Connect with us

Hi, what are you looking for?

Pets

Cães de trenó possuem relação próxima com cães antigos de 9.500 anos

Huskies siberianos puxam um trenó. (Imagem: Jeff J Mitchell/Getty Images)

Cães de trenó são muito mais velhos e se adaptaram às condições do Ártico muito antes do que se pensava. Pesquisadores mostram que ancestrais deles têm trabalhado e vivido com humanos por mais de 9.500 anos.

Os cães desempenham um papel importante na vida humana em todo o mundo, seja como um membro da família ou como um animal de trabalho. Mas de onde eles vêm e a idade de vários de seus grupos ainda é um mistério.

Agora, a luz foi lançada sobre a origem do cão de trenó. Em um novo estudo publicado na Science, pesquisadores da Faculdade de Saúde e Ciências Médicas da Universidade de Copenhague, mostram que o cão de trenó é mais velho e se adaptou ao Ártico muito antes do que se pensava. A pesquisa foi realizada em colaboração com a Universidade da Groenlândia e o Instituto de Biologia Evolutiva de Barcelona.

Continua depois da publicidade

“Extraímos DNA de um cão de 9.500 anos da ilha siberiana de Zhokhov, que leva nome ao cão. Com base nesse DNA, sequenciamos o genoma completo mais antigo do cão até o momento, e os resultados mostram uma diversificação extremamente precoce de cães em tipos de cães de trenó”, disse um dos dois primeiros autores do estudo, o doutorando Mikkel Sinding, do Instituto Globe.

Até agora, tem sido comum a crença de que o cão siberiano de 9.500 anos, Zhokhov, era uma espécie de cão antigo — um dos primeiros cães domesticados e uma versão da origem comum de todos os cães. Mas de acordo com o novo estudo, cães de trenó modernos como o Husky siberiano, o Malamute do Alasca e o cão de trenó da Groenlândia compartilham a maior parte de seu genoma com o Zhokhov.

“Isso significa que os cães de trenó modernos e Zhokhov tinham a mesma origem comum na Sibéria há mais de 9.500 anos. Até agora, pensamos que os cães de trenó tinham apenas 2 ou 3.000 anos de idade”, disse outro autor do estudo, o professor Shyam Gopalakrishnan, do Globe Institute.

Continua depois da publicidade

Os cães de trenó originais

Para saber mais sobre as origens do cão de trenó, os pesquisadores sequenciaram ainda mais genomas de um lobo siberiano de 33.000 anos e dez cães de trenó da Groenlândia modernos. Eles compararam esses genomas com genomas de cães e lobos de todo o mundo.

Cães de trenó possuem relação próxima com cães antigos de 9.500 anos
Um cão de trenó da Groenlândia. (Imagem: Carsten Egevang/Qimmeq)

“Podemos ver que os cães de trenó modernos têm a maioria de seus genomas em comum com o Zhokhov. Então, eles estão mais intimamente relacionados com este cão antigo do que com outros cães e lobos. Mas não só isso, podemos ver traços de cruzamento com lobos, como o lobo siberiano de 33.000 anos, mas não com lobos modernos. Enfatiza ainda que a origem do cão de trenó moderno remonta muito mais longe do que pensávamos”, disse Mikkel Sinding.

Os cães de trenó modernos têm mais sobreposição genética com outras raças de cães modernos do que Zhokhov tem, mas os estudos não nos mostram onde ou quando isso ocorreu. No entanto, entre os cães de trenó modernos, os cães de trenó da Groenlândia se destacam e têm a menor sobreposição com outros cães, o que significa que o cão de trenó da Groenlândia é provavelmente o cão de trenó mais original do mundo.

Características comuns com inuítes e ursos polares

Além de avançar na compreensão comum da origem dos cães de trenó, o novo estudo também ensina mais aos pesquisadores sobre as diferenças entre cães de trenó e outros cães. Eles não têm as mesmas adaptações genéticas para uma dieta rica em açúcar e amido que outros cães têm. Por outro lado, eles têm adaptações para dietas com alto teor de gordura, com mecanismos semelhantes aos descritos para ursos polares e pessoas do Ártico.

Continua depois da publicidade

“Isso enfatiza que cães de trenó e pessoas do Ártico trabalharam e se adaptaram juntos por mais de 9.500 anos. Também podemos ver que eles têm adaptações que provavelmente estão ligadas à melhor absorção de oxigênio, o que faz sentido em relação ao trenó, e dão à tradição de trenó raízes antigas”, disse Shyam Gopalakrishnan.

Este artigo foi originalmente publicado por Universidade de Copenhague e republicado por Science Daily. Tradução de Redação SoCientífica.

Continua depois da publicidade
Da Redação
Publicado por

A SoCientífica, abreviação para Sociedade Científica, nasceu em agosto de 2014 da vontade de decifrar as novidades no mundo científico e transmiti-las para uma sociedade que depende da ciência e tecnologia mas que sabe muito pouco sobre elas. Em um momento em que a desconfiança está se sobressaindo e novas ondas negacionistas de evidências surgem, a SoCientífica está empenhada em ajudar a trazer iluminação para a sociedade novamente.


Populares hoje

Física & Química

O urânio é um elemento químico famoso pela aplicação em usinas de energia nuclear e bombas atômicas. Esse elemento radioativo tem o número atômico...

Planeta & Ambiente

Os filmes de ficção científica sempre nos fazem imaginar acerca de como seria o mundo caso um alienígena usasse seus “poderes” contra os humanos....

Plantas & Animais

Resgatar um animal é uma tarefa bastante complicada. Agora, imagine ter que salvar uma manada de uma espécie de girafa em extinção, que estão...

Notícia

Há 20 mil anos, a Terra estava passando pela mais recente de suas eras glaciais. Devido a alterações na atmosfera do planeta, enormes coberturas...