesmente imitando o que plantas e outros organismos fazem por padrão.

Crédito: Fred Zwicky

Por causa disso, cientistas de todo o mundo estão continuamente procurando como aproveitar a energia solar como uma fonte de combustível fotossintética ilimitada, até porque ela também pode fornecer um meio de nos ajudar a reaproveitar CO2 atmosférico nocivo.

A nova pesquisa de Jain se baseia em trabalhos anteriores que ele liderou em 2018, investigando o uso de nanopartículas de ouro como um substituto para a clorofila — um pigmento que atua como um catalisador na fotossíntese natural, ajudando a conduzir a reação química.

Continua depois da publicidade

“Os cientistas muitas vezes procuram plantas para obter insights sobre métodos para transformar a luz solar, o dióxido de carbono e a água em combustíveis”, disse Jain na época.

Nesses experimentos, a equipe descobriu que minúsculas partículas esféricas de ouro medindo apenas nanômetros de tamanho poderiam absorver luz verde visível e transferir elétrons e prótons foto-excitados.

O novo estudo vai além com a mesma técnica, convertendo CO2 em moléculas combustíveis de hidrocarbonetos complexos — incluindo propano e metano — que são sintetizados pela combinação de luz verde com as nanopartículas de ouro em um líquido iônico.

Continua depois da publicidade

Créditos: Sungju Yu/Jain Lab/Universidade de Illinois em Urbana-Champaign

Ainda assim, como em outros métodos usados ​​para gerar fotossíntese artificial, a praticidade do avanço dependerá, em última instância, de sua eficiência — e de sua capacidade de ser implementada no mundo real.

Nessa frente, os pesquisadores reconhecem que agora precisam refinar a capacidade das nanopartículas de ouro para impulsionar essas conversões químicas e investigar como potenciais aplicativos futuros podem funcionar em escala.

“Ainda há um longo caminho a percorrer”, disse Jain em 2018.

“Acho que precisaremos de, pelo menos, uma década para encontrar tecnologias práticas de fixação de CO2, fixação de CO2 e formação de combustível que sejam economicamente viáveis. Mas todo insight sobre o processo melhora o ritmo no qual a comunidade de pesquisa pode se mover.” [Science Alert]

Continua depois da publicidade
Da Redação
Publicado por

A SoCientífica, abreviação para Sociedade Científica, nasceu em agosto de 2014 da vontade de decifrar as novidades no mundo científico e transmiti-las para uma sociedade que depende da ciência e tecnologia mas que sabe muito pouco sobre elas. Em um momento em que a desconfiança está se sobressaindo e novas ondas negacionistas de evidências surgem, a SoCientífica está empenhada em ajudar a trazer iluminação para a sociedade novamente.

Comentários

Populares hoje

Plantas & Animais

Novos estudos mostram que as tarântulas habitam o planeta por mais de 120 milhões de anos.

Ciência

Na Paleontologia, encontrar novas peças que pertenceram a milhões de anos atrás é um dos principais objetos de estudo. No entanto, durante uma expedição...

Notícia

Os hominídeos Homo antecessor são parentes bem antigos dos Homo sapiens. Esses humanos ancestrais habitavam vastas regiões da Europa entre 1,2 milhões e 800...

Plantas & Animais

Um estegossauro era um tanque de guerra feito de carne e ossos. Assim como outros grupos de dinossauros com armaduras naturais, os estegossauros possuíam...