Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Fobos e Deimos são fragmentos de uma antiga lua marciana, sugere o estudo

Fobos e Deimos, dois satélites de Marte, se originaram da desintegração de uma lua muito maior entre 1 e 2,7 bilhões de anos atrás, de acordo com novas simulações de computador e uma análise de dados da missão InSight da NASA.

marte fobos e deimos
Imagem: NASA / JPL-Caltech / Malin Space Science Systems / Texas A&M University

Fobos e Deimos foram descobertos pelo astrônomo americano Asaph Hall no Observatório Naval em 18 de agosto de 1877.

Esses satélites em forma de batata orbitam Marte em rotação síncrona com inclinações de apenas 0,01 e 0,92 graus em relação ao plano equatorial do planeta.

Embora Fobos e Deimos sejam pequenos, suas órbitas peculiares escondem segredos importantes sobre seu passado.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

“A Lua da Terra é essencialmente esférica, enquanto as luas de Marte têm formatos muito irregulares – como batatas”, disse Amirhossein Bagheri, estudante de doutorado no Instituto de Geofísica da ETH Zurique.

“Fobos e Deimos parecem mais asteróides do que luas naturais. Isso levou as pessoas a suspeitarem que eles poderiam na verdade ser asteróides capturados no campo gravitacional de Marte. ”

“Mas foi aí que os problemas começaram: os objetos capturados deveriam seguir uma órbita excêntrica ao redor do planeta, e essa órbita teria uma inclinação aleatória; em contradição com esta hipótese, as órbitas das luas marcianas são quase circulares e movem-se no plano equatorial de Marte. Então, qual é a explicação para as órbitas atuais de Fobos e Deimos? ”

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Para resolver este problema dinâmico, Bagheri e seus colegas confiaram em simulações de computador e dados sísmicos da missão InSight da NASA.

“A ideia era rastrear as órbitas e suas mudanças no passado”, disse o Dr. Amir Khan, pesquisador do Instituto de Física da Universidade de Zurique e do Instituto de Geofísica da ETH Zurique.

“Acontece que as órbitas de Fobos e Deimos pareciam ter se cruzado no passado. Isso significa que as luas provavelmente estavam no mesmo lugar e, portanto, têm a mesma origem.”

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Os pesquisadores concluíram que um corpo celeste maior orbitava Marte naquela época.

Esta lua antiga provavelmente foi atingida por outro corpo entre 1 e 2,7 bilhões de anos atrás e se desintegrou como resultado.

“Fobos e Deimos são os restos da lua perdida”, disse Bagheri.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

As simulações da equipe também mostram que, enquanto Deimos continua a ascender muito lentamente, Fobos terá impacto sobre Marte em 39 milhões de anos ou se desintegrará em um anel.

“Os resultados devem ser melhorados com os dados geofísicos do Mars InSight, em particular a dissipação em Marte e sua dependência da frequência que controla a história orbital de Fobos”, disseram os cientistas.

“A próxima missão Martian Moons Exploration também fornecerá informações cruciais sobre o interior das luas, o que ajudará a resolver a questão de sua origem.”

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Os resultados aparecem na revista Nature Astronomy.

Avatar

Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo e bacharel em Biologia pela Universidade Federal de São Carlos. É redatora e contribui com artigos sobre vida selvagem e doméstica.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...

Plantas & Animais

Raças menores de cães geralmente apresentam comportamentos mais instáveis. Pode haver, portanto, diversos motivos para cachorros pequenos serem ferozes.