Connect with us

Hi, what are you looking for?

Espaço

Físicos calculam quanto tempo levaremos para explorar toda a galáxia

Um grupo de físicos calculou quanto tempo levaria para explorar a nossa galáxia, usando naves espaciais e tecnologias disponíveis atualmente.

Um grupo de físicos tentou calcular com mais precisão quanto tempo levaria para explorar a outros sistemas estelares em nossa galáxia, usando naves espaciais e tecnologias disponíveis atualmente.

Eles utilizaram a velocidade de quatro sondas espaciais não tripuladas já lançadas pela NASA. Os números alcançados pelos pesquisadores também nos dão uma ideia de quanto tempo a humanidade pode levar para sair além do alcance do Sistema Solar.

E parece que os futuros viajantes espaciais terão de se instalar a longo prazo: pode levar dezenas de milhares de anos até que uma destas sondas se aproxime de outro sistema estelar, e vários milhões de milhões de anos até que haja um impacto direto.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Para chegar a suas conclusões os pesquisadores estudaram os dados mais recentes do observatório espacial Gaia. O mapa mais atualizado de Gaia tem a localização de cerca de 7,2 milhões de estrelas. Eles então combinaram esses dados com os caminhos projetados das sondas espaciais Pioneer 10Pioneer 11Voyager 1 e Voyager 2, lançadas entre os anos de 1972 e 1977.

Os resultados mostram que nos próximos milhões de anos, essas quatro sondas se aproximarão razoavelmente (em termos cósmicos) de cerca de 60 estrelas. Eles chegarão relativamente perto de 10 estrelas nesse período, mas acontece que este “relativamente próximo” significa dentro de 2 parsecs, ou seja, mais de 6 anos-luz de distância.

Para colocar isso em perspectiva, a órbita de Plutão apenas a leva a pouco mais de 7 bilhões de quilômetros. Portanto, nossas sondas ainda estarão dezenas de milhares de vezes distantes das estrelas alienígenas.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Esses cálculos ainda precisam ser revisados por pares, mas eles nos dão uma ideia da escala da galáxia, sem mencionar todo o Universo, e o tipo de tecnologia que a humanidade terá que desenvolver para ir além do nosso Sistema Solar.

Talvez tenhamos que passar várias gerações em trânsito para alcançar as estrelas mais próximas, pelo menos até os cientistas descobrirem como desenvolver as unidades de dobra que até agora continuam sendo apenas objetos de livros e filmes de ficção científica.

A pesquisa ainda não foi publicada, mas está disponível no servidor de pré-impressão arXiv.org.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

FONTE / Science Alert

Milena Elísios
Publicado por

Graduada em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e divulgadora científica por paixão. Aqui na SoCientífica abordo sobre temas variados, mas sempre guiados por boa pesquisa e o rigor científico.

Faça um comentário

Tecnologia

Cientistas estão trabalhando em um novo tipo de propulsão hipersônica que poderia permitir aviões voarem a mais de 20.000 km/h (Mach 17).

Plantas & Animais

Minúsculas criaturas, os rotíferos bdelóides, ficaram congelados no permafrost por 24.000 anos e foram recentemente trazidos de volta à vida, produzindo clones em um...

Sociedade & Cultura

O povo Tsimane é uma tribo indígena amplamente isolada que vive na Amazônia boliviana.  Estas pessoas levam uma vida muito diferente da nossa. E eles...

Notícia

Por muitos anos, a ecolocalização humana tem sido uma forma de percepção para pessoas que perderam a visão. Apesar disso, poucas pesquisas reforçavam essa...