Saúde & Bem-EstarTeste simples de urina pode revolucionar o diagnóstico de câncer de próstata

Pesquisadores desenvolveram um teste de urina bem simples para detecção de câncer de próstata que utiliza amostras de urina coletadas em casa.
Milena Elísios1 semana atrás
https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2019/11/Teste-de-urina-3.jpg

Pesquisadores da Universidade de East Anglia e do Hospital Universitário de Norfolk e Norwich desenvolveram teste de urina bem simples para detecção de câncer de próstata que utiliza amostras de urina coletadas em casa.

O teste pioneiro foi batizado de ‘PUR’ (Prostate Urine Risk) pode ser realizado em amostras coletadas em casa, assim os homens não precisam entrar na clínica para fornecer uma amostra de urina, nem precisam passar por um exame retal desconfortável.

Este é um passo importante, porque a primeira micção do dia fornece níveis de biomarcadores da próstata que são muito mais altos e mais consistentes. E a equipa de investigação espera que a introdução do “Kit de Recolha At-Home” possa revolucionar o diagnóstico da doença.

Mais eficiente que os testes convencionais

O teste PUR prevê com precisão o câncer de próstata agressivo e prevê também se os pacientes precisarão de tratamento até cinco anos antes dos métodos clínicos padrão – isso significa que um teste negativo pode permitir que os homens sejam testados novamente a cada dois ou três anos, aliviando o estresse do paciente e reduzindo a carga de trabalho hospitalar.

A equipe de pesquisa forneceu a 14 participantes um Kit de Coleta em Casa e instruções. Eles então compararam os resultados de suas amostras de urina domiciliar, coletadas na primeira hora da manhã, com amostras coletadas após um exame retal digital.

As amostras de urina coletadas em casa mostraram os biomarcadores para câncer de próstata muito mais claramente do que após um exame retal. E o feedback dos participantes mostrou que o teste em casa é muito mais preferível.

“A utilização do nosso teste em casa pode revolucionar, no futuro, a forma como as pessoas em ‘vigilância activa’ são monitorizadas quanto à progressão da doença, com os homens a terem apenas de visitar a clínica para obterem um resultado positivo na urina. Isto contrasta com a situação atual em que os homens são chamados à clínica a cada seis a 12 meses para biópsias dolorosas e caras.” Disse o pesquisador principal, Dr. Jeremy Clark, da Norwich Medical School da UEA

O pesquisadores afirmam também que as suas descobertas poderão um dia ser pioneiras no desenvolvimento de testes de recolha domiciliária para o câncer da bexiga ou do rim.

Você pode ler ou baixar o artigo científico clicando aqui.

FONTE / Daily Mail

Posts relacionados