Connect with us

Hi, what are you looking for?

Ciências Forenses

Experiência macabra mostra gatos comendo carne humana

wild cat in a field on sunset backlight

Às vezes, pessoas que morrem trancadas com seus animais de estimação podem acabar tendo algumas partes específicas de seus corpos devorados, isso pode acontecer principalmente porque o animal está preso e precisa de uma fonte de energia para sobreviver. Entretanto, um estudo forense recente mostrou gatos comendo carne humana de cadáveres doados para pesquisas, e eles ainda voltaram inúmeras vezes para se alimentar do mesmo corpo, mesmo podendo ir em busca de outros alimentos. A pesquisa foi publicado em Journal of Forensic Sciences.

A pesquisa

Em uma instalação de pesquisa de decomposição, 41 cadáveres humanos foram deixados ao ar livre para que o grupo de cientistas pudesse observar as mudanças ao longo do tempo provocadas pelo ambiente natural. Câmeras foram montadas para filmar as idas e vindas dos animais que iam visitar os cadáveres, tanto de dia quanto de noite.

Além dos necrófagos que os pesquisadores já esperavam observar, dois gatos selvagens foram capturados na câmera saltando por cima da cerca para ir comer os cadáveres humanos. Como não é possível identificar se os gatos monitorados na pesquisam eram de fato selvagem apenas com as imagens, os pesquisadores apenas deduziram isso, pois não haviam nenhuma residência nos arredores do laboratório. O papel dos gatos como necrófagos já é conhecido, embora os felídeos prefiram caçar a limpar cadáveres.

Continua depois da publicidade

Gatos foram vistos comendo carne humana; e eles tem preferências

O primeiro gato, um gato malhado, começou a visitar o cadáver de uma mulher de 79 anos, cujo corpo havia sido resfriado antes de ser levado para a instalação e colocado ao ar livre. Após uma verificação, foi observado que os danos ao cadáver indicavam que ele havia se alimentado principalmente dos tecidos moles do braço e peito esquerdo, principalmente da pele e gordura.

No dia seguinte os pesquisadores colocaram uma gaiola sobre o corpo, deixando-o isolado por uma semana, dessa forma o gato não conseguiu alcançá-lo. Mas depois que a gaiola foi removida, o animal voltou para se alimentar do corpo quase todas as noites por 35 dias. Também foi observado que o animal não mostrou nenhum interesse em nenhum dos outros 40 corpos nas proximidades.

O segundo gato, um gato preto selvagem, visitou o corpo de um homem de 70 anos, que havia passado por uma autópsia. O animal mastigou ao longo da incisão da autópsia, e comeu parte dos tecidos moles do braço esquerdo, do ombro e do abdômen. O gato se alimentou deste cadáver por 10 dias e 16 noites, depois desapareceu por cerca de um mês. Depois ele voltou duas noites para se alimentar do mesmo corpo, assim como fez o gato malhado.

Continua depois da publicidade

Segundo a pesquisa os animais demonstraram atenção apenas aos cadáveres mais frescos, ignorando os demais. Eles também mostraram preferencia por partes do corpo mais expostas e macias. (As imagens referentes a este estudo podem ser consideradas perturbadoras, por isso não foram anexadas a este post, mas caso tenha interesse, você pode acessá-las clicando aqui)

A importância deste tipo de pesquisa

Essa pesquisa é importante para estabelecer os perfis de comportamento de gatos como necrófagos e para ajudar os cientistas forenses a determinar melhor o momento e a causa da morte dos corpos encontrados em um estado avançado de decomposição.

A pesquisa também mostra que embora os felinos sejam conhecidos pelos seus hábitos de caça, eles podem ser oportunistas quando encontram a oportunidade de um banquete fácil. Nesse caso, com a carne humana.

Continua depois da publicidade

Originalmente publicado em SoCientífica.


Populares hoje

Saúde & Bem-Estar

Uma empresa israelense chamada CorNeat Vision desenvolveu uma córnea sintética e permitiu a um homem de 78 anos, cego há dez anos, recuperar totalmente...

Tecnologia

Muitos especialistas em estratégia militar alertam que as guerras do futuro não serão terrestres, mas confrontos sob o signo da inteligência artificial e do...

História & Humanidade

Os sapiens não são a única espécie humana que já circulou pela Terra, embora hoje só nós estejamos vivos. Fora os sapiens, a espécie...

História & Humanidade

Nós possuímos, em nosso DNA, registros de um ancestral misterioso, que acasalou com espécies humanas há aproximadamente um milhão de anos.