Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Vazamento encontrado em estação espacial está em um módulo russo

NASA
A Estação Espacial Internacional. E uma seta apontando para o módulo Zvezda. (NASA)

Na noite desta segunda-feira, os controladores de voo da NASA acordaram os três homens que viviam na Estação Espacial Internacional, porque o pequeno vazamento de ar parecia ter aumentado rapidamente.

A preocupação do controle de solo era encontrar o vazamento na estação espacial.

A NASA e a Roscosmos, a agência espacial da Rússia, procuram pela origem desse vazamento há um ano.

Continua depois da publicidade

Só que, a partir do momento que a taxa de vazamento do ar aumentou, os controladores da missão mostraram um maior empenho em descobrir a provável localização do vazamento.

O vazamento está no módulo principal russo da estação

As agências espaciais já haviam reduzido a localização do vazamento em estação espacial para vários módulos no lado russo da estação.

Estação Espacial Internacional

Assim, o astronauta Chris Cassidy e os cosmonautas Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner testaram esses módulos fechando as escotilhas entre cada um e usando um detector de vazamento ultrassônico para coletar dados durante a noite.

Continua depois da publicidade

Desse modo, a ferramenta mede o ruído causado pelo fluxo de ar muito baixo para ser ouvido por humanos.

Então, na terça-feira pela manhã, eles descobriram que o vazamento estava finalmente no Módulo de Serviço Zvezda, o módulo principal do lado russo da estação.

O Zvezda fornece oxigênio e água potável a essa metade da estação, além de estar equipada com uma máquina que remove o dióxido de carbono do ar. O módulo também contém os dormitórios, sala de jantar, geladeira, freezer e banheiro da seção.

Continua depois da publicidade

A origem do vazamento dentro do módulo ainda não foi identificada nem pela NASA, nem pela Roscosmos. Mas já se sabe que o vazamento está no “compartimento de trabalho” cilíndrico do Zvezda, onde os membros da tripulação vivem e trabalham.

Tamanho do vazamento identificado

NASA

A NASA escreveu em seu blog, na manhã de terça-feira, que os trabalhos adicionais estão em andamento para localizar com precisão a fonte do vazamento.

A agência acrescentou, no entanto, que uma investigação mais aprofundada revelou que o vazamento segue sem representar perigo imediato para a tripulação com a taxa de vazamento atual. O que ocorreu foi apenas um desvio ligeiro em sua programação.

Continua depois da publicidade

Isso porque o vazamento não mudou de repente, e sim foi detectado essa semana como uma mudança temporária de temperatura a bordo da estação, escreveu a NASA.

A importância do módulo Zvezda

Desde setembro de 2019 que vaza ar da estação, mas só em agosto desse ano que os membros da tripulação a bordo da estação notaram o aumento da taxa regular de perda de ar.

Então, eles começaram a testar lacrando cada seção e monitorando a pressão do ar. Mas os tripulantes ficaram justamente no módulo Zvezda durante o teste inicial de quatro dias, logo não o avaliaram.

Continua depois da publicidade

Como esses testes não encontraram nenhum vazamento, a NASA concluiu que a fonte deveria estar em um dos modelos não avaliados: o módulo Zvezda ou o Poisk Mini-Research Module 2, que serve como uma porta para atracar espaçonaves e um local onde os membros da tripulação se preparam para a caminhada no espaço.

Enfim, a NASA e a Roscosmos hesitaram em isolar e testar o módulo Zvezda porque ele se conecta diretamente à espaçonave Soyuz ligada à ISS, a nave utilizada para voltar à Terra em caso de emergência. Em suma, fechar as escotilhas do módulo diminuiria a possibilidade de fuga rápida.

No entanto, na noite de segunda-feira, os controladores locais decidiram que isolar o Zvezda valia o risco e o teste correu bem.

Continua depois da publicidade

Informações de Business Insider e do blog da NASA.

 

 

Continua depois da publicidade

 

Amanda dos Santos
Publicado por

Trabalha como redatora e produtora de conteúdo. Graduada em Comunicação Social e atua como colaboradora na SoCientífica.


Populares hoje