Connect with us

Hi, what are you looking for?

Ciência

Cientistas podem ter descoberto uma cura para o envelhecimento celular

Cientistas israelenses acabam de descobrir um possível tratamento para o envelhecimento celular. (Imagem de Sabine van Erp por Pixabay)

Cientistas israelenses alegam ter encontrado uma possível cura para o envelhecimento celular. Basicamente, os pesquisadores avaliaram a taxa de envelhecimento celular de 27 pacientes. Eles passaram por três meses de sessões diárias em uma câmera de alta pressão de oxigênio. Os resultados, aliás, foram impressionantes: em média, a reversão no envelhecimento celular foi de 20%.

Vale ressaltar que o estudo contou com poucos participantes. Portanto, as estatísticas podem estar distorcidas e não refletirem a realidade. Assim, não devemos nos animar demais. No entanto, caso os resultados do estudo sejam confirmados posteriormente, um possível tratamento para o envelhecimento pode se tornar real.

Evidentemente os pacientes não saíram das câmaras de oxigênio 20% mais novos. O que aconteceu, na verdade, foi que as células ficaram semelhantes ao que eram quando mais novas. Desse modo, os cientistas acreditam que podem ter feito uma grande descoberta a caminho da cura do envelhecimento. Nesse sentido, os pesquisadores avaliaram o tamanho dos telômeros dos pacientes antes e depois do estudo.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

A conclusão foi que esses componentes do DNA ficaram maiores nos pacientes tratados.

O que são os telômeros afinal

Cada célula humana tem mais de 2 metros de DNA em seu núcleo. Lembre-se: o DNA é um composto de nucleotídeos que carrega todas as informações genéticas de um ser vivo. Contudo, para mantes toda essa informação em um espaço tão pequeno, o DNA precisa se organizar em cromossomos.

O DNA e as proteínas histonas formam um cromossomo. Essas últimas mantém a dupla-hélice organizada e compactada no núcleo de cada um dos trilhões de células do seu corpo. Esses cromossomos, aliás, precisam se dividir para dar origem a novas células quando as antigas morrem. Entretanto, há um pedaço do cromossomo especializado em proteger o DNA. Esse, portanto, é o papel dos telômeros.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
(Imagem de PublicDomainPictures por Pixabay)

Os telômeros são as extremidades do cromossomo. Eles são formados por DNA não-codificante (sem informação genética) e algumas proteínas. Acontece que a cada divisão celular, um pequeno pedacinho dos telômeros se perde. Ao longo de muitas gerações de células e muitos anos, o próprio cromossomo começa a ficar danificado. Isso acaba causando a morte das células e, com o tempo, a morte do organismo todo.

O envelhecimento celular e a qualidade de vida

Sabendo disso, há muitos anos centenas de equipes de pesquisadores estão buscando uma forma de regenerar ou diminuir a perda dos telômeros. Teoricamente isso poderia também reduzir ou curar o envelhecimento e permitir que vivêssemos muito mais. Contudo, nenhuma tecnologia se mostrou realmente eficaz, até agora.

Estudos prévios feitos pela NASA mostraram que os telômeros tendem a diminuir menos no espaço. Isso demonstrou que o ambiente externo ao organismo pode afetar significativamente a composição do núcleo celular. Esses estudos foram motivadores para Shair Efrati, autor principal do artigo e médico pesquisador da Universidade de Tel Aviv.

Publicidade. A leitura continua abaixo.

Como dito antes, muitos estudos ainda são necessários antes de qualquer animação. Isso porque o oxigênio em excesso pode ter efeitos severos no corpo humano, por estranho que possa parecer. Quando há muito oxigênio no ambiente, há também maior produção de radicais livres – espécies reativas que podem danificar o DNA.

Ainda assim, caso os resultados sejam replicados com mais pacientes, essa técnica representa um marco para a medicina moderna. Nesse sentido, o simples envelhecimento é a principal causa de doenças como o câncer, que matam milhões de pessoas todos os anos. Até que haja um tratamento eficaz, a melhor solução para o envelhecimento já é bem conhecida: um estilo de vida saudável.

O artigo está disponível no periódico Aging.

Publicidade. A leitura continua abaixo.
Mateus Marchetto
Publicado por

Aluno de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, professor de inglês, apaixonado por ciência e divulgação científica. Me interesso principalmente pelas áreas de microbiologia, bioquímica e bioinformática.

Notícia

Durante o desenvolvimento embrionário, os mamíferos (a maioria deles) crescem na cavidade do útero da mãe. Esse ambiente vai se dilatando e desenvolvendo ao...

Mundo Estranho

O jovem de 23 anos Eik Júnior Monzilar Parikokoriu precisou percorrer nove quilômetros com a ave presa à garganta até chegar num pronto-socorro.

Saúde & Bem-Estar

Os exercícios de alta intensidade de intervalos (HIIT) se tornaram populares nos últimos anos por uma série de razões. Eles não exigem tanto tempo...

Espaço

Planeta Nove? Plutão deixou de ser planeta? Descubra agora quantos e quais são planetas do Sistema Solar.