Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Nascimento das primeiras galáxias e estrelas ocorreu mais cedo do que pensávamos

Acreditávamos que essas primeiras estrelas, chamadas de estrelas de população III, se formaram cerca de 500 milhões de anos após o Big Bang.

Representação artística do universo primitivo (Créditos da imagem: ESA / Hubble, M. Kornmesser e NASA).

Logo após o Big Bang, o universo não possuía planetas, estrelas. Ele era extremamente quente e denso, irreconhecível. Um universo bastante pequeno com a mesma quantidade de matéria e energia que possuímos hoje, no nosso.

Esse sistema era extremo demais para que a matéria fosse mais do que algumas partículas subatômicas – até mesmo alguns tipos de forças fundamentais eram fundidas.

Conforme o universo foi se expandindo, essas condições passaram a ficar menos extremas, e o universo começou a ganhar uma cara diferente.

Continua depois da publicidade

As partículas começaram a se juntar, e em algum momento, a existência de um átomo já era possível. Após alguns milhões de anos de existência do universo, estrelas começaram a se formar.

Acreditávamos que essas primeiras estrelas, chamadas de estrelas de população III, se formaram cerca de 500 milhões de anos após o Big Bang.

É é isso que uma equipe de astrônomos, liderados por Rachana Bhatawdekar, da Agência Espacial Europeia (ESA) resolveram estudar – as primeiras estrelas a surgirem no universo.

Continua depois da publicidade

Quando surgiram as primeiras estrelas?

As estrelas são como uma fábrica: para ela produzir energia, funde átomos que surgiram espontaneamente: hidrogênio, hélio e lítio, os átomos mais simples da natureza.

Quando esses átomos são fundidos pela pressão no núcleo estelar, eles liberam energia e se juntam, formando outros elementos de número atômico maior. Portanto, em algum momento, no início, as estrelas eram feitas apenas desses três elementos.

Como a luz, assim como tudo, possui uma velocidade limitada, olhando para muito longe, podemos ver o passado: e o telescópio espacial Hubble possui essa capacidade.

Continua depois da publicidade

Então, eles buscaram essas estrelas primitivas em um período entre 500 milhões e 1 bilhão de anos após o Big Bang (o universo possui 13,8 bilhões de anos de idade).

Esse era o período onde acreditávamos que se formaram as primeiras estrelas. No entanto, os pesquisadores encontraram apenas estrelas com mais elementos. As estrelas de população III não estavam naquele local.

“Esses resultados têm profundas consequências astrofísicas, pois mostram que as galáxias devem ter se formado muito antes do que pensávamos”, disse Bhatawdekar.

Continua depois da publicidade

O problema de isso ter ocorrido antes dos 500 milhões de anos de existência, é que é um tempo distante demais para conseguirmos enxergar. O Hubble não consegue viajar para um passado tão distante.

Segundo o portal de imprensa da NASA, isso poderia ser possível com o Telescópio Espacial James Webb, o sucessor do Hubble, que enfrenta vários adiamentos e possui um lançamento previsto para 2021.

O estudo será publicado no periódico inglês Monthly Notices of the Royal Astronomical Society e também será apresentado na 236ª reunião da American Astronomical Society

Continua depois da publicidade

Populares hoje

Saúde & Bem-Estar

Uma empresa israelense chamada CorNeat Vision desenvolveu uma córnea sintética e permitiu a um homem de 78 anos, cego há dez anos, recuperar totalmente...

Tecnologia

Muitos especialistas em estratégia militar alertam que as guerras do futuro não serão terrestres, mas confrontos sob o signo da inteligência artificial e do...

História & Humanidade

Os sapiens não são a única espécie humana que já circulou pela Terra, embora hoje só nós estejamos vivos. Fora os sapiens, a espécie...

História & Humanidade

Nós possuímos, em nosso DNA, registros de um ancestral misterioso, que acasalou com espécies humanas há aproximadamente um milhão de anos.