Connect with us

Hi, what are you looking for?

Ciência

Enxames de centopeias paralisam linhas de trem no Japão – veja o motivo

A cada oito anos, enxames de centopeias invadem linhas de trem em montanhas do Japão. Veja o principal motivo.(Imagem de Josch13 por Pixabay)

Imagine que você está fazendo uma viagem de trem pelas montanhas do Japão. No meio do caminho, o trem precisa parar devido a um obstáculo incomum. Em cima dos trilhos, milhares de centopeias se agrupam e cobrem toda a superfície do chão. Ainda mais bizarro é que esse exato evento se repete a cada 8 anos em pelo menos 7 regiões montanhosas do país. O motivo permaneceu obscuro por muito tempo, mas agora pesquisadores finalmente entendem porque essa reunião com milhões de pernas acontece.

Enxames de centopéias
;Keiko Niijima

O artigo, publicado no periódico The Royal Society, mostra que as centopeias em questão na verdade são organismos periódicos. Ou seja, a população aumenta muito em um certo período de tempo, para logo em seguida desparecer e dar origem à nova geração. Nesse sentido, os pesquisadores puderam observar com sucesso o ciclo de vida das centopeias. Esse último, veja só, dura exatos 8 anos – o tempo entre cada bloqueio das linhas férreas por esses artrópodes. Quando o enxame se forma, as centopeias se reproduzem e morrem pouco depois. Cada fêmea pode pôr de 400 a 1000 ovos que darão início a uma nova geração que levará mais 8 anos até atingir a idade adulta.

Centopeias e outros animais periódicos

Por meio dessa descoberta, as centopeias passaram a ser o segundo tipo de artrópode a ter essa característica periódica durante uma vida longa. Os primeiros artrópodes conhecidos por isso são um tanto difíceis de não notar: as cigarras. Esses insetos, por sua vez, podem ter ciclos de vida que variam entre 13 e 17 anos, causando explosões na população de tempos em tempos.

(Imagem de Bernhard Stärck por Pixabay)

Ademais, os cientistas puderam observar que o ciclo de vida das centopeias também está mudando. O responsável? Para variar, a mudança climática. A desordem do ecossistema, portanto, acaba diminuindo o número de animais que chegam à fase adulta e até mesmo alterar o tempo de vida dos animais.

O artigo está disponível no periódico The Royal Society.

Continua depois da publicidade
Mateus Marchetto
Publicado por

Aluno de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, professor de inglês, apaixonado por ciência e divulgação científica. Me interesso principalmente pelas áreas de microbiologia, bioquímica e bioinformática.


Populares hoje

Ciência

Na Paleontologia, encontrar novas peças que pertenceram a milhões de anos atrás é um dos principais objetos de estudo. No entanto, durante uma expedição...

Notícia

Os hominídeos Homo antecessor são parentes bem antigos dos Homo sapiens. Esses humanos ancestrais habitavam vastas regiões da Europa entre 1,2 milhões e 800...

Notícia

No dia 18 de fevereiro de 2021, a sonda Perseverance da NASA pousou na cratera de Jezero, na superfície de Marte. No entanto, o...