Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Enorme nuvem de gafanhotos se aproxima do Brasil

Uma enorme nuvem de gafanhotos pode chegar ao Brasil a qualquer momento. A praga atualmente está na Argentina e já passou pelo Paraguai.

Enorme nuvem de gafanhotos se aproxima do Brasil
Os gafanhotos não fazem mal para os humanos, mas devastam plantações. Foto: Senasa.

Uma enorme nuvem de gafanhotos está próxima do Brasil. Primeiro chegou a Argentina e agora já preocupa pesquisadores e autoridades brasileiras, já que essa praga é pouco conhecida, mas que pode trazer diversos prejuízos. Antes da Argentina, passou pelo Paraguai e destruiu plantações de milho.

A enorme nuvem de gafanhotos deve seguir para o Uruguai e depois, possivelmente atingirá primeiro o oeste do Rio Grande do Sul. Conforme o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, um monitoramento está sendo feito por especialistas argentinos.

O Ministério da Agricultura da Argentina indica que os gafanhotos são da espécie Schistocerca cancellata. Este espécie já trouxe problemas durante a década de 1960, depois foram avistados novamente apenas em 2015, se repetindo nos anos seguintes de 2017 e 2019.

Continua depois da publicidade
Enorme nuvem de gafanhotos
Schistocerca cancellata, é a espécie que compõe a enorme nuvem de gafanhotos. (Imagem: Mariela Noemi FOGAR, Maria Alejandra SIMONELLA)

Onde surgiu a enorme nuvem de gafanhotos?

No dia 11 de maio, o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa) emitiu o primeiro alerta, após ser avisado por autoridades paraguaias.

Demorou pouco tempo, já que no dia 21 daquele mês os gafanhotos entraram na Argentina, mas retornaram ao Paraguai logo na sequência. Ficaram uma semana no território paraguaio e voltaram ao argentino.

Até o momento, as províncias de Santa Fé, Formosa e Chaco foram as regiões mais atingidas da Argentina.

Como combater os gafanhotos?

Inseticidas podem ser utilizados para acabar com os insetos nas plantações. Contudo, o uso de substâncias desse tipo pode não apresentar um resultado tão bom, já que são muitos insetos e eles voam rapidamente. E o veneno pode acabar contaminando os rios, lagos e solos.

Continua depois da publicidade

Especialistas indicam que assim que os animais chegam, eles simplesmente destroem tudo o que é verde. E como os inseticidas demoram alguns dias para fazer efeito, isso pode não adiantar.

uma enorme nuvem de gafanhotos
Enxames de milhões de gafanhotos foram deslocados por colheitas no departamento de Santa Cruz. (RICHARD TRUJILLO)

Conforme o professor de entomologia da Universidade de Cruz Alta, Maurício Pazzini, em entrevista à RBS TV. “Se nós tivéssemos na nossa condição ideal de inverno, temperaturas frias, aquele ambiente nosso do Rio Grande do Sul no inverno, consequentemente a gente não teria essas populações porque o nosso frio iria impedir”, explicou.

Do que os gafanhotos são capazes?

Essa praga existe no Brasil desde o século XIX e mesmo que seja algo rural, é possível que ela se torne urbana, atingindo vilas e cidades. Entretanto, eles não prejudicam a saúde humana ou de animais, já que somente se alimentam de materiais vegetais.

Além disso, os gafanhotos também não são transmissores de doenças. Realmente o grande problema é com a agricultura, que pode sofrer devido ao surgimento e desenvolvimento dessa praga. A pecuária também pode ser prejudicada, já que alimentos para o gado podem ser consumidos.

Continua depois da publicidade

É possível que existam 40 milhões de gafanhotos em um espaço de 1 km². Em um dia, esses animais devoram o que daria para alimentar 2 mil vacas, ou então 350 mil pessoas.

Mas, como uma nuvem tão potente quanto essa é formada? Gafanhotos costumam ser solitários, mas em algumas circunstâncias eles passam a se reproduzir rapidamente.

Contudo, os especialistas ainda não conseguem explicar qual é o motivo dessa última nuvem. Entre as possibilidades que podem ter ajudado estão os altos níveis de temperatura, chuvas e ventos que auxiliam a reprodução.

Continua depois da publicidade
Erik Behenck
Publicado por

Erik Behenck é jornalista, adora novas descobertas e apaixonado pela escrita.


Populares hoje