Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Para comemorar o aniversário do Hubble, NASA lança 50 novas incríveis imagens

Caldwell 99. (NASA, ESA, and R. Sahai (Jet Propulsion Laboratory); Processing: Gladys Kober (NASA/Catholic University of America).

A NASA lançou o Telescópio Espacial Hubble em 1990 – 30 anos atrás. Embora seu aniversário seja, na verdade, em abril, agora em dezembro a NASA lançou uma celebração. Para comemorar o aniversário do Hubble, então. a agência liberou 50 novas incríveis fotos de 30 objetos espaciais diferentes captados pelo poderoso telescópio.

Embora ainda ativo, a aposentadoria do telescópio de três décadas se aproxima. O lançamento do Telescópio Espacial James Webb, constantemente adiado, certamente chegará logo. Webb, centenas de vezes mais potente, e com tecnologia de ponta substituirá o velho (mas ainda poderoso e versátil) Hubble, que já serviu muito na explicação de muito do que vemos pelo espaço durante suas três décadas de vida. 

Caldwell 83. (NASA, ESA, and H. Falcke (Max Planck Institute for Radio Astronomy); Processing: Gladys Kober (NASA/Catholic University of America)).

As imagens para o aniversário do Hubble

Com dados do Hubble, então, a NASA recém processou imagens de 30 galáxias, aglomerados de estrelas e nebulosas. Ou, mais poetizado, “30 galáxias deslumbrantes, aglomerados de estrelas cintilantes e nebulosas etéreas”, nas palavras da agência.

Então, colocaremos algumas das imagens ao longo do texto. Acesse a lista completa de imagens através deste link. As imagens novas possuem um selo vermelho escrito ‘NEW’. É facinho de achar. Divirta-se!

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Um ponto interessante, é que a agência escolheu com cuidado quais objetos processariam (na verdade, como você verá à frente, Caldwell tomou o cuidado). Você pode ver cada um deles da Terra, utilizando binóculos, telescópios, ou até mesmo a olho nu. Então, faça um teste. Utilizando uma carta celeste (há apps para isso) para orientar-se no céu, observe. Assim, compare a visibilidade de alguns deles com ou sem algum instrumento astronômico com as imagens captadas pelo Hubble e lindamente processadas pelos cientistas. 

Caldwell 51. (NASA, ESA, and J. Holtzman (New Mexico State University); Processing: Gladys Kober (NASA/Catholic University of America)).

“Essas imagens foram tiradas pelo Hubble ao longo de sua carreira e usadas para pesquisas científicas ou testes de engenharia, mas a NASA não havia processado totalmente as imagens para divulgação pública até agora “, diz a NASA.

Catálogos e mais catálogos

Todas as novas imagens integram um catálogo chamado catálogo Caldwell. Em resumo, há inúmeros catálogos astronômicos. Provavelmente você já viu, por aí, algum objeto espacial chamado Messier (ou somente a letra M) ou NGC, seguidos por uma série de números. Essas são, portanto, as identificações dos objetos nos catálogos. 

Dois dos principais são esses citados. O catálogo Messier nasceu de uma compilação feita pelo astrônomo francês Charles Messier entre os anos 1764 e 1781. Ele engloba, no total, 110 objetos: 40 são galáxias, 29 aglomerados globulares, 27 aglomerados abertos e 11 nebulosas (6 difusas, 4 planetárias e um remanescente de supernova). 

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Já o NGC (New General Catalogue), foi criado por John Dreyer. Com 7840 objetos, o NGC nasceu para substituir  e complementar um catálogo de espaço profundo anterior, o Catálogo de Nebulosas e Aglomerados de Estrelas (CN). Dessa maneira, mais tarde, Dreyer publicou, ainda, o Index Catalogues, inserindo 5386 novos objetos. Desde então, o NGC passou por diversas revisões. 

Caldwell 36. (NASA, ESA, and S. Smartt (The Queen’s University of Belfast); Processing: Gladys Kober (NASA/Catholic University of America)).

O catálogo Caldwell

O catálogo Caldwell, então, é um dessas inúmeras listas de objetos astronômicos. A lista leva o nome de seu criador, o famoso astrônomo amador Sir Patrick Caldwell-Moore, que morreu em 2012 aos 89 anos de idade. Ele trabalhou no rádio, na televisão, escreveu obras ficcionais e textos de divulgação científica, além de veterano da Segunda Guerra.

Caldwell publicou seu catálogo em 1995, na revista Sky & Telescope. Ele o criou como um complemento ao catálogo Messier. Dos 109 objetos, nenhum participa do catálogo Messier e brilham o suficiente para enxergá-los sem equipamentos astronômicos muito rebuscados, por qualquer astrônomo amador. 

Outro ponto que Caldwell prestou atenção foi em englobar o mundo. Em seu catálogo, ele dividiu a lista entre os hemisférios sul e norte, já que cada porção do globo enxerga o céu de maneira diferente um do outro. Dessa forma, um observador em qualquer ponto do globo pode se guiar através de seu catálogo. 

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Caldwell 29. (NASA, ESA, and L. Ho (Peking University); Processing: Gladys Kober (NASA/Catholic University of America)).

Acesse a lista completa de imagens de comemoração do aniversário do Hubble através deste link.

Com informações de NASA

Avatar
Publicado por

É divulgador científico por paixão. Gradua-se em Física pela UFSCAR e atua principalmente na Ciencianautas e SoCientífica.

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Sociedade & Cultura

O povo Tsimane é uma tribo indígena amplamente isolada que vive na Amazônia boliviana.  Estas pessoas levam uma vida muito diferente da nossa. E eles...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...