Connect with us

Hi, what are you looking for?

Saúde & Bem-Estar

Transformar o baço em fígado preveniu danos ao órgão em ratos, experimento

(Imagem: Shutterstock)

A ciência está avançando cada vez mais para superar obstáculos, principalmente em assuntos relacionados a saúde. Transformar um baço em fígado em um humano é uma dos avanços que podem acontecer em pouco tempo.

Cientistas chineses utilizam ratos para transformar baço em fígado

O tempo de espera em um fila para um transplante de fígado pode ser enorme, podendo levar meses ou anos. Por este motivo, cientistas tentam de todo modo encontrar maneiras mais viáveis de ajudar pessoas com problemas no fígado.

Um grupo de pesquisadores da Universidade Nanjing, na China, resolveu usar ratos para tentar transformar um baço em fígado. Caso o experimento dê certo, sua eficácia certamente será testada em humanos futuramente, funcionando como uma opção ao transplante de fígado.

Continua depois da publicidade

Os mesmos cientistas já haviam tentando criar fígados do zero no laboratório, no entanto, deram o objetivo por muito complicado devido as intricadas redes de vasos sanguíneos. Contudo, Lei Dong e seus colegas supuseram que poderia ser mais fácil transformar um baço em um fígado.

Esta pesquisa foi citada pelo site NewScientist.

 O processo de transformação

Como foi a cirurgia para transformação do baço em fígado? Fonte: Shutterstock.com

O processo de transformação dos baços dos ratos em fígado foi da seguinte forma: os cientistas injetaram uma substância biológica no baço do rato para o tornar maior e mais forte, a fim de que pudesse suportar o crescimento de tecidos novos.

Depois que o baço havia se fortalecido, os cientistas injetaram células do fígado no baço modificado, esperando que as células injetadas se integrariam com as células do baço. Caso isso acontecesse, as células desenvolveriam o mesmo tecido do fígado.

Continua depois da publicidade

Após oito semanas, as células realmente se transformaram no mesmo tecido do fígado, com ductos biliares e as mesmas estruturas hepáticas. Além de desenvolverem as mesmas funções que o fígado exerce.

O experimento deu certo?

A cirurgia deu certo? Fonte: Shutterstock.com

Os cientistas fizeram um teste para ver se o fígado recém formado substituiria um fígado normal. Para isso, eles removeram 90% dos fígados dos ratos, e os deixaram somente com o novo fígado.

Os ratos com o novo fígado sobreviveram, enquanto que os ratos que tiveram o fígado retirado sem a inserção do novo (grupo controle) morreram.

Para os humanos, o baço também não é um órgão essencial, sendo muitas vezes retirado por razões médicas. Lei Dong e seus colegas disseram que o baço ser transformado em fígado poderia sim ajudar as pessoas na superação de doenças hepáticas, contudo, os baços humanos não poderiam exercer todas as funções do fígado devido a sua localização.

Continua depois da publicidade

O baço humano está relacionado a circulações diferentes das do fígado, como, por exemplo, o fígado faz a desintoxicação da veia porta, mas essa veia não passa pelo baço. Além disso, várias pessoas que possuem problemas no fígado acabam tendo problemas no baço também, segundo Eric Lagasse, da Universidade de Pittsburgh, Pensilvânia.

Essa ainda é uma pesquisa preliminar, que pode ser desenvolvida para que futuramente a transformação possa ser uma opção para as pessoas que tanto precisam de um transplante.

Continua depois da publicidade

Populares hoje

Saúde & Bem-Estar

Uma empresa israelense chamada CorNeat Vision desenvolveu uma córnea sintética e permitiu a um homem de 78 anos, cego há dez anos, recuperar totalmente...

Tecnologia

Muitos especialistas em estratégia militar alertam que as guerras do futuro não serão terrestres, mas confrontos sob o signo da inteligência artificial e do...

História & Humanidade

Os sapiens não são a única espécie humana que já circulou pela Terra, embora hoje só nós estejamos vivos. Fora os sapiens, a espécie...

História & Humanidade

Nós possuímos, em nosso DNA, registros de um ancestral misterioso, que acasalou com espécies humanas há aproximadamente um milhão de anos.