Connect with us

Hi, what are you looking for?

Ciência

Equipe por trás da primeira imagem de um buraco negro ganhou “Oscar da ciência”

Em Abril a equipe de pesquisadores capturou imagem de um buraco negro supermassivo a cerca de 54 milhões de anos-luz da Terra.

Em 10 de abril, um grupo de cientistas da internacional Event Horizon Telescope Collaboration divulgou a primeira imagem de um buraco negro supermassivo ao público. Embora a imagem estivesse confusa, ela representou um marco importante para a pesquisa espacial.

LEIA TAMBÉM: Pela primeira vez, você pode ver como é um buraco negro

O prêmio

A tecnologia pioneira rendeu à equipe um Breakthrough Prize 2020, concedido em 5 de setembro. O prêmio foi iniciado há oito anos por uma equipe de investidores, incluindo Sergey Brin e Mark Zuckerberg, e é frequentemente chamado de “Oscar da Ciência”.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Os pesquisadores receberão coletivamente US $ 3 milhões, o prêmio será dividido igualmente entre os 347 cientistas do grupo.

A fotografia

Em Abril a equipe de colaboração do Event Horizon Telescope (EHT) capturou imagens de um buraco negro supermassivo no centro da galáxia Messier 87, que fica a cerca de 54 milhões de anos-luz da Terra.

Buracos negros são definidos por uma borda chamada horizonte de eventos: uma região do tão densa que nem a luz pode escapar de sua gravidade. Isso cria uma ‘sombra’ circular, onde toda a luz e matéria é devorada.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

LEIA TAMBÉM: Buraco negro supermassivo que não deveria existir intriga astrônomos

Embora os cientistas não possam enxergar além do horizonte de eventos de um buraco negro, eles podem detectar o gás e a poeira nesse disco, pois o material emite ondas de rádio que podem ser capturadas por um telescópio de alta potência.

Principais características de um buraco negro. (ESO / ESA / Hubble / M. Kornmesser / Business Insider)

Cientistas da EHT estão distribuídos em todo o mundo, mais especificamente em 60 instituições em 20 países.

Para capturar a fotografia, eles contaram com oito radiotelescópios, operando na Antártica, Chile, México, Havaí, Arizona e Espanha. Utilizaram uma rede de relógios atômicos – dispositivos de controle de tempo extremamente precisos que podem medir bilionésimos de segundo – para sincronizar os telescópios ao redor do mundo.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

O projeto EHT começou a coletar informações sobre buracos negros em 2006. A imagem divulgada em abril foi o resultado de observações iniciadas dois anos antes.

FONTE / Business Insider

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Redação
Publicado por

A SoCientífica, abreviação para Sociedade Científica, nasceu em agosto de 2014 da vontade de decifrar as novidades no mundo científico e transmiti-las para uma sociedade que depende da ciência e tecnologia mas que sabe muito pouco sobre elas. Em um momento em que a desconfiança está se sobressaindo e novas ondas negacionistas de evidências surgem, a SoCientífica está empenhada em ajudar a trazer iluminação para a sociedade novamente.

Faça um comentário

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.

Mente & Cérebro

Nas últimas décadas, inúmeras pesquisas mostraram a relação entre amamentação e a saúde da criança. Sabe-se, por exemplo, que a amamentação ajuda no desenvolvimento...

Planeta & Ambiente

Nukumi, uma grande fêmea de tubarão-branco marcada no ano passado está cruzando o Atlântico já faz dois meses. De acordo com especialistas, ela pode estar...