Connect with us

Hi, what are you looking for?

Ciência

Nunca observamos um tubarão-baleia dar a luz, e ele corre perigo

O tubarão-baleia é o maior tubarão conhecido em todo o oceano. Misteriosom até hoje ninguém observou um tubarão-baleia dar a luz.

Tubarão-baleira do Aquário Geórgia. (Créditos da imagem: Wikimedia Commons).

Até hoje ninguém observou um tubarão-baleia dar a luz. O tubarão-baleia é o maior tubarão e maior peixe conhecido em todo o oceano, podendo passar dos 12 metros de comprimento e de 20 toneladas. Ainda há muitos mistérios.

Um peixe relativamente dócil, o tubarão-baleia desafia nossas compreensões e impressões de tubarão. É, de fato, um animal carnívoro, mas não é exatamente uma fera, como se espera do maior tubarão do planeta.

Suas raízes são bastante antigas, remontando aos 70 milhões de anos atrás, e o tubarão chegou a conviver com alguns dinossauros durante um curto período de tempo, antes da extinção em massa, há 65 milhões de anos.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Conhecemos muito pouco dos oceanos, e o pouco que sabemos da espécie é fascinante. Ele permite carona de peixes em sua boca, além da descoberta de animais parecidos com camarões que vivem na boca de um deles.

Cientistas japoneses também descobriram que seus olhos são retráteis, e a superfície do órgão é coberta por estruturas muito semelhantes a dentes, conhecidas como ‘dentículos dérmicos’.

Quando digo que conhecemos pouco do oceano, é realmente muito pouco. Conhecemos melhor a superfície lunar do que os oceanos na Terra – um verdadeiro mundo alienígena do nosso lado.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Enquanto apenas três missões tripuladas, em toda a história, foram ao ponto mais profundo do oceano, a Fossa das Marianas, doze pessoas já pisaram na Lua, durante as diversas missões Apollo.

Reprodução misteriosa

Uma equipe de pesquisadores liderada por Jonathan R Green, diretor do Projeto Tubarão-baleia de Galápagos, se deparou com uma situação bastante inusitada ao estudá-los.

A beleza de um tubarão-baleia. (Créditos da imagem: Wikimedia Commons).

Eles perceberam que quase todos os tubarões-baleia que aparecem na região de Galápagos eram fêmeas, aparentemente com a barriga inchada, indicando uma possível região de reprodução.

Entretanto, ao realizarem exames de ultrassom, eles notaram que o que havia eram ovos não fertilizados, e os cientistas perceberam que não sabem absolutamente nada sobre a reprodução do animal, e nunca viram um tubarão-baleia dar a luz.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

E o fato de não sabermos nada, para ajudarmos de alguma forma, é um grande problema, conforme relata Green ao jornal britânico The Guardian: “Todos os dias há menos deles”.

“Estamos perdendo esses animais a um ritmo sem precedentes na história do planeta Terra, talvez com exceção da extinção em massa do Cretáceo-Terciário do KT, quando os dinossauros foram exterminados”, diz.

Tentativas frustradas

Eles já tentaram com alguns rastreadores e outros equipamentos entender o comportamento do animal, mas sem resultados. “E toda vez que obtemos algum tipo de dado significativo, gera somente uma série de novas perguntas”, diz Green.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Certa vez eles tentaram rastrear uma tubarão chamada de Anne. Ela viajou durante mais de dois anos, percorrendo 20 mil quilômetros, até chegar na Fossa das Marianas, aparentemente sem razão alguma.

“Como você pode criar um plano de conservação informado para um animal, se não sabe como, quando ou onde ele se reproduz?”, questionou ao The Guardian Alistair Dove, do Aquário Geórgia, nos Estados Unidos.

O tubarão-baleia foi declarado como ameaçado de extinção em 2016 pela União Internacional para a Conservação da Natureza. Isso ocorre porque o comércio de suas barbatanas infelizmente é bastante comum na Ásia.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Os cientistas dizem ser extremamente frustrante ver o tubarão-baleia tristemente sumindo da existência, sem podermos fazer nada, entretanto. É grande nossa ignorância quanto ao mundo oceânico. Anseios para observar tubarão-baleia dar a luz e entender seu comportamento.

Com informações de The Guardian.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Avatar
Publicado por

É divulgador científico por paixão. Gradua-se em Física pela UFSCAR e atua principalmente na Ciencianautas e SoCientífica.

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.

Mente & Cérebro

Nas últimas décadas, inúmeras pesquisas mostraram a relação entre amamentação e a saúde da criança. Sabe-se, por exemplo, que a amamentação ajuda no desenvolvimento...

Planeta & Ambiente

Nukumi, uma grande fêmea de tubarão-branco marcada no ano passado está cruzando o Atlântico já faz dois meses. De acordo com especialistas, ela pode estar...