Connect with us

Hi, what are you looking for?

Plantas & Animais

Encontrado o cão domesticado mais antigo das Américas

cão domesticado mais antigo das Américas
Huskies, Malamutes e cães de trenó da Sibéria à Groenlândia são todos fisicamente semelhantes aos primeiros cães domesticados que entraram na América do Norte há mais de 10.000 anos. (Susanne Koplin / Pixabay)

Em um novo estudo publicado na revista Proceedings da Royal Society B. cientistas analisaram um fragmento de osso encontrado em uma caverna no Alasca. A equipe de pesquisa esperava que a amostra pertencesse a alguma espécie de urso que habitou a região, mas uma análise de DNA revelou algo muito mais surpreendente: a lasca de osso pertenceu a um cão, possivelmente o cão domesticado mais antigo das Américas.

Há cerca de 23.000 anos atrás humanos e lobos cinzentos que viviam na Sibéria foram cercados por geleiras invasoras da última Era do Gelo. Ninguém sabe ao certo como as duas espécies começaram seu relacionamento. Existe a hipótese principal de que os lobos mais amigáveis ​​se acostumaram com as pessoas que lhes davam restos ou que os deixavam vasculhar pilhas de lixo.

O pequeno fragmento de fêmur PP-00128 é bem mais antigo que os outros restos de cães já encontrados na região, sendo datado de 10.150 anos.

Continua depois da publicidade
Fragmento de osso revela o cão mais antigo das Américas

Fragmento de osso revela o cão mais antigo das Américas. (Douglas Levere / University at Buffalo)

O PP-00128 pertence a um grupo anterior de cães ligados à Sibéria, e sua localização é especialmente importante. O fragmento de osso foi descoberto em uma caverna próxima a outro sítio arqueológico contendo restos humanos de idade semelhante ao longo da costa do Alasca.

Há muito os arqueólogos e antropólogos debatem sobre quando e como as pessoas viajaram da Eurásia através da Ponte de Bering para as Américas.

A hipótese predominante mais aceita era a de que os grupos migrantes aproveitaram-se das camadas de gelo recuando como uma ponte entre os continentes, passando pelo meio do que é hoje o Alasca antes de se aventurarem mais ao sul.

A descoberta de um cão domesticado ao longo do Blake Channel, no Alasca, se junta a um crescente corpo de evidências de que as pessoas viajavam entre os continentes movendo-se ao longo da costa, talvez usando as primeiras embarcações para se mover através dos trechos mais úmidos.

Continua depois da publicidade
Damares Alves
Publicado por

Apaixonada pela natureza, me tornei redatora e hoje escrevo exclusivamente sobre ciência. Meu objetivo é que todos possam ter acesso a pesquisas importantes e descobertas incríveis que são realizadas todos os dias.

Comentários

Populares hoje

Mente & Cérebro

Pela primeira vez, pesquisadores conseguiram estudar o momento em que a morte cerebral se torna irreversível no corpo humano, observando o fenômeno em vários...

Plantas & Animais

No fim da década passada, em 2007, cientistas russos, húngaros e norte-americanos recuperaram sementes congeladas de Silene stenophylla, enquanto avaliavam aproximadamente 70 antigas tocas...

Mundo Estranho

Esta semana moradores da cidade de Cracóvia, na Polônia teriam se trancado em casa assustados com uma ‘criatura aterrorizante’ que estaria escondida nas árvores perto...

História & Humanidade

100.000 anos atrás, um grupo de 36 neandertais caminhou ao longo de uma praia no sul da Espanha. Durante a caminhada, vários indivíduos deixaram...