Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Neandertais tinham a capacidade de perceber e produzir a fala humana

Neandertais – os ancestrais mais próximos dos humanos modernos – possuíam a capacidade de perceber e produzir discurso humano, de acordo com um novo estudo.

neandertais
Reconstrução viva no Museu Neanderthal (Erkrath, Mettmann) de um Homo sapiens neanderthalensis. (Wikimedia commons)

Neandertais – os ancestrais mais próximos dos humanos modernos – possuíam a capacidade de perceber e produzir discurso humano, de acordo com um novo estudo publicado por uma equipe internacional multidisciplinar de pesquisadores.

“Este é um dos estudos mais importantes em que estive envolvido durante minha carreira”, diz o professor de antropologia da Binghamton University Rolf Quam. “Os resultados são sólidos e mostram claramente que os Neandertais tiveram a capacidade de perceber e produzir discurso humano. Esta é uma das poucas linhas de pesquisa atuais e contínuas que dependem de evidências fósseis para estudar a evolução da linguagem, um assunto notoriamente complicado em antropologia”.

A evolução da linguagem, e as capacidades linguísticas em Neandertais em particular, são uma questão de longa data na evolução humana.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

“Há décadas, uma das questões centrais nos estudos evolutivos humanos tem sido se a forma humana de comunicação, a linguagem falada, também estava presente em qualquer outra espécie de ancestral humano, especialmente os Neandertais”, diz o coautor Juan Luis Arsuaga, Professor de Paleontologia da Universidade Complutense de Madri e co-diretor das escavações e pesquisas nos locais do Atapuerca. O último estudo reconstruiu como Neandertais ouviu para tirar algumas inferências sobre como eles podem ter se comunicado.

Relacionado: Guerra entre sapiens e neandertais durou mais de 100 mil anos

O estudo baseou-se em tomografias computadorizadas de alta resolução para criar modelos virtuais em 3-D das estruturas auditivas do Homo sapiens e Neandertais, bem como fósseis anteriores do local do Atapuerca que representam os ancestrais dos Neandertais. Os dados coletados nos modelos 3-D foram inseridos em um modelo baseado em software, desenvolvido no campo da bioengenharia auditiva, para estimar as habilidades auditivas de até 5 kHz, que abrange a maior parte da gama de frequências dos sons modernos da fala humana. Em comparação com os fósseis de Atapuerca, os Neandertais mostraram uma audição ligeiramente melhor entre 4-5 kHz, parecendo-se mais com os humanos modernos.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Neandertais
Modelo 3D e reconstrução virtual da orelha em um ser humano moderno (à esquerda) e no Amud 1 Neandertal (à direita). Crédito: Mercedes Conde-Valverde

Além disso, os pesquisadores puderam calcular a faixa de frequência de máxima sensibilidade, tecnicamente conhecida como a largura de banda ocupada, em cada espécie. A largura de banda ocupada está relacionada ao sistema de comunicação, de tal forma que uma largura de banda maior permite que um maior número de sinais acústicos facilmente distinguíveis seja utilizado na comunicação oral de uma espécie. Isto, por sua vez, melhora a eficiência da comunicação, a capacidade de entregar uma mensagem clara no menor espaço de tempo possível. Os Neandertais mostram uma largura de banda maior em comparação com seus ancestrais do Atapuerca, mais parecidos com os humanos modernos nesta característica.

“Esta é realmente a chave”, diz Mercedes Conde-Valverde, professora da Universidade de Alcalá, na Espanha, e principal autora do estudo. “A presença de habilidades auditivas similares, particularmente a largura de banda, demonstra que os Neandertais possuíam um sistema de comunicação que era tão complexo e eficiente quanto a fala humana moderna”.

Relacionado: Neandertais colocavam flores nas sepulturas de seus mortos

“Um dos outros resultados interessantes do estudo foi a sugestão de que a fala Neandertal provavelmente incluía um aumento do uso de consoantes”, disse Quam. “A maioria dos estudos anteriores sobre a capacidade da fala Neandertal se concentrou em sua capacidade de produzir as principais vogais na língua inglesa. No entanto, sentimos que esta ênfase é equivocada, já que o uso de consoantes é uma forma de incluir mais informações no sinal vocal e também separa a fala e a linguagem humana dos padrões de comunicação em quase todos os outros primatas. O fato de nosso estudo ter pego isso é um aspecto realmente interessante da pesquisa e é uma sugestão nova em relação às capacidades linguísticas de nossos antepassados fósseis”.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Assim, os Neandertais tinham uma capacidade semelhante à nossa para produzir os sons da fala humana, e seu ouvido estava “afinado” para perceber essas frequências. Esta mudança nas capacidades auditivas dos Neandertais, em comparação com seus antepassados do Atapuerca, paralela às evidências arqueológicas para padrões de comportamento cada vez mais complexos, incluindo mudanças na tecnologia de ferramentas de pedra, domesticação do fogo e possíveis práticas simbólicas. Assim, o estudo fornece fortes evidências a favor da coevolução de comportamentos cada vez mais complexos e do aumento da eficiência na comunicação vocal ao longo do curso da evolução humana.

A equipe por trás do novo estudo vem desenvolvendo esta linha de pesquisa há quase duas décadas, e tem colaborações contínuas para estender as análises a outras espécies fósseis. Por enquanto, no entanto, os novos resultados são empolgantes.

Relacionado: Cerca de um terço dos neandertais tinha alguma deficiência

Publicidade. A leitura continua abaixo.

“Estes resultados são particularmente gratificantes”, disse Ignacio Martinez, da Universidade de Alcalá, na Espanha. “Acreditamos, após mais de um século de pesquisa sobre esta questão, que fornecemos uma resposta conclusiva à questão das capacidades de fala da Neandertal”.

O estudo, “Neanderthals and Homo sapiens had similar auditory and speech capacities“, foi publicado na Nature Ecology and Evolution.

Release de Universidade de Binghamton.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Redação
Publicado por

A SoCientífica, abreviação para Sociedade Científica, nasceu em agosto de 2014 da vontade de decifrar as novidades no mundo científico e transmiti-las para uma sociedade que depende da ciência e tecnologia mas que sabe muito pouco sobre elas. Em um momento em que a desconfiança está se sobressaindo e novas ondas negacionistas de evidências surgem, a SoCientífica está empenhada em ajudar a trazer iluminação para a sociedade novamente.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.